terça-feira, 12 de junho de 2018

STF custará R$ 2 milhões por dia em 2018.

      O Supremo Tribunal Federal (STF) tem um orçamento de R$ 714,1 milhões previsto para este ano. O montante representa um custo de quase R$ 2 milhões por dias para os cofres públicos, segundo a organização Contas Abertas.
   A maior parcela dos recursos é destinada ao pagamento de pessoal: R$ 455,7 milhões estão previstos para despesas com pessoal e encargos sociais em 2018. Essa natureza de gastos destina-se à despesa com o pagamento pelo efetivo serviço exercido de cargo/emprego ou função no setor público, quer civil ou militar, ativo ou inativo, bem como as obrigações de responsabilidade do empregador.
   Nessa rubrica estão incluídos os salários dos ministros do STF. Dos 11 ministros da Corte, quatro ganham R$ 33.763,00, o teto do funcionalismo público. Os outros sete recebem o salário bruto de R$ 37.476,93, graças ao chamado “abono de permanência”. Trata-se de uma quantia adicional (neste caso, de R$ 3.713,93) paga mensalmente aos servidores que já podem se aposentar, mas optam por permanecer em atividade.
   As despesas correntes somam o orçamento de R$ 216,5 milhões este ano. No valor estão inseridos gastos com a manutenção das atividades dos órgãos, cujos exemplos mais típicos são: material de consumo, material de distribuição gratuita, passagens e despesas de locomoção, serviços de terceiros, locação de mão de obra, arrendamento mercantil, auxílio alimentação etc.
   Já os investimentos, que são as obras e equipamentos a serem realizados, somam a previsão de R$ 41,9 milhões.
   Os ministros do STF possuem cerca de 90 dias de recesso durante o ano. Só as férias coletivas dos 11 integrantes do tribunal somam 60 dias. No final do ano, os ministros param de trabalhar em 20 de dezembro em razão do recesso forense, segundo determina lei de 1966. Retornam apenas em 1º de fevereiro, após as férias coletivas. O calendário é próximo ao praticado por universidades e outras instituições de ensino.
by contraponto.

terça-feira, 5 de junho de 2018

Como no Jornalismo NAO EXISTE MAIS 'ouvir os dois lados', vamos de duas máterias totalmente antagônicas. Enquanto ficamos nós, O POVO SOBERANO, no papel de MARISCO!

Jogar a culpa no PT vai colar cada vez menos

desculpas-capa

Michel Temer investiu-se de uma missão árdua: convencer as pessoas a gostarem de seu governo mesmo que não tenham a menor razão para tanto. Ele acredita nos poderes mágicos da mídia omissa e dos marqueteiros espertalhões.
Para o autoproclamado “presidente da República” – que muitos preferem chamar de usurpador –, porém, é perfeitamente possível a vida das pessoas continuar piorando e elas continuarem colocando a culpa nos “governos anteriores” ad aeternum.
No mundo real, porém, teria que fazer mágica para conseguir algo meramente parecido com apoio popular. Então ele tentou fazer.
Em comunicado divulgado no Portal Brasil sob o título “120 dias com coragem para fazer as reformas de que o Brasil precisa”, Temer começa mentindo – contabiliza apenas 120 dias de gestão, sendo que assumiu há exatos 232 dias.
Para fazer mágica, Temer diz que sua “posse efetiva” ocorreu há 120 dias, mas o mesmo Temer disse, recentemente, que ignorou a condição de interino e governou desde maio “como se efetivo fosse
Será que Temer esqueceu o que disse? Claro que não. Ele sabe que pouca gente neste país se informa corretamente sobre política – lendo e ouvindo os dois, três, quatro lados, enfim, quantos lados houver.
Temer fala em “coragem”, mas tem evitado comparecer a palanques, estádios e até velórios por medo de ser vaiado.
O comunicado temerário enumera 40 medidas “que já se tornaram realidade”, como se tudo que se tornasse realidade fosse bom. Desastre de trem pode se tornar realidade e nem por isso é bom.
É o caso das medidas econômicas que perpetrou ou está para perpetrar com a cumplicidade do mesmo Congresso que é seu comparsa no golpe para derrubar o governo legítimo do Brasil.
Temer diz que a reforma da Previdência vai garantir a aposentadoria “das gerações atuais e futuras”, mas não explica, por exemplo, que há Estados onde a expectativa de vida dos homens é de 65 anos, idade em que começaria a aposentadoria só de quem começou a trabalhar aos 15 anos de idade e nunca ficou desempregado.
Diz que o governo assegurou a “moralização das nomeações nas estatais”. Há poucas semanas, Temer loteou seis vice-presidências da Caixa entre partidos aliados. As nomeações atenderam a PSDB, PP, PR, PSB, DEM e PRB.
Temer gaba-se do teto de gastos públicos que irá vigorar por 20 anos e que deve promover um desaquecimento dramático da econômica em um momento em que o país precisaria voltar a crescer e, para tanto, precisaria que o Estado liderasse os investimentos.
Temer disse que está fazendo ajustes nas contas públicas sem criação de novos impostos. Sim, claro, porque vai tirar dinheiro da Saúde, da Educação, do saneamento básico, do transporte, da Segurança Pública para que ricos não paguem mais impostos, já que pobre não tem como pagá-los porque mal ganha para sobreviver.
Será tão difícil explicar isso ao povo? Duvido.
Temer ainda fala de bobagens como “redução do número de ministérios”, medida que não representou nada, feita para enganar trouxas, já que as pastas que existiam com microestruturas continuarão assim, agora fundidas.
Só muda a contabilidade do número de pastas, não o gasto com elas. E, se mudar, não muda pela extinção de pastas, mas pelo recém-criado “teto de gastos públicos”.
Temer se gaba da Lei que desobriga a Petrobras a ser operadora de todos os blocos de exploração do pré-sal, quando esse é um passo para a desnacionalização da gigantesca reserva petrolífera, que, nos próximos anos, os golpistas tentarão doar ao capital estrangeiro em troca de gordas propinas.
O usurpador Michel Temer ainda tenta engabelar a sociedade dizendo que fez a inflação cair, quando se sabe que ela começou a cair em janeiro, muito antes de Dilma ser derrubada pelo Senado.
desculpas-1
Mas não importa muito o que os golpistas pensam, o que importa é que eles só conseguirão fazer a mágica de que precisam para não serem defenestrados pelo voto em uma eleição que pode ocorrer tanto em 2018 quanto no ano que entra se conseguirem aliviar a situação aflitiva em que o povo está mergulhando cada vez mais.
Mas como Temer fará a vida do povo melhorar? 
O congelamento de gastos públicos inibe o grande motor de investimentos, o setor público. E o setor privado cansou de pregar essa peça no Brasil dizendo que só vai investir se o país arrochar salários, direitos, programas sociais.
Vai ser difícil o país se recuperar do que os golpistas estão fazendo. E o pior talvez nem seja a retirada de direitos, arrocho dos salários, da previdência, dos programas sociais, mas a doação do pré-sal. Esse vai ser o maior roubo do mundo.
Mas nem tudo é má notícia. A continuidade dessa desgraça mal chamada de “governo” Temer vai devolver o juízo ao povo – e, quando se diz “povo”, não é alusão àqueles vagabundos que vestiram camiseta da Seleção, mas ao povão mesmo, aos brasileiros que carregam este país nas costas em suas extenuantes jornadas de trabalho assalariado.
O prejuízo aos brasileiros que será causado por essas reformas será fortemente sentido e vai fazer piorar a vida de todo mundo. E aí entrará de novo em campo o fenômeno que fez o povo condescender com o golpe parlamentar contra Dilma.
Os brasileiros gostam de milagres – deve ter algo a ver com a religiosidade desmesurada deste povo. Acreditamos, os brasileiros, que tirando o PT do poder tudo entraria nos eixos, como diziam os golpistas. Acreditaremos que, trazendo Lula de volta, retornará a prosperidade que permeou todo o seu governo de oito anos.
Na verdade, para impedir que o PT dê a volta por cima a mídia e seu braço policial (Lava Jato) sabem que só resta a extinção autoritária do partido, por decisão de Estado. E a prisão de Lula, claro. Sem esses dois atos de arbítrio, o PT e Lula voltam muito antes do que se pensava.
Isso é o que resulta da mentira. Se o inferno existir, deve ser um lugar em que você tem que ficar correndo atrás das mentiras que será obrigado a contar dia após dia.
A mentira é mais torturante para quem a conta do que para quem a escuta. O mentiroso tem que ir contornando e escondendo os fatos, senão eles vêm à tona. E é isso o que vai acontecer com os golpistas.
Por enquanto, vão ficar com essa malandragem de tentar fazer as pessoas acharem que eles estão há pouco tempo no poder. E de atribuírem a Dilma, a Lula e ao PT a culpa pela sabotagem que eles praticaram no Congresso e com a Lava Jato.
Mas como será daqui a seis meses, quando as medidas duras que foram propostas agora ao Congresso já estiverem se fazendo sentir?
 Vai ser uma desgraça. 
O povo vai ficar furioso quando vierem com a desculpa de que a culpa é do PT, do Lula, da Dilma…

Sim, é tudo culpa do PT


by Ilisp
Fev/2018
Agora, diante das especulações de que Michel Temer pretende utilizar a intervenção no Rio para construir sua candidatura à “reeleição”, petistas estão dando novos faniquitos como se Temer não tivesse nada, nadinha, a ver com eles.Petistas e isentões estão indignados com a intervenção federal na segurança pública do Rio de Janeiro. Pior: não aceitam a responsabilidade do Partido dos Trabalhadores (PT) sobre a explosão da violência urbana. Aliás, não aceitam que o PT seja responsabilizado por nada de errado. O máximo que fazem é reconhecer que o partido cedeu ao (P)MDB. Foi contaminado. Coagido. Coitado!
Vamos aos fatos.
O PT cresceu apontando culpados pelos problemas brasileiros. Primeiro, José Sarney. Depois, Fernando Collor e Fernando Henrique Cardoso.
Por mais de vinte anos, Lula e seus partidários gritaram que o Presidente da República e o partido que o abriga têm responsabilidade direta sobre tudo o que acontece no país.
Foi assim que o Partido dos Trabalhadores conquistou o apoio da imprensa, de artistas, dos “intelectuais”, das representações estudantis, dos funcionários públicos, dos sindicatos e movimentos disso e daquilo.
Como solução, os petistas diziam que o Brasil precisava ser governado por pessoas abnegadas e comprometidas com os interesses dos mais pobres. Não por acaso, essas pessoas eram eles mesmos.
Com esse discurso, o PT chegou ao poder.
Lula teve tudo para construir um país melhor, mais justo, fácil e seguro. Teve apoio dentro e fora do Congresso. Contava com aprovação popular na casa dos 80%.
Lula teve dinheiro. A arrecadação do governo federal duplicou em seu governo. Nenhum outro presidente teve condições tão boas para governar, fazer o certo, melhorar o Brasil. Mas Lula não quis. Optou por chamar para junto de si todos os párias da política nacional. Abraçou Sarney e Collor. Repartiu a máquina pública entre (P)MDB e outros partidos aliados. Para financiar suas campanhas eleitorais e seus militantes, o PT institucionalizou e expandiu a corrupção brasileira a níveis nunca vistos, segundo delatores da Lava Jato.
O Lula é o PT. O PT é o Lula.
Foi Lula quem escolheu Dilma para sucedê-lo. Foi Lula que apoiou Michel Temer para ser o vice dela.
Programas de crédito subsidiado pelo BNDES, emissão de títulos da dívida, Medidas Provisórias, nomeação de diretores em estatais… Tudo isso depende da assinatura do Presidente da República.
O esquema entre Temer e a JBS foi iniciado e alimentado durante os governos Lula e Dilma.
Lula e Dilma fizeram campanha para Sérgio Cabral e Eduardo Paz.
Lula e Dilma nunca manifestaram interesse em acabar com o foro privilegiado, nem com os super salários e pensões que estão corroendo as contas públicas.
Foram Lula e Dilma que entupiram o estado com militantes e amigos deles.
Depois de 13 anos de PT, os jovens pobres continuam saindo das escolas mal sabendo escrever seus próprios nomes. Cerca de 27% dos brasileiros são analfabetos funcionais e 30% dos brasileiros nunca leram um único livro na vida.
O PT recebeu um país com taxa de evasão escolar de 7,6% e entregou com 16,5%.
Quando Lula foi eleito, 9,5% dos jovens não trabalhavam. Quando Dilma saiu, esse percentual estava em 25,8%.
Depois de 13 anos de PT, metade dos domicílios brasileiros continuam sem acesso a rede de esgoto e 30% não têm acesso a água tratada.
Depois de 13 anos de PT, metade dos trabalhadores continua ganhando menos de um salário mínimo por mês, 20 milhões de pessoas ganham menos de R$ 140 e quase 9 milhões de pessoas encontram-se na extrema pobreza com renda abaixo de 70 reais.
Depois de 13 anos de PT, metade dos nordestinos dependem do Bolsa Família para viver.
Depois de 13 anos de PT, mais de 60 mil pessoas são assassinadas por ano e a taxa de elucidação de homicídios chega a ser de 4% no Pará. Outros 21 estados sequer sabem quantos homicídios são elucidados anualmente.
Nunca antes na história deste país os bancos lucraram tanto quanto nos governos Lula e Dilma.
Ambev, Eike Batista e suas empresas, JBS, Lojas Riachuelo, OAS, Odebrecht e tantas outras grandes empresas foram infladas com dinheiro que o PT roubou dos brasileiros.
O PT roubou mais de R$ 70 bilhões dos funcionários da Caixa Econômica, do Banco do Brasil, da Petrobrás e do Correios. Roubou mais de R$ 100 milhões de milhares de funcionários públicos. Segundo o TCU, 578 mil contratos da Reforma Agrária e mais de 1,1 milhão de cadastros do Bolsa Família estavam irregulares.
Junto com outros partidos, o PT roubou R$ 42 bilhões da Petrobrás.
É preciso repetir: era o PT que ocupava a Presidência da República. Era o PT que tinha o poder das decisões.
Antes de ser afastada, Dilma cortou bilhões de reais em verbas de todas as áreas.
Considerando que a esquerda acredita que uma pequena minoria da população enriquece às custas da pobreza da grande maioria, devemos concluir que o PT foi o maior vetor de desigualdade social da história desse país.
Pesquisa publicada pelo IPEA mostra que a única parcela da população que teve aumento de renda durante o segundo mandato de Dilma foi a dos super ricos, pessoas com renda acima de R$ 150 mil por mês. O restante da população teve redução na renda.
A intervenção federal na segurança pública do Rio de Janeiro só está acontecendo porque durante 13 anos o PT ignorou a pauta, mantendo as fronteiras escancaradas para a entrada de armas compradas por criminosos e incentivando a delinquência.
Durante os governos do PT, a criminalidade explodiu nas regiões mais pobres do Brasil. No Amazonas, Ceará, Maranhão, Rio Grande do Norte, Sergipe e Tocantins, o número de homicídios aumentou 100%. No Rio Grande do Norte, o aumento foi de 232%.
Como se fosse pouca culpa, Lula e o PT ainda se dedicam a atacar a Lava Jato, o que beneficia dezenas de políticos corruptos, incluindo o tucano Aécio Neves.
O PT tem culpa até no colapso econômico da Venezuela, uma ditadura socialista que foi financiada com empréstimos bilionários do BNDES.
O Partido dos Trabalhadores não promoveu “avanços sociais”. Os “milhões de brasileiros tirados da pobreza” são um golpe de marketing baseado na mudança dos critérios de identificação de classes sociais, a partir do qual só pode ser considerado pobre o cidadão com renda abaixo de R$ 291 por mês. Acima disso, a pessoa já é “classe média”.
Resumindo, o PT promoveu apenas corrupção e desperdício de dinheiro dos pagadores de impostos em larga escala, resultando na maior recessão da história do país e afetando principalmente os mais pobres.
Portanto, pode gritar: sim, é tudo culpa do PT!

sexta-feira, 1 de junho de 2018

Saída de Pedro Parente chega a suspender negociação das ações da Petrobras


TURBULÊNCIA
GIANE GUERRA
ZH - Porto Alegre

Pedro Parente pediu demissão da presidência da empresa

Pedro Parente implementou a política de preços na Petrobras José Cruz / Agência Brasil


Chegaram a ser suspensas as negociações das ações da Petrobras na B3, a bolsa de valores de São Paulo logo após a turbulência gerada pelo pedido de demissão de Pedro Parente da presidência da estatal. A medida é tomada para evitar forte volatilidade nos preços. Apesar disso, o Ibovespa passou de alta para queda após a notícia.

- Bolsa suspende para que investidores não operem sem informação adequada - explica o sócio da gestora de fundos Quantitas Wagner Salaverry.

A negociação das ações foi retomada perto das 12h. Ainda assim, os papéis da Petrobras operavam com queda de cerca de 14% e aceleraram o tombo no início da tarde para uma desvalorizaçã de 20%.

Desde o início da greve dos caminhoneiros, a estatal tem registrado forte desvalorização nas ações, após altas que vinham ocorrendo. Tanto que acabou de zerar os ganhos nas preferenciais (PN), diz Salaverry. Voltou ao mesmo preço do início de 2018. Nas ordinárias (ON), ainda acumula alta de 12% no ano.

Diretor de operações da Mirae, Pablo Spyer avisa que as ADRs da Petrobras despencam nos Estados Unidos. Por volta de 11h40, a queda era de 9%. São os papéis da estatal negociados no mercado financeiro norte-americano.

Syper avisa também que o dólar disparou, renovando a máxima em R$ 3,7649. O mesmo ocorreu com o risco-país, que subia 3,6% no fim da manhã, negociado a 234 pontos. O indicador é muito observado por investidores estrangeiros. 

              Risco país disparou
              Reprodução Mirae


A permanência de Pedro Parente na presidência da Petrobras já era questionada desde o início da greve dos caminhoneiros. O executivo que implementou a política de preços de combustíveis, com ajustes praticamente diários nos valores nas refinarias. O mecanismo foi muito criticado durante os protestos.

No entanto, a política de preços agrada ao mercado financeiro. Além da insegurança sobre o comando da empresa, é o que provoca a queda nas ações da Petrobras. Lembrando que é uma das maiores companhias do país.

LEIA MAIS

Postos de Porto Alegre terão 48 horas para apresentar notas fiscais do diesel



Parente chegou a ceder quando foi anunciada a redução temporária de 10% nos preços do diesel. Disse que a Petrobras não era uma ilha e o corte no preço foi importante para o início das negociações do Governo Federal com os caminhoneiros. No entanto, quem conhecia o executivo sabia que não concordaria com mais interferências.

quinta-feira, 31 de maio de 2018

Petrobras eleva preço da gasolina nas refinarias após 5 quedas seguidas


Preço do litro subirá 0,74% a partir desta quinta-feira

(31), passando de R$ 1,9526 para R$ 1,9671.


Por Darlan Alvarenga, G1

Após 5 cortes seguidos, a Petrobras anunciou nesta quarta-feira (30) uma elevação no preço da gasolina nas refinarias. O preço do litro da gasolina subirá 0,74% a partir desta quinta-feira (31), passando de R$ 1,9526 para R$ 1,9671.
O último reajuste tinha sido anunciado na segunda-feira, quando houve redução de 2,84% no preço da gasolina. Em maio, já foram anunciadas 13 altas e 6 quedas no preço da gasolina.
Já o preço do diesel segue congelado em R$ 2,1016. Na quarta-feira da semana passada, a estatal reduziu em 10% o valor do combustível, comprometendo-se a manter o valor por 15 dias.
O repasse do corte para o valor pago pelos consumidores nas bombas depende dos donos dos postos. Os últimos cortes anunciados pela Petrobras não foram sentidos pelos consumidores, uma vez que o abastecimento no país ainda não foi normalizado e a distribuição continua sendo afetada pelos protestos dos caminhoneiros.
Evolução dos preços cobrados pela Petrobras nas refinarias (Foto: Reprodução/Petrobras)
A Petrobras adotou novo formato na política de ajuste de preços em 3 de julho do ano passado. Segundo a nova metodologia, os reajustes acontecem com maior frequência, inclusive diariamente, refletindo as variações do petróleo e derivados no mercado internacional, e também do dólar. Desde o início do formato, o preço da gasolina comercializado nas refinarias acumula alta de 49,71% e o do diesel, valorização de 55,09%, segundoo Valor Online.

Preços do diesel congelados nas refinarias

A Petrobras anunciou na semana passada que o preço do diesel comercializado em suas refinarias ficará inalterada por 15 dias, até 7 de junho. Após essa data, será aplicado o novo programa anunciado pelo governo, que prevê redução de R$ 0,46 no preço do litro por 60 dias e reajustes mensais após esse prazo.
Levantamento divulgado na semana passada pela Agência Nacional do Petróleo, do Gás Natural e dos Biocombustíveis (ANP) mostrou que o preço médio do diesel e da gasolina continuaram a subir nas bombas, mesmo com as redução de preços nas refinarias.
O avanço do preço do diesel nos postos foi de 5,3%, passando de R$ 3,595 por litro para R$ R$ 3,788 na semana encerrada no dia 25. Já em relação ao preço médio da gasolina houve aumento de 3,52%, com o valor passando de R$ 4,284 por litro para R$ 4,435 em média. Foi o maior aumento semanal dos preços da gasolina desde julho de 2017, quando o governo anunciou o aumento dos impostos sobre os combustíveis.

Política de preços da Petrobras sob pressão

O presidente Michel Temer afirmou nesta terça-feira (29), durante entrevista à emissora oficial TV Brasil, que pode reexaminar a política de preços da Petrobras. Na entrevista, Temer primeiro afirma não querer alterar a política da estatal. Em seguida, se refere à possibilidade de reexaminá-la.
O Palácio do Planalto divulgou nota nesta quarta-feira (30), entretanto, na qual afirmou que o governo vai “preservar” a política de preços da Petrobras.
A política de preços da Petrobras é um dos pontos criticados pela greve dos caminhoneiros e dos petroleiros. Desde julho do ano passado, a estatal promove os reajustes com base na variação do dólar e dos preços do petróleo no mercado internacional, e os preços para os consumidores dispararam bem acima da inflação.
As ações da Petrobras desabaram nos últimos dias e a companhia perdeu o posto de maior companhia da Bolsa em valor de mercado. A decisão de congelar o preço do diesel foi analisada pelos especialistas como um sinal de que a petroleira cedeu a pressões políticas e perdeu credibilidade.
Em oito pregões, desde o início da greve, a empresa chegou a perder R$ 126 bilhões. Nesta terça-feira, entretanto, as ações da petroleira fecharam em alta de 12%, recuperando parte das perdas dos últimos dias.
Por volta das 13h20, as ações preferenciais da Petrobras subiam 1,81%, enquanto o Ibovespa tinha alta de 0,8%.

Tendinite é a inflamação do tendão e gera dor em diferentes partes do corpo

A condição acontece geralmente devido a esforços repetitivos
 e prolongados, excesso de força ou posição viciosa

Foto: Getty Images
FOTO: GETTY IMAGES
Embora o nome seja comum, bastante gente ainda tem dúvida sobre o que é a tendinite. O problema, que pode acometer pessoas de todas as idades, é resumido como a inflamação de um ou mais tendões. Pode ocorrer em qualquer tendão do corpo, mas envolve com mais frequência os tendões dos ombros, cotovelos, mãos e punhos, tornozelos e pés.
José Ribamar Moreno, reumatologista, especialista em dor, mestre em medicina pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e coordenador responsável do Centro de Tratamento Intensivo da Dor (CTIDor), explica que a tendinite é uma doença caracterizada pela inflamação dos tendões, que são as estruturas que transmitem a tração muscular ao osso e permitem o movimento. “Podem ser pequenos, como nas mãos, ou grandes, como o tendão do calcanhar”, diz.
As causas da tendinite, de acordo com o especialista, quase sempre são mecânicas, por conta de esforços repetitivos e prolongados, excesso de força ou posição viciosa. “Podem ser também químicas, quando relacionadas à desidratação de tendões e músculos, além de alimentação inadequada, que pode provocar o acúmulo de toxinas no organismo”, diz.
Moreno destaca que os tendões dos membros inferiores próximos das articulações do tornozelo e joelho, como tendão de Aquiles e patelar, são os mais acometidos.
A tendinite muitas vezes está relacionada à profissão ou atividade do paciente, quando, por exemplo, ele faz movimentos repetitivos para desempenhar a sua função.
“Profissões ou atividades com muita carga ou impacto podem associar-se aos principais fatores desencadeantes que são o trauma ou trauma repetido do tendão”, destaca Moreno.
Exemplos de profissionais que podem ser afetados pela tendinite são: telefonistas, pianistas, bailarinos, atletas (tenistas, jogadores de futebol, voleibol e handebol), digitadores etc.

Sintomas que você não deve ignorar

Foto: Getty Images
FOTO: GETTY IMAGES
Mas, afinal, quais são os sinais que realmente estão associados à tendinite?
Abaixo, Moreno fala sobre os principais sintomas da tendinite nas diferentes partes do corpo:
Tendinite nos ombros (Tendinite do Bíceps)
  • Dor ao movimentar o braço ou os ombros, principalmente em movimentos acima do ombro.
  • Dor na palpação (toque) da região.
Tendinite no cotovelo (Tendinite de Tríceps)
  • Dor ao dobrar e/ou esticar o braço.
  • Rigidez no músculo e tendão da região do cotovelo.
  • Inchaço próximo ao cotovelo.
Tendinite nos joelhos
  • Dor e sensibilidade ao redor do tendão patelar e atrás dele.
  • Dor ao andar ou praticar atividade física.
  • Dor ao subir e descer escadas.
  • Dor ao dobrar ou esticar a perna.
  • Inchaço na região do joelho.
Tendinite no quadril
  • Dor no quadril, que pode irradiar para perna.
  • Dificuldade de movimentar a perna, caminhar, sentar ou deitar sobre o lado afetado.
  • Câimbras frequentes, principalmente após um tempo de repouso.
Tendinite nos pulsos e mãos
  • Dor local.
  • Edema.
  • Limitação dos movimentos das mãos.
Tendinite nos tornozelos e pés.
  • Edema e rigidez no tendão.
  • Dor intensa após o exercício.
  • Dor ao levantar os dedos do pé e/ou alongar.
  • Limitação da movimentação do tornozelo.

Causas da tendinite e fatores de risco

Vale destacar que o tendão não é elástico como o músculo, e nem tão forte quanto o osso. Dessa forma, em casos de sobrecarga, é a estrutura que costuma sofrer mais.
Moreno reforça que as causas da tendinite quase sempre são mecânicas: por conta de esforços repetitivos e prolongados, excesso de força ou posição viciosa. Mas podem ainda estar associadas à desidratação de tendões e músculos, e também à alimentação inadequada (que pode provocar o acúmulo de toxinas no organismo).
Existem alguns fatores de risco importantes. Moreno explica que são múltiplos os fatores que se associam e, em certo momento, apresentam os sintomas da tendinite. Os principais deles são:
  • Problemas posturais;
  • Movimentos repetitivos e prolongados;
  • Excesso de força;
  • Deformidades como encurtamento de um dos membros;
  • Deformidade do pé;
  • O uso de calçados inadequados;
  • Causas anatômicas locais;
  • Causas gerais, como sobrepeso ou obesidade, sedentarismo e baixo condicionamento aeróbico.
Tudo isso, de acordo com o especialista, pode provocar o quadro de lesão e inflamação do tendão, conhecido como tendinite.

Como a tendinite é diagnosticada?

Foto: Getty Images
FOTO: GETTY IMAGES
Moreno explica que o diagnóstico é feito com base no exame físico e relato do paciente. “O especialista irá procurar indícios de sensibilidade e dor nos locais indicados pelo paciente e fazer testes específicos para cada tendão. Exames de imagem podem ser solicitados para avaliar o grau da inflamação e confirma exame físico”, diz o reumatologista.
“Depois de atividades aeróbicas, os alongamentos são um tipo de preparo para se saber se cada parte do corpo está cumprindo o ângulo completo necessário para a prática do movimento naquele esporte e se está tudo bem, se não há limitação, dor ou alguma coisa que impeça a realização do movimento. Por exemplo, o ombro deve fazer uma movimentação de 180 graus”, acrescenta o especialista.
É importante procurar o médico quando notar os sinais associados à tendinite, especialmente quando eles persistirem. Na consulta, é necessário descrever todos os sintomas e aproveitar para tirar as dúvidas sobre o problema (por exemplo, perguntar se você pode ou não continuar fazendo determinada atividade etc.).

Quais são as opções de tratamento?

Foto: Getty Images
FOTO: GETTY IMAGES
Moreno destaca que o tratamento deve ser feito imediatamente com gelo no local por 40 minutos de 3 a 6 vezes por dia, analgésicos e anti-inflamatórios por 5 dias. “Existem também as terapias físicas analgésicas, como a estimulação elétrica nervosa transcutânea (TENS, na sigla em inglês)”, diz.
”É importante buscar uma fisioterapia monitorada para estabilização da articulação, dos tendões e músculos envolvidos na função e no movimento do membro afetado. Em casos graves com roturas (rupturas), dor incapacitante e déficit de função, o tratamento só deve ser realizado por um especialista”, ressalta Moreno.
Vale destacar que medicamentos só devem ser tomados se prescritos pelo médico. “A automedicação pode mascarar sintomas, por isso é importante ter um tratamento adequado e bem orientado desde o começo, principalmente em atletas profissionais”, diz o especialista.
“A tendinite pode levar à dor na região do corpo, além de incapacitação, perda de massa muscular, perda de massa óssea, dor crônica e, algumas vezes, incapacitação permanente, nos casos mais graves”, alerta Moreno.

Tratamentos alternativos

Moreno ressalta que as terapias físicas, como colocar bolsa de gelo envolta em toalha fina úmida 3 vezes por dia, por 40 minutos, por 2 semanas, são fundamentais.
“O calor por ultrassom ou ondas curtas, manipulação fisioterápica, exercícios terapêuticos assimétricos, acupuntura e eletroestimulação transcutânea também são importantes no tratamento das tendinites”, acrescenta o especialista.

Como prevenir a tendinite?

Foto: Getty Images
FOTO: GETTY IMAGES
1. Procurar ajuda médica. “A melhor maneira de se evitar a tendinite é, após se sentir a dor ou qualquer sintoma que lembre uma lesão muscular ou de tendão, procurar um especialista e iniciar um tratamento bem prescrito que envolva redução da dor e dos sintomas e reabilitação intensiva e acelerada. Médicos especialistas na área de dor e ortopedistas são os mais indicados”, explica Moreno.
2. Reduzir a carga nos esportes e manter alto condicionamento. “Para quem pratica esportes, a melhor forma de prevenção é tentar reduzir a carga sobre os tendões dos membros inferiores e manter alto condicionamento aeróbico, visto que os tendões não têm vasos sanguíneos e precisam de muito oxigênio para funcionar bem e se regenerarem rápido. Um dos fatores fundamentais para se manter o alto fluxo sanguíneo e, com isso, a boa oxigenação dos tendões, é hidratação ou até hiper-hidratação nos casos de esportes mais extenuantes”, orienta o especialista.
3. Alongar-se. Fazer alongamentos antes e depois dos exercícios físicos também é recomendado.
4. Evitar movimentos repetitivos, prolongados, excesso de força ou posição viciosa.“É necessário retirar todos os fatores locais que podem propiciar o surgimento de lesões e evitar acidentes e traumas diretos”, destaca Moreno. Um hábito importante que pode ser adotado, por exemplo, é fazer mais pausas durante o trabalho.
Por fim, vale lembrar que somente um médico poderá dizer qual é o tipo de tratamento mais indicado para o seu caso, se será ou não necessária a utilização de medicamento. O importante é seguir sempre à risca as orientações do profissional e nunca se automedicar (o que poderia mascarar os sintomas da tendinite).

STF custará R$ 2 milhões por dia em 2018.

       O Supremo Tribunal Federal (STF) tem um orçamento de R$ 714,1 milhões previsto para este ano. O montante representa um custo de...