sexta-feira, 15 de fevereiro de 2013

Orcas aparecem no Leblon, na orla da Zona Sul do Rio


Baleias nadavam próximas à praia de Ipanema, na Zona Sul.

foto montagem ilustrativa | divulgação
foto montagem ilustrativa | divulgação | Studio BP – veja a montagem
Segundo o Corpo de Bombeiros, não há risco de os animais encalharem.
Os banhistas da praia de Ipanema, na Zona Sul do Rio, tiveram a companhia de pelo menos quatro baleias orcas, que nadavam próximas à orla, na tarde desta sexta-feira (8). As orcas nadavam próximas à orla, mas não havia risco de encalharem, segundo o Grupamento Marítimo do Corpo de Bombeiros (Gmar).
As baleias circularam entre as praias do Arpoador e do Leblon, na Zona Sul, e da areia era possível vê-las.

Baleia aparece em dezembro

Um outro ‘visitante de peso’  já havia aparecido na praia de São Conrado, na Zona Sul do Rio, em dezembro do ano passado. Uma baleia passou a apenas 300 metros da costa, fazendo a alegria de banhistas que puderam observar o animal. Embora a visibilidade da água não estivesse muito boa, foi possível ver os saltos da baleia.

Fonte: G1  e RJTV2ª

" BABILÔNIA, A GRANDE, A MÃE DAS MERETRIZES E DAS ABOMINAÇÕES DA TERRA". (Ap 17.3,5). "E são também sete reis; cinco já caíram, e um existe; outro ainda não é vindo; e, quando vier, convém que dure um pouco de tempo. E a besta que era e já não é, é ela também o oitavo, e é dos sete, e vai à perdição". (Ap 17.7,11).."dos quais caíram cinco, um existe, e o outro ainda não chegou; e, quando chegar, tem de durar pouco..."



"Transportou-me o anjo, em espírito, a um deserto e vi uma mulher montada numa besta escarlate, repleta de nomes de blasfêmia, com sete cabeças e dez chifres. Achava-se a mulher vestida de púrpura e de escarlata, adornada de ouro, de pedras preciosas e de pérolas, tendo na mão um cálice de ouro transbordante de abominações e com as imundícias da sua prostituição. Na fronte, achava-se escrito um nome, um mistério:
 BABILÔNIA, A GRANDE, A MÃE DAS MERETRIZES E DAS ABOMINAÇÕES DA TERRA". (Ap 17.3,5).
 
"O anjo, porém, disse: Por que te admiraste? Dir-te-ei o mistério da mulher e da besta que tem as sete cabeças e os dez chifres e que leva a mulher: a besta que viste, era e não é, está para emergir do abismo e caminha para a perdição". Aqui está o sentido, que tem sabedoria: as sete cabeças são sete montes, nos quais a mulher está sentada. "E são também sete reis; cinco já caíram, e um existe; outro ainda não é vindo; e, quando vier, convém que dure um pouco de tempo. E a besta que era e já não é, é ela também o oitavo, e é dos sete, e vai à perdição". (Ap 17.7,11).
 
Aqui está o sentido, “As sete cabeças são sete montes nos quais a mulher está sentada”. Roma é conhecida como a cidade sete montes, ou sete colinas, continuando..."dos quais caíram cinco, um existe, e o outro ainda não chegou; e, quando chegar, tem de durar pouco..."
 
As sete cabeças são também sete reis. A cabeça é o que comanda o corpo. O cabeça visível da igreja católica é o Papa. Então, as sete cabeças são sete Papas. Mas o anjo disse que as cabeças são “reis”. Elas representam então Papas, que são também reis. Os Papas sempre foram lideres e governadores da igreja Católica; mas nem sempre foram reis.
 
Uma pessoa, para ser um Rei, deve governar um País. Se alguém governa uma província ou um estado, é um governador, mas não um Rei. A igreja Católica era apenas uma denominação religiosa desde sua fundação, até 1929. Neste ano, o ditador Italiano Benito Mussolini através do Tratado de Latrão concedeu ao Vaticano um território de 0,44 KM² para que se torna-se um Estado Monárquico e País soberano, onde o Papa é o Rei. Veja na Wikipédia: clique aqui e aqui.
 
Pio XI, que era o Papa quando esta mudança tomou lugar, tornou-se o primeiro Papa “Rei”. O anjo, explicando sobre os reis, disse que “cinco caíram, e um existe” Ele leva João para o tempo do sexto rei, o que nos mostra que a profecia seria entendida quando sexto rei estivesse no trono do Papado. A partir de Pio XI, o primeiro rei, os Papas “Reis” que se seguiram foram:
 
2 – Pio XII;
 
3 – João XXIII;
 
4 – Paulo VI;
 
5 – João Paulo I;
 
6 – João Paulo II.  
 
João Paulo II foi o sexto rei, aquele descrito pelo anjo através das palavras: “um é”. Ele estava no poder no tempo apontado por João na visão. Centenas de pessoas nos Estados Unidos, Brasil, Argentina, e provavelmente em outros lugares, entenderam o que foi explicado até aqui nos anos noventa, quando João Paulo II estava no trono do Vaticano, cumprindo a profecia.“O outro ainda não chegou”. De acordo com a profecia, após a morte de João Paulo II, haveria outro Papa “Rei”, que, “quando vier, tem de durar pouco tempo”. O cardeal Josef Ratzinger, um homem de idade avançada que não pode se manter no trono do Papado por muitos anos como o fez João Paulo II, foi eleito, tornando-se Bento XVI, o sétimo rei, cumprindo a profecia. Os próprios jornais confirmam que os próprios cardeais católicos esperam que ele irá reinar apenas pouco tempo. 
 
“São Paulo (Folhapress) - O favoritismo de Ratzinger, além do apelo conservador, se dá pela idade avançada e pela experiência: aos 77 anos, dificilmente o cardeal alemão exerceria um Papado extenso.
 
"E a besta, que era e não é, também é ele, o oitavo rei, e procede dos sete, e caminha para a perdição". (Ap 17,11)
 
De acordo com a explicação acima, o oitavo rei é a besta. O que isto significa? Quem será o oitavo rei?
  
Em Apoc. 17:11, está escrito que o oitavo rei é a besta, e é um dos sete reis anteriores. Em Apoc. 13, que apresenta a mesma besta de Apoc. 17, nós lemos as seguintes palavras: a mesma besta que foi vista em Apocalipse 17 é apresentada. A profecia afirma que o mundo se maravilhará quando ver uma das cabeças da besta (um dos Papas “Reis”), que fora “ferida de morte e esta ferida mortal foi curada”. Sim, o mundo se maravilhará quando ver um Papa “ressuscitado dentre os mortos”. A igreja Católica diz que o Papa tem as chaves da morte e do inferno, e Satanás irá, aparentemente, “provar” que isto é verdade através deste engano. Esta ressurreição irá maravilhar o mundo ao máximo. Como irá João Paulo II ressuscitar?
  
A profecia descreve que Satanás irá enganar os que “habitam sobre a terra”. A profecia afirma que Satanás engana os ímpios que habitam sobre a terra, por meio dos milagres que ele tem poder para fazer, e diz para os ímpios para que eles façam uma “imagem à besta”. Qual besta? “àquela que, ferida à espada, sobreviveu”, o oitavo rei.
 
Nós já vimos que João Paulo II foi aquele que recebeu esta ferida, no atentado de 1981. Satanás diz para os ímpios que façam uma imagem de João Paulo II. Estaria a profecia referindo-se ao fato de que Satanás estaria dizendo para o povo fazer uma estátua de João Paulo II? Não, nós vemos que não é este o caso, quando lemos o próximo versículo 15: "...e lhe foi dado comunicar fôlego à imagem da besta, para que não só a imagem falasse, como ainda fizesse morrer quantos não adorassem a imagem da besta".



Força Nacinal de Segurança chega à Florianópolis para ajudar a conter onda de violência



Governo federal autorizou o deslocamento de 350 homens à Santa Catarina


Da Redação
Foto: Reprodução/ Twitter
Santa Catarina  - Os soldados da Força Nacional de Segurança chegaram na Base Aérea ,em Florianópolis, às 14h30 desta sexta-feira (15), confirmou a Secretaria da Infraestrutura. Com os dois ataques de hoje, o Estado contabiliza em 100 dias 100 atentados.
A segurança de Santa Catarina contará com o auxílio de mais 350 homens do exército brasileiro. Eles devem atuar na transferência dos presos líderes da facção criminosa Primeiro Grupo Catarinense (PGC) que estão, a maioria, na Penitenciária de São Pedro de Alcântara, na Grande Florianópolis. Ainda nesta manhã, antes de deixarem Brasília, os soldados publicaram no Twitter uma foto se preparando para a viagem com a frase: “O bixo vai pegar!”
"Nós estamos numa situação de anormalidade, mas o governo do Estado está fazendo todos os seus esforços para garantir a segurança dos trabalhadores do transporte coletivo e dos usuários", disse o secretário de Infraestrutura Valdir Cobalchini, de acordo com o site do governo estadual.
Também foi anunciado o reforço na segurança do transporte coletivo na Grande Florianópolis a fim de exigir que as empresas de ônibus voltem a operar das 6h as 23h em todas as regiões. Devido aos ataques, as viações passaram a circular das 7h as 19 horas Segundo o governo, foram colocados 80 veículos com policiais (sendo 40 cedidos pela Prefeitura e 40 pelo Estado) para fazer a escolta dos ônibus.

by VS/RS

Força Nacional chega a Santa Catarina para conter ataques


Nesta sexta-feira, número de atentados registrados em 16 dias no estado chegou a 100

Soldados da Força Nacional embarcam de Brasília com destino a Florianópolis Foto: Reprodução/Twitter do Sargento Neri
Soldados da Força Nacional embarcam de Brasília com destino a FlorianópolisReprodução/Twitter do Sargento Neri


RIO e FLORIANÓPOLIS — O governo de Santa Catarina confirmou, nesta sexta-feira, que tropas da Força Nacional de Segurança Pública seguiram do Aeroporto de Brasília em viagem ao estado. Os soldados, cerca de 350 homens que vão atuar na tentativa de conter a nova onda de violência que já atingiu 30 cidades catarinenses desde o dia 30 de janeiro, chegaram na capital catarinense no início da tarde. Autoridades negociaram o envio das tropas e a estratégia de como será a operação em Santa Catarina. Na madrugada de hoje, o número de ataques chegou a 100.
Estiveram presentes no encontro a secretária Nacional de Segurança Pública, Regina Minck, o secretário Estadual de Segurança Pública, César Grubba, e o comandante geral da Polícia Militar, o coronel Nazareno Marcinero.
O envio dos militares foi autorizado pelo Ministério da Justiça depois de uma reunião entre o governador e o ministro José Eduardo Cardozo na quarta-feira. Um dos militares enviados à missão postou uma foto no Twitter com a seguinte frase:
“O bixo (sic) vai pegar” - escreveu.
Pela manhã, passageiros sofreram com a demora na circulação de ônibus na Grande Florianópolis. Apesar de autoridades terem garantido que os ônibus estariam nas ruas a partir das 6h, muitos usuários relataram que os coletivos só começaram a deixar o principal terminal da capital depois das 7h. Durante assembleia nesta quinta-feira, motoristas e cobradores de ônibus haviam decidido que só iriam trabalhar de 7h às 19h a partir desta sexta devido à onda de ataques no estado. Por causa do impasse, as aulas da noite na rede pública estadual estão suspensas nesta sexta-feira.
by O Globo

Ultrapassamos os 100 mil acessos


'Escravas sexuais' de Belo Monte são encontradas pela polícia



























Polícia encontra escravas sexuais que atendiam trabalhadores de Belo Monte. As mulheres eram confinadas em pequenos quartos sem janelas e ventilação, com apenas uma cama de casal. Cadeados do lado de fora trancavam as portas. Elas tinham entre 16 e 20 anos.


A Polícia Civil de Altamira (PA) encontrou 14 mulheres e uma travesti em situação de escravidão e cárcere privado em um prostíbulo localizado em área limítrofe de um dos canteiros de obras da hidrelétrica de Belo Monte. A operação foi realizada na noite desta quarta (13), após denúncia de uma garota de 16 anos, que conseguiu fugir. A matéria é de Verena Glass, da Repórter Brasil:

A adolescente procurou a conselheira do Conselho Tutelar, Lucenilda Lima, que acionou a polícia. De acordo com o delegado Rodrigo Spessato, que comandou a operação, as mulheres eram confinadas em pequenos quartos sem janelas e ventilação, com apenas uma cama de casal. Cadeados do lado de fora trancavam as portas. Elas tinham entre 18 e 20 anos – além da jovem de 16, e eram provenientes do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul. De acordo com o delegado, em depoimentos, as vítimas afirmaram que podiam ir à cidade de Altamira uma vez por semana, por uma hora, mas eram vigiadas pelos funcionários da boate.
Além da situação de cárcere privado, a polícia também encontrou no local um caderno onde eram anotadas as dívidas das meninas, como gastos com passagens, alimentos, e vestimentas, além de “multas” por motivos diversos.

Ameaça de morte


Segundo Lucenilda, do Conselho Tutelar, as garotas disseram ter muito medo de retaliações, uma vez que o dono da boate teria ameaçado seus familiares que moravam no Sul. Em entrevista à reportagem, uma das jovens resgatadas contou que, assim que a adolescente de 16 anos conseguiu fugir, o gerente a seguiu com uma arma. Parte do grupo foi retirado do bordel, mas parte permaneceu com medo de represálias.

“Ele saiu atrás dela armado e disse que não custava matar uma, que ninguém ficaria sabendo”, afirma uma das resgatadas, Procedente de Joaçaba, no interior de Santa Catarina. Ela conta que trabalhava em uma boate cuja cafetina era “sócia” do dono da boate no Pará. “Viemos em nove lá de Joaçaba. Falaram para gente que seria muito bom trabalhar em Belo Monte, que a gente ganharia até R$ 14 mil por mês, mas quando chegamos não era nada disso”, conta.
“Já de cara fizemos uma dívida de R$ 13 mil por conta das passagens [valor cobrado do grupo]. Aí temos que comprar roupas, cada vestido é quase R$ 200, e tudo fica anotado no caderninho pra gente ir pagando a dívida. E tem também a multa, qualquer coisa que a gente faz leva multa, que também fica anotada no caderno. Depois de cada cliente, a gente dava o dinheiro para o dono da boate pra pagar as nossas dívidas, eu nunca ganhei nenhum dinheiro para mim”, explica a garota.
Sobre as condições às quais foram submetidas na boate, ela conta que morava com outras três meninas em um pequeno quarto muito quente, e que não tinha permissão de sair do local. “Eles ligavam o ar condicionado só por uma hora. A gente tinha que trabalhar 24 horas por dia; quando tinha cliente, tinha que atender”, afirma.
“De comida, tinha almoço e janta. Se você estava trabalhando na hora do almoço, tinha que esperar a janta. Se desse muita fome, a gente tinha que comprar um lanche. O gerente da boate dizia que a gente só poderia sair depois de pagar todas as dívidas, e que nem adiantava reclamar porque ninguém ia nos ajudar, ele era amigo da Justiça e nunca ninguém ia fazer nada contra ele. Mas ele disse que se a gente falasse, eles iam atrás dos nossos filhos e parentes lá no Sul”.

Belo Monte


Sobre os clientes, ela conta que eram exclusivamente trabalhadores de Belo Monte. “Eram operários, eram gerentes, tinha de tudo. Todo mundo que trabalha na obra vinha na boate”, explicou.
O delegado Rodrigo Spessato diz não saber se o prostíbulo está dentro ou fora dos limites do canteiro de obras. A conselheira Lucenilda Lima relata, no entanto, que para chegar à boate foi preciso atravessar o canteiro de Pimental, um dos principais da usina. “Foi uma burocracia na entrada para a gente conseguir passar. E lá mesmo toda hora passavam os carros e tratores de Belo Monte, eu considero que a boate está na área da usina”.
Como Pimental fica no município de Vitória do Xingu, o caso está sendo apurado pela delegacia dessa cidade. O delegado local chegou a Altamira na manhã desta quinta-feira para tomar os depoimentos das vítimas. De acordo com o delegado de Altamira, que efetuou a prisão de dois funcionários da boate na noite passada, além de exploração sexual de menor, cárcere privado e trabalho escravo, o caso poderá ser caracterizado como tráfico de pessoas. Os donos estavam sendo procurados.
Pragmatismo Político 


O que leva Tarso Genro a empurrar a culpa pela tragédia na boate sobre a prefeitura de Santa Maria



Jogo imundo – Enterrados em sua maioria em Santa Maria a e outras cidades do Rio Grade do Sul, os corpos das vítimas da tragédia ocorrida em uma casa noturna, na madrugada do último domingo (27), ainda não esfriaram, mas a sordidez da política já começa a tomar conta do cenário.
Esse tipo de atitude por parte dos governantes já era esperado, pois não foi por acaso que a presidente Dilma Rousseff ordenou a ida de inúmeras autoridades à cidade da região central do estado gaúcho. Como antecipou o ucho.info, o segundo maior incêndio da história brasileira cedeu o lugar das chamas para que um governo paralisado e letárgico mostrasse serviço à parcela incauta da população. Lágrimas foram de encomenda, semblantes de tristeza eram encenação. Acima da dor dos familiares estão os interesses políticos.
Logo de início este site noticiou que em algum momento a responsabilidade recairia sobre o governo estadual, comandado pelo peremptório petista Tarso Genro, um incompetente conhecido que abusa da arrogância. O fato de o laudo de funcionamento ter sido emitido pelo Corpo de Bombeiros, que está sob o guarda-chuva do Executivo estadual, transferiria ao Palácio Piratini parte da responsabilidade pelo ocorrido.
O governo do Rio Grande do Sul é petista, mas a prefeitura de Santa Maria está sob o comando do peemedebista Cezar Schirmer. PT e PMDB sempre rivalizaram politicamente na terra de chimangos e maragatos, por isso não causa espécie a atitude de Tarso Genro de querer culpar a prefeitura de Santa Maria. Por trás dessa tentativa absurda de Genro estão interesses terceiros e escusos que a população sequer desconfia.
Homem sério e político honrado – é importante lembrar que aqui no ucho.info não se faz esse tipo de elogio por encomenda – Cezar Schirmer, enquanto deputado federal, foi o relator do processo de cassação do mensaleiro João Paulo Cunha. No plenário da Câmara dos Deputados o preciso relatório de Schirmer foi rejeitado, até porque a base aliada estava comprada, mas a documentação seguiu para a Procuradoria-Geral da República e para o Supremo Tribunal Federal, que na Ação Penal 470 condenou João Paulo Cunha à prisão.
Em outras palavras, agora já não mais importa o que ocorreu em Santa Maria, mas o PT não pode perder a oportunidade de dar o troco em alguém que ousou apontar o dedo a um corrupto do partido. Pobre Brasil, onde nem os mortos são respeitados!
by Ucho.info
Obs minha: No Brasil pode ser. No RS, nem a pau juvenal

Prefeitura de São Paulo lança o Bolsa Gôndola.




Já que Deus é Brasileiro, e São Pedro resolveu virar burguês reacionário fascista. E insiste em chover na cidade provocando caos no trânsito, alagamentos nas ruas e prejuízos à população.
A prefeitura de São Paulo através da genial gestão do PTralha Menino Malufinho Haddad, com o apoio do DESgoverno fedemal, cria o programa Bolsa Gôndola.
Você paulista burro que acreditou que o Menino Malufinho Haddad iria resolver os problemas de enchentes na cidade, troque seu carro que ficou submerso por uma romântica Gôndola.
Mesmo antes do programa ser lançado, a CÚt criou o sindicato dos gondoleiros de São Paulo, para agregar mais cumpanhêro vagabundo mamando em suas tetas.

Até uns seis meses atrás as enchentes em SP, eram culpa dos tucanos da direita golpista que queriam ver os pobres bebendo água em pé, agora o pobrema das inchenti é herança maldita do governo anterior.
Mas de efetivo mesmo em quase dois meses de gestão Malufinho, muito pouco foi feito e muito foi dito.
A cidade está com sorte, pois neste verão ainda choveu bem pouco. E os problemas continuam os mesmos.
Certo que em uma cidade do tamanho de SP, é complicado fazer uma população de milhões de habitantes, ainda mais brasileiros, entender que não se deve jogar lixo nas ruas.
E a cumpanherada catadora de papel, aqueles que o EX presidente, e agora a presidANTA, insistem em visitar todos os anos, são parte do pobrema, já que eles em busca de seus recicláveis, reviram o lixo que estava em sacos espalhando a sujeira pelo chão e entupindo os bueiros da cidade inteira.
Se alguém tiver estomago para dar uma circulada a pé pelo centro velho de SP num sábado em final de tarde saberá do que estou falando.
Os comerciantes colocam seu lixo nas calçadas para a coleta noturna, e os "catadores" espalham tudo em busca de algo que possa ser reaproveitado.
Sem contar que os moradores das favelas são os que mais jogam detritos nos rios que cortam a cidade, causando a diminuição da calha, e acumulando mais e mais lixo para o governo retirar. Fazuns 10/12 anos que limpam sem parar o Tietê e o Pinheiros e a situação não muda. Quando chove...alaga.
E quem prestar atenção nos monturos de lodo que sao retirados de dentro desses rios perceberá que de sofá velho a pneu de caminhão, tem de tudo dentro dos rios. Não tem, governo que de jeito num povo extremamente mal educado quanto o Brasuca.
Enquanto não fizerem campanhas sérias de conscientização da população no caso do lixo, e se não colocarem um fim nesta praga urbana que são os catadores, de nada adianta gastar fortunas com limpeza constante das cidades. Pois o maior problema das enchentes em SP, é a falta de educação da população.
E na hora que as chuvas vierem de verdade, o prefeito vai colocar a culpa em seu antecessor, e o Datena vai passar horas na TV falando mal dos Tucanos. Mas ninguém vai dar um pio que o problema de SP é seu próprio povo.
E vão preparando suas bóias que vem chuva por aí!!!

E PHOD@-SE!!!

by O Mascate

Passagem de asteróide terá transmissão ao vivo pela NASA

Vôo rasante

 http://www.ustream.tv/nasajpl2
 Laboratório de Propulsão a Jato da Nasa, o JP


Nesta sexta-feira, 15, às 17h25, horário brasileiro, um asteroide de 140 toneladas e 60 metros de comprimento fará um impressionante voo rasante e passará raspando em nosso planeta; tão perto que ele vai passar dentro do anel do tempo geoestacionário e satélites de comunicação. Segundo a Nasa, programas sofisticados de observação podem prever com precisão o caminho do asteróide e não há nenhuma chance de colisão com a Terra. O evento será transmitido ao vivo, direto da Austrália.

A transmissão ao vivo será feita pelo Laboratório de Propulsão a Jato da Nasa, o JPL e terá início 25 minutos antes da aproximação máxima. O evento terá comentários de especialistas e imagens ao vivo ou recuperadas (se o tempo meteorológico permitir) registradas por observatórios na Austrália. O tempo de transmissão será de 30 minutos.

Depois da máxima aproximação o asteroide ainda estará muito próximo da Terra e a transmissão ao vivo terá início algumas horas mais tarde, à meia-noite pelo horário de verão e se estenderá por 3 horas. As imagens serão captadas pelo telescópio do Marshall Space Flight Center, da Nasa, em Huntsville, Alabama.

A rocha
Batizada de 2012 DA14, a rocha move-se no espaço à incrível velocidade de 28 mil km/h e caso atingisse a Terra liberaria a mesma energia da explosão de 2.5 milhões de toneladas de TNT. Isso equivale a 130 vezes a potência da bomba atômica que destruiu a cidade de Hiroxima em 1945.

Em 1908, um cometa ou asteroide de dimensões similares explodiu na atmosfera da Terra acima da região do rio Tunguska, na Sibéria e varreu mais de 2 mil km quadrados de árvores. Esse evento ocorreu às 07h17 da manhã e se tivesse atingido o planeta cinco horas mais tarde destruiria por completo a cidade de São Petersburgo, na época capital do Império Russo.

Segundo relatos da época, a luminosidade foi tão intensa que era possível ler livros na cidade de Londres, distante mais de 10 mil quilômetros do local. Cálculos posteriores mostraram que a onda de choque circundou a Terra por duas vezes através da atmosfera.



De acordo com Don Yeomans, cientista-chefe do NEO, Laboratório de Objetos Próximos à Terra, da Nasa, caso o asteroide 2012 DA14 atingisse a Terra produziria um efeito muito semelhante ao evento de Tunguska.

O choque não aconteceria diretamente contra a superfície, já que a atmosfera terrestre ´frearia´ a rocha. Isso provocaria o superaquecimento do asteroide fazendo-o explodir em centenas de fragmentos, provocando uma violenta onde de choque. Segundo Yeomans, durante o evento de Tunguska a temperatura do ar ao redor da rocha pode ter chegado a 24 mil graus Celsius.

Dados sobre o asteroide 2012 DA14
Designação: 2012 DA14
Descoberta: 23 fev 2012 / Observatório de La Sagra
Categoria: Antes de 2013: Apollo. Após 2013: Aten.
Período orbital: Antes de 2013: 366 dias. Após 2013: 317 dias.
Rotação: +/- 6 horas
Altitude de aproximação: 27.700 km da superfície - 34.100 km do centro da Terra
Peso Estimado: 140 toneladas
Tamanho Aproximado: 60 metros
Velocidade: 28 mil km/h
Energia de impacto: 2.5 megatons



Queda de meteorito deixa centenas de feridos na Rússia



Vítimas tiveram ferimentos causados por estilhaços de vidro.
Mais de 100 pessoas tiveram que ser hospitalizadas.



Cerca de 500 pessoas ficaram feridas em consequência de um meteorito que atravessou o céu sobre a Rússia nesta sexta-feira (15), lançando bolas de fogo na direção da Terra, quebrando janelas e acionando alarmes de carros.
Segundo agências de notícias russas, o Ministério de Situações de Emergência do país informou que 514 pessoas ficaram feridas e buscaram assistência médica, incluindo 82 crianças. Destas, 112 foram hospitalizadas.
Moradores que estavam a caminho do trabalho em Chelyabinsk ouviram um barulho que parecia ser de uma explosão, viram uma luz forte e sentiram uma onda de tremor, de acordo com um correspondente da Reuters na cidade industrial, que fica a 1.500 quilômetros de Moscou.
O meteorito atravessou o horizonte, deixando um longo rastro branco em seu caminho que podia ser visto a até 200 quilômetros de distância, em Yekaterinburgo. Alarmes de carros soaram, janelas quebraram e telefones celulares tiveram o funcionamento afetado pelo incidente.
"Eu estava dirigindo para o trabalho, estava bem escuro, mas de repente veio um clarão como se fosse dia", disse Viktor Prokofiev, de 36 anos, morador de Yekaterinburgo, nos Montes Urais. "Me senti como se estivesse ficado cego pela luz", acrescentou.
Não foram relatadas mortes em consequência do meteorito, mas o presidente Vladimir Putin, que nesta sexta recebe ministros da Fazenda dos países do G20, e o primeiro-ministro Dmitry Medvedev foram notificados sobre os acontecimentos.
Não há informações sobre a relação da queda do meteorito com a passagem, nesta sexta, de um asteroide de 50 metros de comprimento a 27.700 km acima da superfície da Terra. A distância é menor do que a órbita dos satélites de comunicação.
Alguns veículos da imprensa chegaram a informar que uma chuva de meteoritos teria caído sobre os Urais.
Janelas de um centro esportivo ficaram destruídas após serem atingidas por meteoritos nos Montes Urais (Foto: Reuters)Janelas de um centro esportivo ficaram destruídas após serem atingidas por meteoritos nos Montes Urais (Foto: Reuters)
"Não foi uma chuva de meteoritos, mas um meteorito que se desintegrou nas camadas baixas da atmosfera", disse à agência "Interfax" a porta-voz do Ministério para Situações de Emergência da Rússia, Elena Smirnij.
Elena acrescentou que a onda expansiva provocada pela queda do corpo celeste quebrou as janelas de "algumas casas na região".
A porta-voz ministerial também informou que a queda do meteorito não alterou os níveis de radiação, que se mantêm dentro dos parâmetros frequentes para a região
.
by G1

GAME OVER. Perdemos. by Deise



Neste vídeo, sendo mesmo elaborado pelo PT ou não, mostra exatamente qual é o pensamento do PT para o Brasil e o golpe comunista que estão tentando implantar no Brasil. Neste vídeo, inclusive, é assumida a existência do Foro de São Paulo a ligação do PT com projetos para implantação do comunismo na América Latina e no Mundo.

- Link para ver as Atas do Foro de São Paulo: http://bit.ly/Y5bYpR
- Link para ver uma Apresentação de Como o Neocomunismo está sendo implantado no Brasil: http://slidesha.re/Wa0UII
- Link para o Dicionário Gramscista - http://bit.ly/10UTLjqhttp://youtu.be/5SquUVwhaRY











Após queda de meteorito na Terra, asteroide passará raspando hoje


Asteroide passará perto da Terra, porém sem oferecer perigo Foto: NASA / Reprodução
Asteroide passará perto da Terra, porém sem oferecer perigo
Foto: NASA / Reprodução

Apesar de existirem diversos planos diferentes para o caso de um asteroide entrar em rota de colisão com a Terra, não há definição nem garantia de que essas medidas funcionariam
Em 1908, a queda de um asteroide de 40 metros de diâmetro em Tugunska, na Sibéria, destruiu uma floresta de 2 mil quilômetros quadrados. A cidade de São Paulo, por exemplo, tem 1,5 mil quilômetros quadrados. Nesta sexta-feira, 15 de fevereiro, um meteorito caiu na Rússia e deixou, segundo dados ainda preliminares, pelo menos 500 feridos. E ainda hoje, um asteroide ainda maior do que o "siberiano", passará raspando (por definição cosmológica) pela Terra, imiscuindo-se entre satélites comerciais e delineando cenário digno de filmes de Hollywood. Neste caso, não será necessário chamar Bruce Willis e sua trupe de mineradores, como em Armageddon. Mas, no futuro, é possível que alguns asteroides precisem de uma ajudinha para desviar do nosso planeta.
​Segundo estimativas da Nasa, há 500 mil asteroides desse tamanho “próximos da Terra”. Desses, apenas 1% foram descobertos. "Não é ficção científica", diz Ulisses Capozzoli, editor da Scientific American e doutor em ciências pela Universidade de São Paulo (USP). "Esse asteroide serve para acender o sinal amarelo - quase laranja", adverte.
Por outro lado, o astrônomo Naelton Mendes de Araújo, da Fundação Planetário da Cidade do Rio de Janeiro, trata de tranquilizar aqueles que já estão de olhos arregalados e refazendo os planos para o futuro: "Grandes asteroides podem ser vistos de muito longe, e podemos prever sua trajetória com muita antecedência. Por isso, não há motivo para preocupação. Nenhum corpo celeste (asteroide ou cometa, de grandes proporções - o meteorito que caiu na Rússia ainda não foi medido, mas seria um corpo menor) foi identificado em rota de colisão com a Terra até hoje".
2012 DA14
O visitante deste dia 15 de fevereiro se chama 2012 DA14. Esse NEO (near-Earth Object, em inglês, ou seja, objeto próximo da Terra) possui 45 metros de diâmetro. Trata-se da primeira vez que um bólido desse tamanho em trajetória tão próxima do nosso planeta é previsto pelos radares. Às 17h24 (horário de Brasília), ele vai chegar mais perto da Terra (a 27,7 mil quilômetros) do que muitos satélites comerciais. Sabe-se que ele não vai atingir o nosso planeta, mas há chance de que ele colida com algum satélite.
Vídeo mostra queda de meteorito de diferentes ângulos; vejaClique no link para iniciar o vídeo
Vídeo mostra queda de meteorito de diferentes ângulos; veja
Se um asteroide com essa dimensão colidisse com o planeta, liberaria 2,5 megatons de energia e provocaria uma devastação regional, de acordo com a Nasa. Conforme a agência espacial americana, asteroides desse tamanho passam assim tão perto da Terra a cada 40 anos e, em média, um deve atingir o planeta a cada 1,2 mil anos.
O nome, 2012 DA14, revela que esse asteroide foi descoberto no ano passado. Uma equipe do La Sagra Sky Survey, no Observatório Astronômico de Mallorca, na Espanha, identificou o bólido no dia 23 de fevereiro de 2012. A observação foi repassada ao Minor Planet Center, onde registros de todos os observatórios são guardados. Além do DA14, outros corpos passarão perto do Planeta este ano.
Soluções
Se o registro do asteroide contivesse a perspectiva de uma colisão com a Terra, o problema seria grande. E o tempo para resolvê-lo, curto. Em menos de um ano, as agências espaciais teriam de alinhavar uma solução para desviar ou destruir o objeto, a fim de que ele não provocasse danos à Terra. "No momento, não há uma solução definitiva", afirma Capozzoli. "Os governos têm a obrigação de levantar essa questão, que talvez tivesse de ser levada até a ONU". Apesar de existirem diversos planos diferentes para o caso de um asteroide entrar em rota de colisão com a Terra, não há definição nem garantia de que essas medidas funcionariam para impedir o temido contato.
Simulação do 2012 AD14 Foto: NASA / Reprodução
Simulação do 2012 AD14
Foto: NASA / Reprodução
​Filmes como Armageddon apresentaram a ideia de que a destruição do asteroide com uma bomba nuclear pudesse se constituir de ideia razoável. O problema, nessa abordagem, é que o asteroide seria fragmentado e resultaria milhares de detritos que poderiam atingir a Terra.
De acordo com Araújo, o caminho mais adequado seria desviar o asteroide. "Se identificamos um corpo celeste com antecedência, basta uma mudança pequena na sua velocidade e direção para que não atinja a Terra", garante. "Não seria necessário destruir o asteroide. Bastaria levar pequenos foguetes à superfície do corpo. Uma vez ancorados os motores à superfície, poderíamos fazer pequenas correções na órbita". Segundo ele, essa tecnologia já é possível.
Grandes asteroides podem ser vistos de muito longe, e podemos prever sua trajetória com muita antecedência. Por isso, não há motivo para preocupação
Naelton Mendes de Araújoastrônomo da Fundação Planetário da Cidade do Rio
Apophis
Um dos asteroides mais ameaçadores registrados nos últimos anos se chama 99942 Apophis. Cientistas renomados, como o astrofísico Neil de Grasse Tyson, diretor do Hayden Planetarium, de Nova York (EUA), alertaram para a necessidade de uma preparação maior para o caso desse "killer asteroid" entrar em rota de colisão com a Terra. Em 2036, o gigante, sete vezes maior do que o 2012 DA14, poderia mergulhar no Oceano Pacífico, na Costa Oeste dos Estados Unidos, e gerar tsunamis devastadores com, no mínimo, danos bilionários às propriedades, caso a população fosse alertada e devidamente removida de toda a costa.
Por sorte, dados mais recentes, revelados no mês passado, mostraram que a probabilidade de impacto é menor do que 1 em 1 milhão. "Com os novos dados providos pelos observatórios de Magdalena Ridge e Pan-STARRS, acompanhados de dados do Golstone Solar System Radar, nós efetivamente descartamos a possibilidade de um impacto com a Terra do Apophis em 2036", disse Don Yeomans, gerente do escritório do programa Near-Earth Object da Nasa.
Nasa divulgou imagem de simulação da passagem do asteroide 2012 DA14. Agência vai monitorar o asteroide Foto: NASA / Reuters
Nasa divulgou imagem de simulação da passagem do asteroide 2012 DA14. Agência vai monitorar o asteroide
Foto: NASA / Reuters
Potencialmente perigosos
​O Apophis não é único. Há asteroides de tamanhos tão variados quanto 20 metros e 900 quilômetros de diâmetro. Estima-se que o asteroide que teria liquidado os dinossauros possuísse 10km de diâmetro. Ao todo, a Nasa classifica mais de 4,7 mil objetos próximos da Terra como "potencialmente perigosos". Nessa conta, entram todos os bólidos espaciais maiores do que 100 metros de diâmetro, suficientemente grandes para resistir à entrada na artmosfera terrestre e de órbita relativamente próxima da do nosso planeta. "Mas isso não significa que irão colidir com a Terra - apenas devem ser acompanhados com atenção", explica Araújo."Depois que o Apophis deixou de ser uma ameaça, não conheço nenhum outro candidato a impacto".
O problema é justamente esse. Os maiores asteroides são descobertos antes. Dependendo do tamanho do asteroide e de outros fatores, contudo, ele pode ser detectado com apenas dias ou meses de antecedência. Por isso, Capozzoli defende um maior investimento na defesa contra possíveis bólidos espaciais, com o aumento do número de observatórios e uma discussão maior sobre o tema.
Missões
Com um período tão pequeno entre a detecção e o impacto, não haveria tempo de debater soluções. A preocupação, porém, esbarra nos cortes de verbas de agências como a Nasa, afetada pela crise financeira dos Estados Unidos. Atualmente, a agência tem duas missões relacionadas a asteroides: a sonda Dawn, que se encontra em órbita com o asteroide Vesta e a caminho do planeta-anão Ceres, no cinturão de asteroides, e a espaçonave OSIRIS-REx, com lançamento previsto para 2016, e o objetivo de coletar amostras de asteroides próximos da Terra. Apenas na década de 2020 deve haver uma missão tripulada a um asteroide.
Até que se estude com mais acurácia a formação dos asteroides e sua composição, diversas alternativas para destruí-los ou desviá-los seguem em análise. Duas delas, que se utilizam de luz solar, são bastante peculiares. "A primeira seria usando espelhos que focalizariam a luz sobre um ponto da superfície vaporizando a rocha (ou gelo) e criando uma espécie de jato de gás que agiria como um motor foguete", conta Araújo. "Outra maneira ainda mais curiosa seria pintar algumas partes do asteroide com um pigmento branco refletor. A luz solar exerceria uma pressão de radiação cuja pequena aceleração seria suficiente para desviar o corpo e evitar o impacto".

Guarda Espacial
Uma das organizações que analisa esses bólidos é a Space Guard, centro britânico que se dedica à detecção de asteroides e cometas e à proteção da Terra em caso de colisão. Ela introduz assim a preocupação com asteroides próximos do nosso planeta: "Quando nós vimos outros planetas do Sistema Solar pela primeira vez, ficou claro que algo estava acontecendo. Toda a superfície sólida e estável que víamos estava coberta de crateras... Havia evidências de bombardeamentos massivos do espaço - exceto na Terra".
Porém a tecnologia permitiu vislumbrar uma realidade mais assustadora: "Então nós começamos a olhar para a Terra de fora, usando satélites e espaçonaves, e tudo mudou de novo. Crateras de todo tipo começaram a aparecer... Fica muito claro que esse bombardeamento não terminou há milhares de anos. Esse é um problema que nós ainda enfrentamos".
by Uol

O fim da miséria?



J. R. GUZZO
O governo divulgou no início de fevereiro vitórias importantes contra a miséria e prometeu que a partir do mês que vem não existirá mais pobreza extrema no Brasil. Isso quer dizer que não haverá ninguém, já agora em março, com renda inferior a 70 reais por mês em todo o território nacional. Segundo os critérios oficiais em vigor, geralmente avalizados por organismos internacionais, essa quantia é a marca que define quem é quem na escala social brasileira. O cidadão que tem uma renda mensal de 70 reais, ou menos, é um miserável oficial; quem consegue passar esse limite já não é mais. “Tiramos, entre 2011 e 2012, mais de 19,5 milhões de pessoas da pobreza extrema”, afirmou a presidente Dilma Rousseff. “Até o mês de março vamos zerar o cadastro”. Segundo o governo, há no momento 600.000 famílias nesse registro; não haverá mais ninguém dentro de um mês, salvo um número incerto de cidadãos que estão na miséria, mas não no cadastro. Esses ainda terão de ser encontrados para receber do Tesouro Nacional, a cada mês, os reais que vão salvá-los.
Pode haver erros nessas contas, é claro, mas não se trata de números argentinos: basicamente, retratam a realidade aproximada da fossa social brasileira. A dimensão numérica, portanto, está certa. O problema é que ela também está errada ─ pois leva o governo a concluir que a miséria está acabando no Brasil, quando é mais do que óbvio que ela continua existindo, e existindo à toda. A primeira dificuldade com a postura oficial está na pessoa verbal utilizada pela presidente. “Tiramos” da miséria, disse ela ─ uma apropriação indébita da realidade, pois quem tirou aqueles milhões de brasileiros da linha inferior aos 70 reais não foi ela nem seu governo, e sim o contribuinte brasileiro. Foi ele, e só ele, quem sacou o dinheiro de seu bolso, através dos impostos que paga até para comprar um palito de fósforo, e o entregou às coletorias fiscais; se não fosse assim, não haveria um único tostão a distribuir para pobre nenhum.
Trata-se de um vício incurável nos circuitos neurológicos dos governantes brasileiros. Acreditam na existência de uma coisa que não existe: “dinheiro do governo”. É como acreditar em disco voador. A diferença é que tiram proveito de sua crença; é o que lhes permite dizer “eu fiz” tantas escolas, tantos quilômetros de estrada e por aí afora, como se o dinheiro gasto em tudo isso tivesse saído de sua própria conta no banco.
O problema essencial, porém, está na lógica. Como nos ensina Mark Twain, que elevou o bom senso à categoria de arte em quase tudo o que escreveu, existem três tipos de mentira: a mentira, a desgraçada da mentira e as estatísticas. Esse anúncio do fim da pobreza extrema é um clássico do gênero. A estatística precisa, obrigatoriamente, de um número fixo para definir qualquer coisa que pretende medir, assim como um metro precisa ter 100 centímetros. No caso, o número escolhido, e aceito por organizações imparciais mundo afora, foi 70 reais ─ mas não faz absolutamente nenhum nexo afirmar que uma pessoa que ganhe 71 reais por mês, ou 100, ou 150, tenha saído da miséria. O resumo dessa ópera é claro. Daqui a alguns dias, não haverá mais miseráveis nas estatísticas do Brasil; só haverá miseráveis na vida real. Além disso, seremos provavelmente o único país do mundo em que a miséria teve uma data certa para desaparecer. O governo poderá dizer: “O Brasil acabou com a miséria no dia 15 de março de 2013, às 18 horas, ao fim do expediente na administração federal”.
Praticamente nenhum cidadão brasileiro, ao sair todo dia de casa, leva mais do que 15 minutos para dar de cara com alguma prova física de miséria. Mas, do mês de março em diante, terá de achar que não viu nada. Se procurar alguma autoridade para relatar o fato, ouvirá o seguinte: “O senhor deve estar enganado. Não há mais nenhum miserável no Brasil”. É assim, no fim das contas, que funciona o sistema cerebral do governo. A realidade não é o que se vê. É o que está no cadastro.


PUBLICADO NA REVISTA EXAME


As famílias prejudicadas pela lei de cotas sociais

Famílias de baixa renda suaram para pagar escolas privadas para seus filhos. Agora, eles terão mais dificuldades para entrar em universidades públicas


ESFORÇO O casal Alexandre e Márcia (em pé), com as filhas Drielly e Isabele (no colo). Sem direito a cotas (Foto: Camila Fontana/ÉPOCA)
ESFORÇO
O casal Alexandre e Márcia (em pé), com as filhas Drielly e Isabele (no colo). Sem direito a cotas (Foto: Camila Fontana/ÉPOCA)
 taxista Alexandre de Oliveira, de 41 anos, e a dona de casa Márcia da Luz Oliveira, de 46, tentaram colocar as filhas Drielly, de 17, e Isabele, de 10, numa escola da rede pública perto do bairro onde moram, em Guarulhos, São Paulo. Mudaram de ideia quando, num dia de chuva, foram chamados à escola para buscar a filha mais velha, na época com 6 anos. “A sala de aula estava inundando, e ela estava em cima da mesa, fugindo da água”, diz Márcia. “Depois disso, resolvemos que nos sacrificaríamos para dar condições melhores para nossas filhas estudarem e garantirem uma vaga numa universidade pública.” Para pagar o colégio particular e o curso de inglês das duas filhas, Alexandre trabalha 15 horas por dia. A longa jornada é mantida há dez anos e, segundo ele, afeta sua saúde. Alexandre tem dores crônicas nas pernas e está acima do peso. A casa onde a família mora é alugada, e os momentos de lazer são poucos. “A prioridade sempre foi a educação das meninas, e, para isso, abrimos mão de muita coisa”, diz Márcia.


O esforço de Alexandre e Márcia para garantir a suas filhas o acesso a uma boa universidade pode ter sido em vão. Com a entrada em vigor da lei de cotas sociais, sancionada pela presidente Dilma Rousseff em agosto do ano passado, os alunos que fizeram o ensino médio na rede pública têm agora mais chances de conseguir uma vaga em universidades públicas federais. A lei também deve afetar as universidades estaduais mais concorridas do país – a Universidade de São Paulo (USP), a Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e a Universidade Estadual Paulista (Unesp) – com uma notável diferença: com a nota do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), os candidatos cotistas ingressarão num curso preparatório de dois anos. Se, ao final do período, tirarem mais que 7 numa prova, irão direto para a universidade. Em termos de vagas, a lei federal de cotas obriga as universidades federais a reservar pelo menos 12,5% das vagas para alunos de escolas públicas. Até o vestibular de 2016, o total de vagas reservadas crescerá gradualmente até atingir 50% do total. Dessas, a metade se destinará a estudantes cuja renda mensal familiar é menor ou igual a um salário mínimo e meio por pessoa. Nos dois casos, será dada prioridade aos candidatos negros egressos da escola pública. Desde que obedeçam ao mínimo estabelecido pela lei, as universidades federais podem criar sua própria política de cotas. A Universidade de Brasília (UnB) reserva 20% de suas vagas para estudantes negros desde 2004. Com a nova lei, a UnB dará mais 14,5% das vagas para estudantes de escola pública. Em 2016, 70% de suas vagas serão destinadas ao sistema de cotas.

767 a mensagem cotas (Foto: reprodução/Revista ÉPOCA)
Ao mesmo tempo que ajudam estudantes de escolas públicas a conseguir uma vaga em boas universidades, as cotas para estudantes de escolas públicas criam um problema para milhares de famílias que se empenharam em pagar um colégio particular para os filhos, muitas vezes fazendo sacrifícios para isso. As mensalidades que cabem no orçamento de famílias como a de Alexandre não são de colégios particulares renomados. São escolas menores e mais baratas, que servem como alternativa à baixa qualidade da educação da rede pública. A notícia das cotas desanimou a família. “As vagas para estudantes da rede privada serão ocupadas por quem estudou nos melhores colégios, os mais caros. Não é o caso delas”, diz Alexandre. “Minhas filhas não entram em nenhuma cota.” O taxista faz planos, caso Drielly não consiga uma vaga pública para o curso de engenharia civil: ela terá de estudar numa faculdade particular de nível médio e provavelmente terá de arranjar um emprego para ajudar a pagar as mensalidades. “Criar um sistema que ajude pessoas menos favorecidas a estudar é uma coisa boa. Mas cotas talvez não sejam a melhor saída. 


Enquanto beneficiam uma parcela da população, também prejudicam outra”, diz Maria Márcia Malavazi, diretora do curso de pedagogia da Unicamp. Outros acadêmicos acreditam que a função de pensar na inclusão não é exclusiva das universidades públicas. “Acho justo que as pessoas com menos oportunidades tenham ajuda na hora de conseguir uma vaga nas universidades públicas por meio das cotas”, diz Célia Forghieri, membro da pró-reitoria comunitária da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP). “Mas também não podemos deixar de lado as pessoas humildes que se esforçaram para dar uma educação básica melhor aos filhos. Uma boa saída seria ampliar o número de bolsas em boas faculdades particulares.”

DESVANTAGEM Ariane entre a mãe, Marisa, e o pai, Lenaldo. Ela tem menos chance  de entrar na universidade (Foto: Camila Fontana/ÉPOCA)
DESVANTAGEM
Ariane entre a mãe, Marisa, e o pai, Lenaldo.
Ela tem menos chance de entrar
na universidade (Foto: Camila Fontana/ÉPOCA)
Qualquer que seja o formato do sistema de cotas, está claro que os 7 milhões de alunos matriculados na rede privada de ensino do Brasil terão de batalhar mais que os colegas da rede pública se quiserem uma vaga numa universidade estadual ou federal. Segundo dados do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), em 2011 o total de matrículas nas universidades brasileiras foi de 6,7 milhões. Destas, 77% foram em instituições privadas, e o restante em universidades públicas. Neste ano, os alunos de escolas privadas que tentam uma vaga pelo Sistema de Seleção Unificada (Sisu) já sentiram a pressão. O Sisu é um sistema do governo, acessado pela internet, que seleciona os melhores candidatos do Enem para as vagas das universidades federais. O candidato se inscreve no programa, informa sua nota do Enem e em que curso e universidade quer estudar. O computador distribui os candidatos, de acordo com as notas, pelas vagas disponíveis. De mais de 1,8 milhão de candidatos que se inscreveram em 2013, 44% pleitearam uma vaga pelo sistema de cotas.


A possibilidade de conseguir uma vaga diminuiu para a filha do técnico em mecânica Lenaldo dos Santos Filho, de 47 anos. Ele e sua mulher, Marisa Franco Santos, de 55, balconista, trabalham até 12 horas por dia. O dinheiro não é usado para passeios, viagens, nem para finalizar a obra da casa onde moram, em Guarulhos, São Paulo. Todo o esforço é voltado para a educação da única filha do casal, Ariane, de 17 anos. Ela está no 3o ano do ensino médio e sonha em estudar Direito numa universidade pública. “Com as cotas, sei que minhas chances diminuíram”, diz. Mesmo podendo concorrer por meio das cotas para negros, Ariane seria excluída do benefício das cotas sociais, por ter estudado em escola particular. Com isso, concorre a menos vagas que estudantes negros de escola pública. “Meu marido e eu não tivemos a oportunidade de estudar. Apenas terminei o ensino médio, e ele o supletivo. Queríamos dar a Ariane a chance que não tivemos”, diz Marisa. Lenaldo não se arrepende do esforço. “A única herança dela será a educação. Isso eu faço questão de deixar para minha filha”, diz. by - Época

STF custará R$ 2 milhões por dia em 2018.

       O Supremo Tribunal Federal (STF) tem um orçamento de R$ 714,1 milhões previsto para este ano. O montante representa um custo de...