"Como dizia Ibrahim Sued, em sociedade tudo se sabe. Ninguém desconhece que a política é um jogo sujo, mas não se pode admitir grupos políticos apoiando lançamento de coquetéis molotov sobre a polícia, que pouco tem a ver com os governantes, pois exerce uma função de Estado, quem elege os governantes somos nós. A culpa é nossa, e não da Polícia. Os soldados da PM são brasileiros como nós, não merecem ser queimados vivos, em nome da baderna que favorecerá este ou aquele partido". (C.N.)


Depois dos vândalos do Black Bloc, agora está caindo a máscara do tal Coletivo Mídia Ninja, que alega estar fazendo “jornalismo de vanguarda”, ao incentivar a baderna e a violência nas ruas, prejudicando e desvirtuando totalmente um dos movimentos político-sociais mais importantes da História do Brasil.
O Coletivo Mídia Ninja se apresenta como se fosse uma espécie de “jornalismo de vanguarda”, uma iniciativa aparentemente interessante e viável para quebrar o monopólio das chamadas nove famílias que comandam a “grande mídia” no Brasil. 

Mas na verdade é apenas mais um instrumento político de baixo nível.
O PT, chegando ao poder, traçou uma estratégia para democratizar a mídia. 
E se passaram 12 anos e nada. 
O que fez? 
Fortaleceu a Rede Record, está criando mais duas redes evangélicas (R.R. Soares e Waldomiro Santiago) e inundou de dinheiro uma rede de blogs amigos, que inventaram o PIG (Partido da Imprensa Golpista) e o transformaram em Partido da Imprensa Governista, defendendo tudo que o governo faz e demonizando a oposição.
São muitos blogs e sites hoje financiados pelo governo, através do Banco do Brasil, Petrobras, Caixa Econômica etc., e a fila está aumentando, porque muito jornalista também quer entrar nessa boca rica. 
E o tal Mídia Ninja, quem diria, é financiado pelo PT, via ONG Fora do Eixo.

TUDO SE SABE…

Acontece que a liberdade/liberalidade da internet abriga também outros tipos de sites e blogs, que não são financiados pelo governo e atuam com impressionante liberdade. 
Agora, ao pesquisar sobre o Coletivo Mídia Ninja, me surpreendo ao encontrar uma “Tribuna da Imprensa”, alternativa, que se diz livre. 
E foi nesse site que encontrei a verdade sobre os “jornalistas” que agem junto com os vândalos e baderneiros.
O PT precisava de seus próprios mascarados. Não uma massa anônima, incontrolável e com um ideal. E sim bem identificáveis, confiáveis. 

Aliados e afinados. Talvez também com máscaras mas saídos das entranhas do financiamento público cultural: os “NINJAS”, diz o extenso artigo, acrescentando que o Mídia Ninja é um braço da ONG Fora do Eixo, protegida por José Dirceu.
“Cria do Ministério da Cultura, o Fora do Eixo arrecadou milhões em incentivos fiscais ao longo dos anos. 
Uma rede política abastecida por recursos públicos, mas empenhada em algo próximo a um “marxismo cultural” do que em prestação de contas. Seria injusto eu não dizer ao menos uma ou duas boas iniciativas criadas por eles. Mas digamos que eu seja injusto. 
Em seus mais de 10 anos de existência nenhum artista ou grupo musical conseguiu qualquer tipo de projeção ou relevância através dos serviços do Fora do Eixo. Conseguiram sim, que associações de produtores, selos e festivais fossem fechados, dessem prejuízo ou chegassem a bancarrota.”
“Quando o PT decidiu que deveria fazer parte das manifestações, não foi uma medida desesperada. Enxergaram um interesse político e eleitoral. Uma oportunidade. 
Paulo Henrique Amorim enquanto mais uma vez chamava o site Anonymous de “tucanonymous”, colocou um link ao vivo da Mídia Ninja em seu Conversa Afiada. A distinção estava clara, a dicotomia mais uma vez estabelecida”.
“Vieram as manifestações, o cenário mudou. 
A Mídia Ninja, gerida pelo Fora do Eixo com simplórios porém eficazes recursos, mostra semanalmente a falta de comando da PM nos já esvaziados protestos contra o governador, contra Deus e contra tudo. E veio a glória: detenção totalmente insólita, por alguns minutos, de seus jornalistas.”

“Com Cabral chegando aos incríveis 20% de aprovação e arrastando junto Pezão para o buraco, Lindbergh e o PT entraram no jogo novamente para a cadeira de governador.”
O pobre Dudu Paes, cujo vice é do PT, e que ainda tem pretenções eleitorais, não foi esquecido pelos seus aliados. 
O PT logo arranjou com a Mídia Ninja uma exclusiva com o prefeito, garantindo de que tudo saísse bem. 
Entrevista com muita água e açúcar, Paes se distanciou de Cabral, criticou a polícia, elogiou os manifestantes. 
Se mostrou um político jovem, antenado com o digital. 
Paes é Ninja. 
E o cara-pintada Lindbergh também”.

Como dizia Ibrahim Sued, em sociedade tudo se sabe. 

Ninguém desconhece que a política é um jogo sujo, mas não se pode admitir grupos políticos apoiando lançamento de coquetéis molotov sobre a polícia, que pouco tem a ver com os governantes, pois exerce uma função de Estado, quem elege os governantes somos nós. A culpa é nossa,  e não da Polícia. 
Os soldados da PM são brasileiros como nós, não merecem ser queimados vivos, em nome da baderna que favorecerá este ou aquele partido.  
(C.N.)


Tribuna da imprensa/Carlos Newton

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

PALETES E CAIXOTES DE MADEIRA NA SUA CASA JÁ!

Reencarnação e Alma dos Animais por Chico Xavier

A flor mais rara do mundo