sexta-feira, 27 de junho de 2014

Ratazanas gigantes sofrem mutação genética e ficam imunes a veneno


Do UOL, em São Paulo25/06/2014


Você já viu animais como esses?

Uma nova raça de ratazanas, imunes a venenos comumente usados no combate a roedores graças a uma mutação genética, está se espalhando no Reino Unido segundo cientistas. Acima, homem segura ratazana gigante capturada em Cornwall (Reino Unido)Leia mais Reprodução/Daily Mail

Uma nova raça de ratazanas, imunes a venenos comumente usados no combate a roedores graças a uma mutação genética, está se espalhando no Reino Unido, segundo cientistas. Salve-se quem puder!

Testes genéticos feitos pela Universidade de Huddersfield revelaram que esses super-ratos, que têm tamanho semelhante ao de gatos (que medo!), desenvolveram uma mutação que permite sobreviverem a raticidas comuns. Eles estão monitorando o crescimento da população desses bichos em 17 condados britânicos – e em seis deles encontraram ratazanas com a mutação da imunidade a venenos.


Reprodução/Daily Mail
As super-ratazanas têm tamanho de gatos

Na cidade de Southampton, por exemplo, os cientistas calculam que sete em cada dez super-ratos possuem a mutação genética.

O crescimento da população desse tipo de ratazana está disparado no Reino Unido: uma pesquisa recente indicou que em 2015 existirão dois super-ratos para cada habitante.

"As pessoas deveriam se preocupar com esses ratos resistentes devido a problemas de saúde pública. Eles carregam doenças e vários vírus e bactérias", alertou o pesquisador Dougie Clarke.

O combate da peste com raticidas, de acordo com os pesquisadores, não é fácil: as substâncias não podem ter gosto ou odor, além de o efeito ter de ser lento. Isso porque o rato costuma comer uma pequena porção e aguardar – se não passa mal, continua a comer o restante.

Clarke defende que a legislação do país permita o uso de venenos mais tóxicos ou que sejam encontradas formas físicas (armadilhas e ratoeiras) para matar os super-ratos. (Com "Daily Mail")



Em nova extinção provocada pelo homem, ratos se tornariam gigantes
A ideia de que nesse contexto o rato seria o mais apto a sobreviver chegou aos cientistas após análise de diversas espécies que apontou que os roedores iriam se dar bem devido à sua comprovada capacidade de se infiltrar na maior parte do território terrestre e em sua persistência ao longo dos anos, mesmo com todos os esforços em exterminá-los.

Leia mais Dakota Rose/Science

Nenhum comentário:

DST pouco conhecida preocupa especialistas

A 'Mycoplasma genitalium' (MG), bactéria causadora de doença sexualmente transmissível, já tem mostrado resistência aos antibióti...