Executiva do PT de SP decide expulsar deputado-bomba

Política


Luiz Moura foi flagrado em reunião com integrantes do PCC - e apareceu em inquérito que apura ligações da facção com cooperativas de perueiros

Felipe Frazão
DIREITO DE ESPERNEAR - PT antevê batalha judicial contra Moura
DIREITO DE ESPERNEAR - PT antevê batalha judicial contra Moura (Vera Massaro/ALESP/VEJA)
A Comissão Executiva do PT paulista decidiu, por unanimidade, expulsar do partido o deputado estadual Luiz Moura, flagrado em reunião da qual participaram dezoito integrantes da facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC). O parlamentar é investigado pelo Ministério Público de São Paulo por ter sido sócio de uma empresa de transporte de passageiros suspeita de lavar dinheiro para o PCC. O nome do parlamentar é citado em apuração de promotores do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) sobre vínculos da facção criminosa com cooperativas de perueiros que operam na capital paulista. A decisão ainda tem de ser homologada pelo Diretório Estadual do PT, nesta sexta-feira. A expulsão impedirá que o deputado seja candidato à reeleição na Assembleia Legislativa.
Na manhã desta quinta, os integrantes da Executiva optaram pela pena máxima prevista no estatuto do partido ao fim do processo disciplinar ao qual Luiz Moura foi submetido. Em junho, a cúpula do PT suspendeu o deputado por sessenta dias quando veio a público a informação de que ele foi flagrado pela polícia em reunião com integrantes do PCC. O deputado também teve a legenda negada, mas recorreu à Justiça e conseguiu pedir o registro sua candidatura. O Tribunal Regional Eleitoral ainda julgará a validade do pedido. Como o Diretório Estadual tende a chancelar a decisão da Executiva, Luiz Moura terá prazo de dez dias para recorrer ao Diretório Nacional do PT. Caso ele tente o recurso, a exclusão ficará suspensa. O órgão máximo do partido, porém, deu aval para a expulsão nesta quarta.
"Provavelmente haverá uma disputa judicial por um longo tempo, mas sem que ele participe da campanha – sem ser candidato", disse ao site de VEJA o presidente do PT paulista, Emídio de Souza. "Ele vai exercer o direito de espernear. Como ele tem mandato, vai usar todos os recursos disponíveis no campo judicial. Mas a Justiça não pode nos obrigar a manter nos quadros do PT alguém que nós não queremos. Nós tomamos a atitude e deixamos claro que não compactuamos com esse tipo de prática”, completou. Segundo o dirigente, Moura não apresentou defesa pessoalmente nem por escrito, tampouco enviou documentos ou testemunhas a seu favor no processo disciplinar.
Na tarde desta quarta-feira, Moura enviou ao presidente do Diretório Estadual uma carta requerendo a anulação de todo o processo disciplinar partidário. O parlamentar pretendia ser julgado pelo Diretório Nacional. "Ele disse que o processo estava viciado e que a posição do PT estadual e a minha já eram conhecidas. Eu simplesmente neguei", disse Souza. O deputado afirma não ter vínculos com o PCC e diz que só entregará seu mandato por ordem da Justiça. 
O site de VEJA revelou na última quarta-feira que o procurador-geral de Justiça, Márcio Fernando Elias Rosa, comunicou ao Tribunal de Justiça de São Paulo a intenção de investigar se Moura cometeu sete crimes: organização criminosa, extorsão, constrangimento ilegal, apropriação indébita, sonegação fiscal, lavagem de dinheiro e abuso de autoridade.


A investida do PT contra Luiz Moura tem como principal objetivo blindar a candidatura do ex-ministro da Saúde Alexandre Padilha ao governo do Estado e a da presidente Dilma Rousseff à reeleição. São Paulo é um dos maiores focos de rejeição a Dilma em todo o país. Petistas avaliam que a ligação de Moura com o PCC é capaz de minar o discurso do partido no combate ao crime organizado. "Não queremos nenhuma contaminação. Nossa posição é baseada nos fatos e forte indícios que já temos e no prejuízo que isso causa ao PT. Nós não somos tribunal. Nós temos o direito de escolher quem merece e quem não merece estar nas nossas fileiras e mais ainda ser candidato", afirmou o presidente do PT estadual.
by Veja

Comentários

Postagens mais visitadas