sábado, 28 de junho de 2014

Capivaras nadam em rua alagada do Centro de Rio do Sul, no Vale do Itajaí

28/06/2014 17h12 - Atualizado em 28/06/2014 17h16

Flagrante foi registrado na Rua Coelho Neto, próximo à prefeitura da cidade.
Defesa Civil contabiliza 12 decretos de emergência por chuvas em SC.



Do G1 SC

Capivaras estavam nadando no centro de Rio do Sul (Foto: Orlando Pereira/Divulgação)

 
Capivaras costumam ficar nas margens do rio, mas foram flagradas no Centro (Foto: Orlando Pereira/Divulgação)Capivaras costumam ficar nas margens do rio,
mas foram flagradas no Centro
(Foto: Orlando Pereira/Divulgação)
Um bando de capivaras foi flagrado em uma rua alagada do Centro de Rio do Sul na tarde deste sábado (28). A chuva forte atinge principalmente o Oeste de Santa Catarina, onde 12 cidades decretaram situação de emergência até as 15h, conforme a Defesa Civil estadual. Porém, durante o dia Rio do Sul e outras cidades do Vale do Itajaí começaram a registrar prejuízos. Em todo o estado, ao menos 1,6 mil pessoas permanecem desabrigadas ou desalojadas em 32 municípios afetados.
Capivaras procuraram local não alagado (Foto: Orlando Pereira/Divulgação)Capivaras pararam em local não alagado
(Foto: Orlando Pereira/Divulgação)
O registro das capivaras foi feito na Rua Coelho Neto, próximo à Prefeitura do município. Conforme a assessoria de imprensa da cidade, o número de capivaras na região é elevado nas margens dos rios - três no total. Porém, com as cheias elas possivelmente buscam um local seguro e por isso foram vistas no Centro.
Segundo o diretor de de Respostas a Desastres da Defesa Civil Santa Catarina, James Rides, a situação na cidade de Rio do Sul começa a preocupar. "O Rio Itajaí-Açu, que corta Rio do Sul, já está a mais de 9 metros de altura e invadiu diversos bairros. São feitas manobras nas barragens para controlar a vazão de água", afirmou.
De acordo com a Prefeitura, na últimas 24 horas a chuva se intensificou chegando ao acumulado de 44 mm de precipitação. Famílias começaram a ser removidas com maior intensidade às 5h da madrugada deste sábado. Cerca de 258 pessoas foram levadas a sete abrigos públicos. Mais de 10 bairros da cidade foram afetados pelas águas e a Defesa Civil orienta a população que vive em áreas de até 10 metros de altitude saírem de suas casas.
Sete comportas de barragem em Taió foram fechadas (Foto: Maurício Cattani/RBS TV)Sete comportas de barragem em Taió foram fechadas
(Foto: Maurício Cattani/RBS TV)
Vale do Itajaí
O diretor Rides afirma que as cidades Taió, Rio do Oeste e Laurentino, no Vale Itajaí, também estão atenção. Em Taió, cerca de 150 pessoas deixaram suas casas e as sete comportas da barragem do município foram fechadas para diminuir a vazão das águas do Rio do Oeste. “Elas estão sempre abertas, a medida que tem alerta de cheias nós vamos fechando. A quinta comporta foi fechada às 5h da manhã e a sexta e sétima foram fechadas às 6h [desse sábado”, explica Márcio Farias, coordenador da Defesa Civil de Taió.
Segundo ele, 40 famílias foram para casa de amigos e familiares e quatro estão em abrigos, todas elas de área de inundação. Os bairros Seminário e Vitor Konder são os mais atingidos, mas no bairro Vila Mariana e Padre Eduardo famílias também foram atingidas. A última medição, feita ao meio dia, o rio estava com 8,8 metros. A expectativa da Defesa Civil municipal é que a situação começa a se normalizar a partir da tarde deste sábado (28). “Estamos monitorando, mas as pessoas que precisavam ser removidas já foram”, explica Farias.
Rio do Sul registra alagamento em mais de 10 bairros (Foto: Orlando Pereira/Divulgação)Rio do Sul registra alagamento nos bairros
 (Foto: Orlando Pereira/Divulgação)
Oeste e Serra
A Defesa Civil atua desde quinta-feira (26) nos municípios do Oeste e Serra Catarinense. A entidade prioriza o atendimento emergencial da população, por isso o número oficial de municípios afetados cresce de acordo com o registro de danos enviado ao orgão estadual. O Norte do estado foi afetado em chuvas no começo do mês, entre 6 e 9 de junho, e até este sábado cerca de 12 municípios ainda estavam alagados. Porto União foi o município mais afetado.

Ao todo, 12 cidades de Santa Catarina decretaram situação de emergência. Foram elas Joaçaba,Palmitos, Rio das Antas, Herval do Oeste, Presidente Castelo Branco, Lageado Grande, Piratuba, Planalto Alegre, Itá, Capinzal, Itapiranga e Videira. Os municípios de Águas de Chapecó,Mondaí, São Carlos, Tangará, Abelardo Luz, Macieira, Concórdia, Ouro, Caçador, Passos Maia, Chapecó, Guatambu, Seara, Taió, Lacerdópolis,Timbó Grande, Irani, Água Doce, Lages e Cerro Negro constam no relatório da Defesa Civil estadual como prejudicadas pelas chuvas.
Rios 
A Defesa Civil também informou a situação de demais rios. A Bacia do Rio do Peixe se encontrava às 7h com 9,08 metros acima do nível normal, e tende a baixar nas próximas horas.  Em Itapiranga, no Oeste, o Rio Uruguai está com 13,88 metros. Em Passos Maia, a informação das 17h45min, de quinta-feira, 26, registrava que o rio estava com 6,11 metros. As leituras foram interrompidas, devido a problemas na régua de medição.
Previsão do tempo
Segundo a Epagri/Ciram, órgão que registra a medição no estado, há chance de chuva com maior intensidade na na Grande Florianópolis, Litoral Sul e Serra catarinense. Precipitações entre 20 a 70 mm ainda devem ocorrer. A Defesa Civil afirma que há risco de alagamentos, inundações, enxurradas e deslizamentos  no Oeste e Vale do Itajaí, além das regiões foco de chuvas intensas.
De acordo com a Central Meteorologica do Grupo RBS, o ciclone extratropical deve terminar a sua formação entre a tarde e noite deste sábado. O movimento da frente fria, fenômeno de vento e não de frio, é que causou as chuvas na região. Com o ciclone formado, as chuvas devem diminuir em terra e o vento deve aumentar no mar. No Litoral catarinense há a possiilidade de ressaca com ventos acima de 100km/h. Domingo (29)  deve ser de tempo seco.
Rodovias
Pelo menos 22 rodovias tem trechos interrompidos em vias estaduais e federais até as 11h deste sábado. Até as 11h deste sábado, 15 rodovias estaduais e 7 federais foram bloqueadas.Duas pontes que interligam o RS a SC estão danificadas e foram fechadas.A Polícia Rodoviária Federal (PRF) afirma que a situação é bastante instável e orienta não  viajar para regiões afetadas, principalmente no Oeste, na condição de chuva intensa.
Barragem rompida
No início da tarde desta sexta (27), uma barragem de médio porte situada no Rio Irani, em Ponte Serrada, estourou e contribuiu para deixar a BR-282 interditada. O tempo chuvoso e o excesso de água provocou o rompimento da estrutura, de acordo com a Prefeitura do município.
Casas desabam
Três casas desabaram e outras dezenas apresentaram rachaduras na tarde desta sexta-feira em Ponte Serrada, no Oeste catarinense, devido à forte chuva que cai na região. Segundo a Defesa Civil do município, 63 famílias tiveram que deixar suas residências - que ficam em um morro - e foram para casas de parentes.
Aulas canceladas
Alunos da rede pública estadual de 64 municípios catarinenses tiveram as aulas canceladas nesta sexta devido às fortes chuvas que atingem o estado, principalmente no Oeste. O número de educandários é superior a 220, segundo a Secretaria de Estado da Educação. A Universidade do Oeste de Santa Catarina (Unoesc) também suspendeu as aulas.
A previsão é que as aulas sejam retomadas na próxima segunda (30). De acordo com a Secretaria, as aulas foram canceladas nas cidades de Videira, Fraiburgo, Iomerê, Pinheiro Preto, Concórdia, Peritiba, Ipira, Irani, Alto Bela Vista, Piratuba, Presidente Castelo Branco, Joaçaba, Herval d’Oeste, Capinzal, Ouro, Lacerdópolis, Erval VelhoLuzerna, Ibicaré,Jaborá, Catanduvas, Vargem Bonita, Água Doce, ArabutãArvoredo, Ipumirim, Itá,Lindóia do Sul, Paial, Seara, Xavantina, Guatambu e Nova Itaberaba.

Nenhum comentário:

DST pouco conhecida preocupa especialistas

A 'Mycoplasma genitalium' (MG), bactéria causadora de doença sexualmente transmissível, já tem mostrado resistência aos antibióti...