Rede rejeita Dilma, e Marina decide sozinha se apoia Aécio

Campanha

Ex-senadora desistiu de participar da reunião de sua coligação após encontro com FHC e decisão das siglas de definirem individualmente apoio no 2º turno

Talita Fernandes
Candidata à Presidência da República pelo PSB Marina Silva durante comício em Ceilândia, na periferia de Brasília (DF) - 14/09/2014
Marina Silva deve anunciar sua decisão nesta quinta (Ueslei Marcelino/Reuters)
Depois de o PSB definir apoio ao candidato tucano, Aécio Neves, no segundo turno, partidos que compõem a coligação pela qual Marina Silva disputou a Presidência definiram que vão tomar individualmente a decisão sobre quem apoiar agora. Entre os que desembarcaram da coligação Unidos pelo Brasil – formada por PSB, PHS, PPL, PPS, PRP, Rede Sustentabilidade e PSL – está a Rede Sustentabilidade, agremiação política idealizada por Marina. O PHS também soltou nota nesta quarta, dizendo que definirá sozinho o seu posicionamento no segundo turno. Na terça, o PPS já havia declarado apoio a Aécio. A postura dos partidos faz com que Marina decida sozinha sobre qual posicionamento tomará no segundo turno.

Leia também:
PSB define apoio a Aécio Neves no segundo turno
Aécio recebe apoio do PSB e repete lema de Campos
Eduardo Jorge, do PV, declara apoio a Aécio Neves 

Rede – Após dois dias de reunião, a Rede se pronunciou na noite desta quarta, apoiando o voto a Aécio. Porém, como alguns dos membros do diretório rejeitam o apoio formal ao tucano, a decisão foi de rejeitar, com unanimidade, o apoio à candidatura da petista Dilma Rousseff e de abrir a possibilidade para votos nulos e brancos. "Decidimos que em hipótese alguma haverá apoio à candidata Dilma. Nós acreditamos que o Brasil tem necessidade de produzir alternância democrática", declarou o ex-deputado federal Walter Feldman, porta-voz da Rede.  A ex-ministra Eliana Calmon, que é integrante da Rede, resumiu a decisão do grupo. "Eu sou mais pragmática: Não à Dilma, sim ao Aécio, mas com o nosso programa, com os pontos que destacamos. Foi isso que decidimos. Deixando que haja a possibilidade de as pessoas da Rede votarem em branco ou nulo", declarou. Embora os porta-vozes tenham dito que a Rede não fará campanha para o tucano, Eliana admitiu que poderá participar de eventos de campanha de Aécio. "Se ele for à Bahia eu subo no palanque", disse.

Feldman disse ainda que o posicionamento da Rede não reflete a posição de Marina. “Não é a decisão da Marina. A decisão dela se dará após ouvir os partidos coligados, o que será amanhã, quando ela saberá a posição individual dos partidos", disse. A candidata derrotada do PSB desistiu, de última hora, de participar da reunião dos partidos coligados, agendada para esta manhã em Brasília, quando ela deveria se posicionar sobre o apoio no segundo turno. Os motivos da desistência de Marina não foram divulgados e não há confirmação de que ela faça seu anúncio na quinta, como estava previsto.

Após a divulgação da derrota nas urnas, no último domingo, Marina sinalizou um apoio a Aécio Neves, ao dizer que não se manteria neutra, como fez em 2010. Embora não haja definição do posicionamento da ex-senadora, Feldman disse na tarde desta quarta que Marina terá voz no segundo turno. "Ela vai acompanhar ativamente, mas não terá o dinamismo e a profundidade que tem uma candidata", disse Feldman. Ele, contudo, disse que é a própria Marina quem deve detalhar essa participação ativa, depois de anunciar formalmente sua posição, se de apoiar Aécio ou ficar neutra.

FHC – Antes de desistir de participar do encontro de quinta, Marina se reuniu com o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso. Embora assessores próximos à Marina não tenham esclarecido os assuntos abordados, o ex-presidente sinalizou aproximação com a ex-senadora ainda antes da conclusão do primeiro turno.
by Veja

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

PALETES E CAIXOTES DE MADEIRA NA SUA CASA JÁ!

Reencarnação e Alma dos Animais por Chico Xavier

A flor mais rara do mundo