Petrolão: PPS pede convocação de sócios de agência que teria intermediado propina


O líder do PPS na Câmara, deputado federal 

Rubens Bueno (PR), protocolou nesta
 terça-feira requerimento para ouvir na CPI 
Mista da Petrobras os empresários Ricardo
 Marcelo Vilani e Luciana Mantelmacher, 
sócios da agência de publicidade
 Muranno Marketing/Brasil. A empresa, 
segundo depoimento do doleiro Alberto
 Youssef, teria recebido, a mando do
 ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva,
 R$ 1 milhão para não revelar o
 esquema do “petrolão”. 
Além da convocação, o parlamentar pediu 
também a quebra de sigilos bancário, fiscal
 e telefônico da empresa.

O caso foi revelado na última sexta-feira pela revista Veja e esmiuçado com mais detalhes no sábado pelo
 jornal O Estado de S. Paulo. Segundo a reportagem, a Polícia Federal identificou dois repasses, num total
 de R$ 1,7 milhão, à agência Muranno via MO Consultoria, empresa do doleiro de Youssef. “O repasse é
 datado de 22 de dezembro de 2010. Houve ainda outros três depósitos à agência, num total de R$ 509
 mil, nos dias 12 e 13 de janeiro de 2011, feitos pela empresa Sanko Sider, também investigada pela
 (operação  da Polícia Federal) Lava Jato”, relata o jornal.

Para o líder do PPS, as informações batem com os dados já colhidos pela CPMI da Petrobras. “Realmente
 existem repasses para a agência e conseguimos rastrear parte das informações que a Polícia Federal já tem
 em mãos. É necessária a imediata convocação dos donos dessa agência e a quebra de sigilos da empresa.
E, numa segunda fase, teremos que ouvir o ex-presidente Lula, já que, segundo o doleiro Alberto Youssef,
 foi dele que partiu a ordem para o pagamento da propina”, afirmou Rubens Bueno.

No depoimento que prestou a Justiça, o operador do esquema revelou:

- O Lula ligou para o Gabrielli e falou que tinha que resolver essa merda.

Além de Lula, outro personagem do esquema que precisa se explicar, segundo o deputado, é o ex-presidente
 da Petrobras José Sergio Gabrielli.

“Ele precisa explicar se orquestrou mesmo o pagamento do ‘cala boca’. Assim como no mensalão, quando
 o publicitário Marcos Valério era o elo para o pagamento de propinas para partidos e políticos, a operação
 Lava Jato está apontando que outra agência era usada para pagar as mesadas do petrolão. Precisamos
aprofundar a investigação e identificar toda essa teia criminosa”, defendeu Rubens Bueno, lembrando que a
presidente Dilma Roussef e o PT também têm responsabilidade por todo esse esquema já que, segundo o
doleiro Youssef, tinham o conhecimento de tudo.

by Rubens  Bueno

Comentários

Postagens mais visitadas