sábado, 28 de abril de 2012

Deputados que aprovaram novo Código Florestal receberam doação de empresas desmatadoras



Dos 18 deputados federais que integraram a comissão especial do Código
Florestal, em julho deste ano, 13 receberam juntos aproximadamente R$ 6,5
milhões doados por empresas do setor de agronegócio, pecuária e até do ramo de
papel e celulose durante campanha à reeleição, de acordo com as declarações
disponíveis no site do TSE (Tribunal Superior Eleitoral).

Dentre os que arrecadaram verba em empresas do segmento ruralista, apenas um não
conseguiu se reeleger. Em julho, quando o projeto foi submetido à análise desta
comissão, o novo código foi aprovado por 13 votos a 5. Ambientalistas criticam a
reforma por tornar o Código Florestal menos rígido e abrir brechas para anistiar
desmatadores.

Pelos dados no TSE, as doações feitas pelas empresas desmatadoras foram
concentradas nas campanhas dos deputados que votaram a favor. Dos 13, apenas
dois não receberam ajuda do agronegócio, sendo que um foi barrado pela Ficha
Limpa e o outro acabou não conseguindo se reeleger. Os outros 11 deputados
federais ganharam juntos pouco mais de R$ 6,4 milhões.

O montante doado por empresas desmatadoras financiou aproximadamente 32,5% dos
gastos totais da campanha eleitoral destes 11 parlamentares. Somados, os valores
declarados – contando todas as doações – chegam a R$ 20 milhões. Em média, a
bancada ruralista custeou 30% da campanha com este dinheiro.

Entre os que votaram a favor da mudança está o deputado federal Aldo Rebelo
(PCdoB-SP). Ele não só apoiou à reforma como também é o relator do novo Código
Florestal. Rebelo garantiu sua permanência no cargo após receber mais de 130 mil
votos no Estado de São Paulo. O deputado declarou ter utilizado aproximadamente
R$ 172 mil vindos de cooperativas que representam cafeicultores, citricultores e
agropecuaristas.

Apesar de relator da comissão especial, Rebelo foi um dos que menos recebeu
ajuda no grupo dos 13 ruralistas que votaram a favor. No topo da lista está o
deputado federal, também reeleito, Marcos Montes (DEM-MG). Ele ganha dos colegas
tanto por ter recebido o maior montante de investimento quanto pela parcela que
esse dinheiro representou nas suas receitas durante a campanha.

Montes arrecadou cerca de R$ 1 milhão só de pecuaristas, usineiros e
exportadores de papel. Esta quantia corresponde à metade das doações totais
recebidas pelo, então, candidato, que foi de R$ 2 milhões.

O parlamentar do DEM não é um caso isolado. O segundo da lista também conseguiu
um valor próximo. Duarte Nogueira (PSDB-SP), que concorreu à reeleição para
deputado federal em São Paulo, angariou R$ 955 mil de empresas interessadas na
aprovação do novo Código. O tucano, que em sua página no site da Câmara dos
Deputados declara ser engenheiro agrônomo, agricultor e pecuarista, é o
preferido pelas indústrias de papel. Pelo menos quatro nomes de empresas
diferentes deste segmento constam em seus dados no TSE.



by Ardea - Consultoria Ambiental

Enquanto isso...no Pais Não Mais das Maravilhas... by Deise


De quem era mesmo o evento??? Era particular ou público???? 800 mil reais dos cofres públicos para um evento particular???? O que o estado de Sc ganhou com o show do Paul, para justificar este gasto???? O silencio da midia com as mazelas que acontecem na capital???? Com certeza eu acertei. Afinal, não é preciso um QI de tres dígitos para entendermos o motivo da "doação". Vergonhoso. E para variar, D E S PR E Z I V E L. Deste jeito a vida fica facinha demais... E prá beber??? Vai aí uma coca-cola, com gelo e limão???? Claro que não. Com esta grana toda, o brinde é com whisky importado. No minimo 15 anos... by Deise


by MM




AMPLIADO PARA NAO DEIXAR DUVIDAS SOBRE
 O QUE ESTÁ ESCRITO, JURAMENTADO E SACRAMENTADO.






Para entendermos  o motivo desta "bostagem":

A Santur 

Santur - Santa Catarina Turismo S/A 

A Santa Catarina Turismo S/A (Santur) é o órgão oficial de turismo do Estado de Santa Catarina, sendo responsável pela política de promoção, divulgação e apoio à comercialização do produto turístico catarinense. Sua meta se concentra no aumento do fluxo de turistas em Santa Catarina e o consequente incremento da renda e da geração de novos postos de trabalho. A atuação da Santur se dá de forma coordenada com as secretarias municipais de Turismo e com a parceria de todo o trade turístico do Estado, através da consolidação de inúmeras ações.

A história da Santur inicia por volta de 1968 com o Departamento Autônomo de Turismo (Deatur). Paralelamente a este órgão, o governo do Estado mantinha uma estrutura de apoio ao turismo junto ao Banco do Estado de Santa Catarina (Besc), denominada de Besc Empreendimentos e Turismo S/A. Em 1974 foi alterado seu nome para Besc Turismo S/A e, posteriormente, em 1975, foi extinto o Besc Turismo e criada a Empresa de Turismo e Empreendimentos de Santa Catarina (Turesc), reconhecida pelo governo estadual como empresa de economia mista.

Em 28 de junho de 1977, resultante da fusão da Turesc e da Citur/Rodofeira de Balneário Camboriú, surge a Companhia de Turismo e Empreendimentos de Santa Catarina (Citur). Este nome perdurou até 28 de outubro de 1987, quando, a fim de promover uma maior relação com o nome do Estado, passou a denominar-se Santa Catarina Turismo S/A (Santur).

No decorrer dos anos, a entidade teve um desenvolvimento significativo. Entre os avanços, destacam-se a criação da Diretoria de Informação e a contratação de uma empresa pública especializada na promoção dos destinos turísticos de Santa Catarina, o que deu origem à Área de Promoção e Marketing e permitiu a internacionalização do trabalho promocional. Além disso, foi implantada a segmentação turística no estado, em trabalho conjunto com a Secretaria de Estado de Turismo, Cultura e Esporte.

Os custeios da Santur são mantidos pelo Fundo de Incentivo ao Turismo (Funturismo). A Santur volta sua atenção atualmente para três projetos principais: a instituição do Plano Catarina, plano promocional que visa desenvolver o potencial turístico de Santa Catarina até 2020, tornando o Estado um destino competitivo no âmbito nacional e no internacional; o SC Rural, programa que visa melhorar as vendas e a produtividade no campo, com aplicação de 2011 a 2016; e novas pesquisas de fluxo e demanda de regiões turísticas e segmentos.

Tem sua sede administrativa à Rua Felipe Schmidt, 249 - 9º andar - Florianópolis - SC 
Caixa Postal 1221 - CEP 88 010-902 
Fone: 55 48 3212-6300 - Fax: 55 48 3212-6315 
Email: santur@santur.sc.gov.br Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo. 
Parque Cyro Gevaerd, em Balneário Camboriú
Email: iccoadministacao@terra.com.br Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo. 
Fone: (55) (47) 3367-0033 

Estrutura Administrativa
Presidência: Valdir Rubens walendowsky
Diretoria de Marketing: Flávio Luiz Agustini
Diretoria de Planejamento: Paulo Teixeira da Rosa
Diretoria Administrativa e Financeira: Noeli de Fátima Thomé
Diretoria de Sistemas de Informações: Leandro Bertoli Neto 




Show de Paul McCartney em Florianópolis consolida parceria entre Grupo RBS, DC Set Promoções e Planmusic





Paul McCartney em Florianópolis – o maior espetáculo que a capital catarinense já recebeu – consolida a parceria bem-sucedida e o trabalho entrosado entre as empresas realizadoras. Mais uma vez, o Grupo RBS uniu-se à DC Set Promoções, que executa o Planeta Atlântida desde seu surgimento, para realizar um evento histórico.

- Foi muito gratificante ver a cidade Florianópolis e o estado de Santa Catarina recebendo um artista superlativo como Paul McCartney e, mais ainda, ter feito parte ativamente desta história. É a segunda vez que trazemos Paul para o Brasil, depois de Porto Alegre em 2010, mostrando que a empresa está comprometida em viabilizar a vinda de shows internacionais de grande porte para o sul do país - diz Juliano Lissoni, Gerente Executivo de Eventos do Grupo RBS em Santa Catarina.

- Nossa parceria com o Grupo RBS já está mais que consolidada, com um histórico de eventos bem sucedidos. Mais uma vez ficamos muito satisfeitos com o trabalho que foi feito e consideramos que a DC Set atingiu e até foi além dos objetivos traçados para esse show histórico - explica Cicão Chies, sócio da DC Set Promoções.

A Planmusic, que também fez o show de Paul em Porto Alegre em novembro de 2010 e é responsável pela turnê brasileira do beatle, reforça a importância de um evento deste porte para o país.

- Realizar grandes shows de música é sempre um desafio muito bom. Trazer ao Brasil essa nova turnê de Paul McCartney é a confirmação de que o país está definitivamente na rota dos grandes shows e que hoje somos considerados fãs prioritários para os artistas. Além disso, é também um reconhecimento ao profissionalismo que alcançamos para produzir aqui essas turnês – avalia Luiz Oscar Niemeyer, diretor geral da Planmusic Entretenimento.

Na última quarta-feira, 25 de abril, o beatle Paul McCartney encantou cerca de 30 mil pessoas, no Estádio da Ressacada, em Florianópolis. Com um repertório de 42 canções, sendo 27 dos Beatles, fez um show que durou praticamente três horas. Nem mesmo a chuva forte desanimou a público, que cantou e se emocionou com Hey Jude, Yesterday, Let It Be e tantas outras.

Paul ainda fez várias referências a Florianópolis, saudando a plateia com “Boa noite, manezinhos! Oioioi, Floripa!” Ele ainda falou que estava na “Ilha da Magia”, disse que o público era “muito massa” e a “coisa mais querida”, e soltou um “istepô”, tudo em bom manezês. Ao fim, disse “até a próxima”, deixando em aberto a possibilidade de voltar.

A turnê On The Run segue agora para o México, onde Paul fará dois shows. No dia 5 de maio toca em Guadalajara e três dias depois na Cidade do México. Outra apresentação está marcada para o dia 30, na Dinamarca.


       Entenderam??????
 Ótimo. 
Bater continencia com chapéu alheio é facinho mesmo.
Sempre foi.

É... sem sombra de dúvidas, só Deus sabe quem e quantos da "cambada" estão prestes a começar a defecar pela mão...by Deise



Nunca gostei do Pânico na Tv, aliás nao me lembro de ter visto um programa destes.As vezes que por ventura assisti algum pedaço, estava na casa de alguem, em algum lugar público. É nestas rarissimas vezes, visões muito rápidas, tipo aquela coisa "estar passando e ter sua atenção chamada". nao por ser bonito. Muito antes bizarro. Não sei nem o nome dos apresentadores. Apenas da lembro da Sabrina. Porque tinha rótulo de burra. E uma mulher que se submete a ganhar dinheiro fazendo papel de asno, não dá pra esquecer. Enfim nas raras vezes que passei os olhos nisso, e sinceramente não consigo IMAGINAR que tipo de pessoas assiste esta coisa horrenda e dá audiencia. Temos que admitir que tem muita gente que assiste, caso contrário o programa já teria saido do ar. coisa que eu pensei que já tivesse ocorrido. Graças a Deus me alieno, filtro aquilo que escuto ou vejo. Já sou OBRIGADA a engolir muita coisa que NAO POSSO MODIFICAR. As que posso renego. Eu me lembro de um passagem especificamente, a unica realmente que me lembro. E olhei realmente BESTIALIZADA, eles atirarem BARATAS VIVAS com um balde, de cima de uma sacada, nas pessoas que passavam embaixo. Para mim que paraliso perante o grito de "cuidado com a barata" e grito feito maluca, foi realmente uma cena de horror me imaginar passando e aquelas coisas horrorosas sendo jogadas em mim.e caminhando por mim. Eram dezenas. Imaginem um balde médio e cheio daquelas coisas nojentas. Com certeza eu teria infartado. JOGAR BARATAS VIVAS NAS PESSOAS! Logo, "Tacar cocô nas pessoas" como questiona o Wagner, é apenas uma questão de tempo. E pelo andar da carruagem, basicamente um futuro do presente. Como jornalista de profissão e blogueira por vocação, mas principalmente como cidadã, fecho com Wagner, Du, Lázaro e todos os que se sentem ABUSADOS por uma mídia apodrecida, abusada, comprometida, sem ÉTICA, e completamente sem limites. Tenho certeza que não é isso o ensinado nas Faculdades. E se for, já passou da hora de referem estes novos conceitos. Sou de outro tempo. Como pessoa me solidarizo com todos os que sofrem este tipo de abuso. Como jornalista, morro de vergonha de fazer parte da raça de muitos dos profissioanis. Cuja escolha errada da profissão atrapalha o andamento sadio dos acontecimentos. Oxalá, nem tivessem nascido. by Deise

Palavras do ator Wagner Moura sobre o Pânico
na TV, em carta aberta, divulgada no globo.com:
Wagner Moura é lindo, talentoso e está cheissimo de razao. by Deise
“Quando estava saindo da cerimônia de entrega do prêmio APCA, há duas semanas em São Paulo, fui abordado por um rapaz meio abobalhado. Ele disse q...ue me amava, chegou a me dar um beijo no rosto e pediu uma entrevista para seu programa de TV no interior. Mesmo estando com o táxi de porta aberta me esperando, achei que seria rude sair andando e negar a entrevista, que de alguma forma poderia ajudar o cara, sei lá, eu sou da época da gentileza, do muito obrigado e do por favor, acredito no ser humano e ainda sou canceriano e baiano, ou seja, um babaca total. Ele me perguntou uma ou duas bobagens, e eu respondi, quando, de repente, apareceu outro apresentador do programa com a mão melecada de gel, passou na minha cabeça e ficou olhando para a câmera rindo. Foi tão surreal que no começo eu não acreditei, depois fui percebendo que estava fazendo parte de um programa de TV, desses que sacaneiam as pessoas. Na hora eu pensei, como qualquer homem que sofre uma agressão, em enfiar a porrada no garoto, mas imediatamente entendi que era isso mesmo que ele queria, e aí bateu uma profunda tristeza com a condição humana, e tudo que consegui foi suspirar algo tipo “que coisa horrível” (o horror, o horror), virar as costas e entrar no carro. Mesmo assim fui perseguido por eles. Não satisfeito, o rapaz abriu a porta do táxi depois que eu entrei, eu tentei fechar de novo, e ele colocou a perna, uma coisa horrorosa, violenta mesmo. Tive vontade de dizer: cara, cê tá louco, me respeita, eu sou um pai de família! Mas fiquei quieto, tipo assalto, em que reagir é pior.

” O que vai na cabeça de um sujeito que tem como profissão jogar meleca nos outros? É a espetacularização da babaquice ”

O táxi foi embora. No caminho, eu pensava no fundo do poço em que chegamos. Meu Deus, será que alguém realmente acha que jogar meleca nos outros é engraçado? Qual será o próximo passo? Tacar cocô nas pessoas? Atingir os incautos com pedaços de pau para o deleite sorridente do telespectador? Compartilho minha indignação porque sei que ela diz respeito a muitos; pessoas públicas ou anônimas, que não compactuam com esse circo de horrores que faz, por exemplo, com que uma emissora de TV passe o dia INTEIRO mostrando imagens da menina Isabella. Estamos nos bestializando, nos idiotizando. O que vai na cabeça de um sujeito que tem como profissão jogar meleca nos outros? É a espetacularização da babaquice. Amigos, a mediocridade é amiga da barbárie! E a coisa tá feia.

” Isso naturalmente não o impediu de colocar a cagada no ar. Afinal de contas, vai dar mais audiência ”

Digo isso com a consciência de quem nunca jogou o jogo bobo da celebridade. Não sou celebridade de nada, sou ator. Entendo que apareço na TV das pessoas e gosto quando alguém vem dizer que curte meu trabalho, assim como deve gostar o jornalista, o médico ou o carpinteiro que ouve um elogio. Gosto de ser conhecido pelo que faço, mas não suporto falta de educação. O preço da fama? Não engulo essa. Tive pai e mãe. Tinham pais esses paparazzi que mataram a princesa Diana? É jornalismo isso? Aliás, dá para ter respeito por um sujeito que fica escondido atrás de uma árvore para fotografar uma criança no parquinho? Dois deles perseguiram uma amiga atriz, grávida de oito meses, por dois quarteirões. Ela passou mal, e os caras continuaram fotografando. Perseguir uma grávida? Ah, mas tá reclamando de quê? Não é famoso? Então agüenta! O que que é isso, gente? Du Moscovis e Lázaro (Ramos) também já escreveram sobre o assunto, e eu acho que tem, sim, que haver alguma reação por parte dos que não estão a fim de alimentar essa palhaçada. Existe, sim, gente inteligente que não dá a mínima para as fofocas das revistas e as baixarias dos programas de TV. Existe, sim, gente que tem outros valores, como meus amigos do MHuD (Movimento Humanos Direitos), que estão preocupados é em combater o trabalho escravo, a prostituição infantil, a violência agrária, os grandes latifúndios, o aquecimento global e a corrupção. Fazer algo de útil com essa vida efêmera, sem nunca abrir mão do bom humor. Há, sim, gente que pensa diferente. E exigimos, no mínimo, não sermos melecados.

No dia seguinte, o rapaz do programa mandou um e-mail para o escritório que me agencia se desculpando por, segundo suas palavras, a “cagada” que havia feito. Isso naturalmente não o impediu de colocar a cagada no ar. Afinal de contas, vai dar mais audiência. E contra a audiência não há argumentos. Será?”





Nunca gostei do Pânico na Tv, aliás nao me lembro de ter visto um programa destes.As vezes que por ventura assisti algum pedaço, estava na casa de alguem, em algum lugar público.  É nestas rarissimas vezes,  visões muito rápidas, tipo aquela coisa "estar passando e ter sua atenção chamada". nao por ser bonito. Muito antes bizarro. Não sei nem o nome dos apresentadores. Apenas da lembro da Sabrina. Porque tinha rótulo de burra. E uma mulher que se submete a ganhar dinheiro fazendo papel de asno, não dá pra esquecer. Enfim nas raras vezes que passei os olhos nisso, e sinceramente não consigo IMAGINAR  que tipo de pessoas assiste esta coisa horrenda e dá audiencia. Temos que admitir que tem muita gente que assiste, caso contrário o programa já teria saido do ar. coisa que eu pensei que já tivesse ocorrido. Graças a Deus me alieno, filtro aquilo que escuto ou vejo. Já sou OBRIGADA  a engolir muita coisa que NAO POSSO MODIFICAR. As que posso renego. Eu me lembro de um passagem especificamente, a unica realmente que me lembro. E olhei realmente   BESTIALIZADA, eles atirarem BARATAS VIVAS  com um balde, de cima de uma sacada, nas pessoas que passavam embaixo. Para mim  que paraliso perante o grito de "cuidado com a barata" e grito feito maluca, foi realmente uma cena de horror me imaginar passando e aquelas coisas horrorosas sendo jogadas em mim.e caminhando por mim. Eram dezenas. Imaginem um balde médio e cheio daquelas coisas nojentas.  Com certeza eu teria infartado. JOGAR BARATAS VIVAS NAS PESSOAS! Logo,  "Tacar cocô nas pessoas" como questiona o Wagner, é apenas uma questão de tempo. E pelo andar da carruagem, basicamente um futuro do presente. Como jornalista de profissão e  blogueira por vocação, mas  principalmente como cidadã, fecho com Wagner, Du, Lázaro e todos os que se sentem ABUSADOS por uma mídia apodrecida, abusada, comprometida, sem ÉTICA, e completamente sem limites. Tenho certeza que não é isso o ensinado nas Faculdades. E se for, já passou da hora de referem estes novos conceitos. Sou de outro tempo. Como pessoa me  solidarizo com todos os que sofrem este tipo de abuso. Como jornalista, morro de vergonha de fazer parte da raça de muitos dos profissioanis. Cuja escolha errada da profissão atrapalha o  andamento sadio dos acontecimentos. Oxalá, nem tivessem nascido. by Deise

sexta-feira, 27 de abril de 2012

Um pedacinho da europa bem mais perto do que imaginam


Rotas e Roteiros



Rota Romântica
Charmoso roteiro localizado entre a planície do Vale dos Sinos e o planalto da Serra Gaúcha, bem próximo à capital do Estado. 
A Rota Romântica é um roteiro emocionante, irresistível, com boa estrutura receptiva e com diversos atrativos a oferecer ao turista. São vales, campos, cascatas e jardins coloridos, onde você percebe o quanto a natureza foi generosa com essa região.
A arquitetura e a cultura refletem a predominante colonização alemã, com fortes valores culturais regionais. 
As treze cidades que o compõem são o destino ideal para quem procura uma viagem diferenciada dentro do Brasil, com paisagens de tirar o fôlego, cercadas de vilarejos tranqüilos e com uma deliciosa culinária colonial. Quem entra nessa aventura, dificilmente fica indiferente à beleza e ao romantismo que os lugares inspiram.


Informações:
AMRR - Associação dos Municípios da Rota Romântica


Fone: (54) 3285-2147

Localizada entre a planície do Vale dos Sinos até o planalto da Serra Gaucha, a Rota Romântica percorre aproximadamente 184 quilometros de São Leopoldo até São Francisco de Paula, onde a cultura alemã e o clima europeu são destaques.
São Leopoldo, Novo Hamburgo, Estância Velha, Ivoti, Dois Irmãos, Morro Reuter, Santa Maria do Herval, Presidente Lucena, Picada Café, Nova Petrópolis, Gramado, Canela e São Francisco de Paula são as cidades que compõe a Rota Romântica.
Identificada ao longo do roteiro, a preservação da cultura germânica herdada dos imigrantes é percebida nas festas típicas, feiras coloniais, bandinhas, grupos folclóricos...
Além da viagem cultural, a região propicia o contato exuberante com a natureza que torna toda a estrutura muito propicia para o turismo ecológico, oferecendo igualmente para os visitantes mais urbanos, excelentes atrativos citadinos e badaladas noites, além de feiras comerciais e oportunidade de turismo de negócios.
Igualmente a Rota Romântica, através da diversidade de participação de seus municípios integrantes, oferece estrutura para receber visitantes exigentes, que procuram desde a culinária mais refinada e hotéis requintados, mas também agrada aqueles que buscam hospedarias familiares e a saborosa comida colonial. Dispõe de 17 mil leitos e cerca de 600 restaurantes a disposição o ano inteiro.
As 13 cidades que integram a Rota Romântica segundo o censo de 2010 contam com 668.627 habitantes.


Abrangência:

Grande Porto Alegre
Serra Gaúcha

Municípios não integrantes do Programa de Regionalização MTUR/SETUR





De carro pela Europa

Europe_road
Vislumbrar o Castelo da Cinderela na Rota Romântica alemã, degustar o famoso queijo da Serra da Estrela em Portugal, imergir no mundo das artes ao longo da italiana La Chiantigiana, fotografar o caleidoscópio de paisagens da Costa Brava espanhola, desde Barcelona até Roses, e brindar o passeio com um salut na autêntica Rota da Champanhe francesa. Alugar carro é uma das melhores formas de desbravar a Europa sem cair nas mesmices dos pacotes nem perder a liberdade atado às exaustivas programações das excursões em grupo.
Além de não ficar transportando malas em estações ou tomando táxis, o turista on the road não precisa se preocupar com o horário do trem nem deixar de ficar mais um dia naquela cidade de que tanto gostou só porque o voo já está confirmado para hoje. Isso sem falar na vantagem de penetrar em regiões mais afastadas, parando sem pressa em cada canto para admirar a paisagem e hospedar-se em vilarejos acolhedores.
Em geral, as estradas de todo o Velho Continente apresentam boas condições para o tráfego, desde que se fuja do trânsito caótico dos grandes centros urbanos, como Paris, Roma e Atenas, onde é mais fácil circular a pé do que à frente do volante.
Também é importante mensurar na ponta do lápis os custos com gasolina e pedágio, que podem tornar desvantajoso o aluguel de um carro ou moto para quem está sozinho ou mesmo em casal. Em média, o viajante gasta 50 euros (cerca de R$ 117) por dia para locar um veículo de modelo simples e cerca de 140 euros (R$ 328) para carros de luxo, mais espaçosos. Se a intenção for passar vários dias rodando pela Europa, vale optar por pacotes semanais, que são mais baratos, chegando a custar 200 euros (R$ 470) por sete dias.
Para fechar o contrato, o motorista precisa ser maior de 21 anos, ter carteira de habilitação internacional e possuir cartão de crédito. As empresas de locação, por sua vez, oferecem algumas facilidades ao turista, como a possibilidade de retirar o carro em uma cidade e devolvê-lo em outra, diferentes opções de seguro, GPS e guias com sugestões de rotas. Por exemplo, é possível alugar um Fiat 500 com teto solar elétrico, conta-giros, computador de bordo e direção elétrica por 60 euros a diária (cerca de R$ 140).
E tudo pode ser feito antes de embarcar. Alugar por meio de uma agência de viagens aqui no Brasil sai mais em conta do que por uma locadora no Exterior, além das vantagens de se pagar em reais, saber de antemão quanto se vai gastar e evitar qualquer contratempo na hora de firmar o contrato.
Mas antes de escolher o modelo, considere os destinos que serão percorridos. Em alguns países, guia-se à esquerda e, no Exterior, de modo geral, são muito comuns carros com câmbio automático, particularidades com as quais nem todos estão habituados. Definido o modelo e concluída a documentação, é só colocar o mapa rodoviário na bagagem e cair na estrada.

Giovani Feltes considera desnecessário grupo G-5 para auxiliar na administração do Estado





Segunda-feira foi oficializada a criação do grupo chamado grupo G-5 para realizar a interlocução entre o governador Tarso e os secretários do Estado. Na opinião do líder partidário do PMDB, deputado Giovani Feltes, o Rio Grande do Sul não tem porque imitar tudo aquilo que se praticou no governo Lula. “Não temos necessidade disso, até porque não temos 38 secretarias como há 38 ministérios em Brasília”, argumentou.

Feltes considera que a medida é de difícil compreensão por afunilar as demandas das secretarias, além de transformar secretários de maior galardão em detrimento de outros. “Alguns secretários terão menos atenção que outros. Também não vejo a agenda do governador tão sobrecarregada assim para exigir tal mecanismo para filtrar e repassar suas obrigações a outros”, disse o peemedebista ao lembrar que o Piratini implantou uma sala de gestão para este mesmo fim. “Implantaram a dita milagrosa Sala de Gestão, passando a ideia de que tudo é fácil de ser resolvido, mas agora se cria mais este mecanismo que pode se reverter em um prejuízo”.

Na segunda-feira (23), o governador Tarso Genro implementou um grupo de cinco secretários, ou assessores, que passarão a desempenhar a função de "facilitadores". Chamado de G-5, eles começarão a intermediar a relação entre os demais secretários e o governador. O grupo é integrado pelo chefe de gabinete de Tarso, Vinícius Wu, por Tadeu Rigo, que faz parte do gabinete, pelo chefe do Assessoramento Superior, João Victor Domingues, e pelos secretários João Motta (Planejamento) e Carlos Pestana (Casa Civil).

  by Assessoria de Imprensa

Campo Bom inaugura em abril segundo labirinto verde do Estado




          A cerca viva é composta por 200 ciprestes de dois metros.


Da Redação
Foto: Diego da Rosa/GES
O labirinto tem 27 x 22 metros de diâmetro e cerca de 1,5 metro de largura

Campo Bom - Ainda faltam alguns ajustes para o labirinto verde de Campo Bom ser entregue oficialmente, mas crianças e adultos já se divertem no local. Ontem, um grupo de alunos do Centro Municipal de Educação Campo Bom Sempre Bom brincou na nova atração. “Já foram cinco visitas e todas as vezes as crianças gostam de se esconder para chegar ao meio do labirinto”, conta a professora Fernanda Grings, 26 anos que carregava no colo a aluna Mariana Palharini Alves da Silva, 5. A solenidade de inauguração será no dia 14 de abril, às 10 horas, no bairro Genuíno Sampaio. O labirinto fica na rótula da Rua Emílio Vetter com a Avenida dos Espaços, próximo ao Parcão. “É mais um espaço diferenciado de lazer para que mantenhamos nosso índice de qualidade de vida”, aponta o prefeito Faisal Karam.

SAIBA MAIS

O espaço, que ficará aberto ao público, é o segundo labirinto verde do Estado. O outro fica em Nova Petrópolis. O labirinto visa estimular o desafio, o senso de localização e o raciocínio, além de ser um lugar para reflexão, relaxamento e contato com a natureza.

O projeto do Labirinto Verde existe desde 2002 e foram pelo menos 5 anos esperando os ciprestes crescerem. Desde lá eles têm sido adubados e podados para que pudessem formar a cerca viva.

Em 2010, a prefeitura chegou a cogitar o cancelamento do projeto, em função das depredações causadas pela ação de vândalos. As ações constantes de vandalismo chegaram a destruir 40% da estrutura, incluindo árvores e alambrado.

No ano passado, o projeto foi retomado e toda a estrutura recebeu manutenção. Novos ciprestes foram plantados e adubados para preencherem os espaços que faltavam.

O LABIRINTO

Tem 27 x 22 metros de diâmetro, cerca de 1,5 metro de largura e um caminho que soma em torno de 85 metros de extensão. A cerca viva é composta por 200 ciprestes de 2 metros. Visto de cima, o labirinto deve ter a réplica do rosto de um palhaço.

No centro da Praça das Flores, o Labirinto Verde proporciona uma oportunidade para brincar, perder-se e encontrar-se em meio à natureza.

Bem por ai


Venezuelano voltou para Caracas nesta quarta-feira após 11 dias em Cuba



Chávez fala com reprsentantes de seu gabinete ao chegar a Caracas na madrugada do dia 26 de abrilPALÁCIO DE MIRAFLORES/DIVULGAÇÃO/REUTERS - 26/04/2012


CARACAS —Depois de passar 11 dias em Cuba, por conta de seu tratamento contra o câncer, o presidente Hugo Chávez retornou à Venezuela nesta quinta-feira. No entanto, seu quadro de saúde não é dos melhores: segundo o jornalista Nelson Bocaranda, Chávez não vem apresentando melhora. Em sua coluna online, Bocaranda informa que "a negação da doença, manifestada a cada aparição, somada à depressão provocada por conhecer a realidade e não poder compartilhá-la com seus seguidores" são "os principais inimigos de sua recuperação".

Segundo Bocaranda, estes seriam os motivos pelos quais os médicos brasileiros que fariam parte da equipe médica de Chávez se retiraram do grupo. O líder da Venezuela também estaria prestes a receber um enviado do ex-presidente brasileiro Luiz Inácio Lula da Silva, antes de sua próxima viagem a Cuba. A assessoria de imprensa do Instituto Lula nega a informação.

De acordo com as fontes do jornalista, Chávez agora deve fazer várias pequenas transmissões na TV estatal, direto de seu gabinete, para mostrar que está bem e recuperado. O presidente também estaria disposto a anunciar a nomeação do chanceler Nicolás Maduro como vice-presidente da República, assunto abordado durante os dias em Cuba.

A TV estatal não transmitiu ao vivo a chegada do presidente, por volta de 0h50m. No entanto, Chávez já havia falado à emissora por telefone na segunda-feira, depois de nove dias de silêncio —e de muitos rumores sobre seu estado e especulações, inclusive sobre sua morte. Na terça-feira, para desmentir os comentários, o presidente venezuelano apareceu ao lado dos ministros, de seu irmão Adán, e de seus netos, jogando bocha.

Chávez foi a Cuba no último dia 14 para fazer mais sessões de radioterapia, que começaram no fim de março depois que uma operação, realizada em fevereiro, retirou um segundo tumor de sua região pélvica — o primeiro foi extirpado em junho do ano passado. No começo da esta semana, ele chegou a declarar que ainda voltaria à Havana para passar por outros tratamentos.

Em seu perfil no Twitter, o ministro da comunicação e da informação da Venezuela Andrés Izarra postou uma foto de Chavez ao lado de alguns outros membros do governo, anunciando o retorno do presidente ao seu país. Líder cubano, Raúl Castro se despediu de Chávez, que, também através de sua conta na rede de microblogs, na noite de quarta-feira, se pronunciou: "Já no avião! Todos muito felizes, porque estamos rumo a nossa amada Venezuela. Levo saudações de Fidel, Raúl e de toda Cuba. Viva Venezuela!".

Enquanto Chávez viaja, o candidato da oposição, Henrique Capriles, continua em campanha. No entanto, institutos de pesquisa apontam uma ampla vantagem do atual presidente sobre o candidato desafiante. De acordo com Bocaranda, uma reunião interna do Partido Socialista Unido da Venezuela (PSUV) já analisa três diferentes cenários para as eleições presidenciais, marcadas para outubro: em um deles, Chávez continuaria como candidato. Em outro, o atual presidente não participaria do pleito, em função do estado avançado de seu câncer; e, no último quadro estudado, as votações poderiam ser suspensas.

Leia mais sobre esse assunto em http://oglobo.globo.com/mundo/chavez-piora-medicos-do-brasil-deixam-equipe-diz-jornalista-4745736#ixzz1tHL9vPIa
© 1996 - 2012. Todos direitos reservados a Infoglobo Comunicação e Participações S.A. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

by O GLOBO,

Da copa à cozinha – causos políticos






Este causo  aconteceu nem num faz muito tempo. Aconteceu numa cidade bem aí, perto de você.

Um empresário, com a sambiquira até foló de tanto passar pelos buracos em volta de sua empresa, foi procurar o prefeito. Ofereceu-lhe um por fora para que asfaltasse o pedaço. O prefeito, pensando na população, claro, acertou que tão logo a rua fosse arrumada, os R$ 500 mil ‘por fora’ seria entregue.

O prefeito, sempre pensando na população, cumpriu sua parte no acordo. E nada do empresário comparecer. Até que um dia, já fulo da vida, procurou o empresário:

- E aí, fulano, aquele acerto que nós fizemos?

- Qual?

- De asfaltar perto da sua empresa! Eu cumpri minha parte, mas até agora você não compareceu.

- Ué, já dei para seu secretário.

Dias depois o secretário municipal de uma cidade bem aí, perto de você, foi demitido, e de aliado passou a adversário. E como quem tem direito a cem anos de perdão, foi eleito suplente e pode até assumir um órgão que cuida da sala à copa e cozinha do município.

by Prosa e Politica

Eu creio. by Deise


Ministro das Comunicações afirma que projeto da TV Assembleia é prioritário

by Folha Web
 

O ministro das Comunicações Paulo Bernardo, que nesta quinta-feira esteve em Boa Vista inaugurando a TV Digital no Estado, sinal da TV Roraima, avaliou como positiva e necessária a instalação da TV Assembleia na capital, um elo entre o trabalho desenvolvido pelo Legislativo e a população.
“As Assembleias, o Senado e a Câmara dos Deputados tem interesse e obrigação de prestar conta de seus atos, e o cidadão tem o direito de saber o que seus parlamentares estão fazendo. A Assembleia Legislativa vai divulgar os seus projetos e o cidadão vai poder cobrar a cada momento o que está acontecendo e saber se o parlamentar está se comportando como ele gostaria. Isso tem influência inclusive depois das eleições. Acho que é muito positivo, para nós é um projeto prioritário”, destacou o ministro.
Paulo Bernardo foi recebido no Palácio Senador Hélio Campos pelo governador do Estado, Anchieta Júnior (PSDB), visitou as instalações do sinal digital no prédio da TV Roraima e participou da cerimônia de inauguração da TV Digital que aconteceu no Espaço Domus, na noite desta quinta-feira (26).
Durante coletiva de imprensa, o ministro das Comunicações informou que o Governo Federal está empenhado em cumprir o prazo de até 2016 implantar definitivamente o sinal digital na televisão brasileira e parar de transmitir com o analógico. “Na nossa opinião, é um avanço tecnológico extraordinário por que significa que a qualidade da televisão vai ser boa em todo o território nacional”, destacou.
Com relação à banda larga, Bernardo disse ter recebido muitas cobranças no que se refere à qualidade do serviço em Roraima. Ele afirmou estar em dívida não apenas com o Estado, mas de maneira geral com a região Norte e anunciou que foi colocado no orçamento da Telebrás R$ 66 milhões para investimentos em fibra ótica nos estados da Amazônia. A expectativa é que já no ano que vem os trabalhos tenham avançado.
Dois regulamentos estão sendo votados até o início de junho na Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) alterando critérios para a exploração de linhas que são usadas para a internet no atacado. Com isso, as empresas que tem linha de teletransmissão de dados serão obrigadas a fazerem o compartilhamento das mesmas, podendo esta ser mais uma saída para a melhoria do serviço de banda larga e também da telefonia móvel prestados.
“Vou chamar o presidente da Telebrás e as empresas até meu gabinete, nós vamos agarrar esse problema até resolver. Se não tivesse nenhuma infraestrutura disponível teríamos que construir, mas quando tem infraestrutura não se justifica nós recebermos tantas reclamações. Vamos nos empenhar ao máximo para num prazo mínimo acharmos uma solução para melhorar o preço e aumentar a oferta dos serviços no Estado”, adiantou o ministro.

Solenidade
Representando a Assembleia Legislativa de Roraima (ALE/RR) na solenidade de inauguração da TV Digital, o deputado Jalser Renier (DEM) parabenizou a afiliada da Rede Globo no Estado. “Levar informação com qualidade e precisão sempre foi um expoente da TV Roraima. Não tenho dúvida que esse trabalho, esse avanço vai melhorar muito a vida das pessoas em Roraima”, comentou.
Sobre a TV Assembleia, o parlamentar informou que o projeto de implantação do sinal operando com a TV Senado já está bastante avançado. “Dentro de três meses acredito que teremos boas notícias para a TV Assembleia local que terá condições tão boas quanto a TV Roraima para que nós possamos levar informação a toda a população de Boa Vista”, disse.
O deputado Rodrigo Jucá (PMDB) frisou que a TV Assembleia deverá ser a segunda TV Digital do Estado. “É uma qualidade de imagem melhor, trazendo a modernidade para cá. É importante ressaltar também as boas novas trazidas pelo ministro. Quem está habituado à tecnologia sabe que comunicação é fundamental. Parabéns a TV Roraima e que as outras televisões corram atrás também”, comentou.
O ministro das Comunicações veio a Roraima acompanhado do ex-ministro Bernardo Cabral, da senadora Ângela Portela (PT/RR), do senador Romero Jucá (PMDB/RR) e do deputado federal Luciano Castro (PR/RR).


Encontro em Brasília debate compras governamentais de produtos ambientalmente sustentáveis

Metas mínimas, definidas em lei, podem fazer da sustentabilidade um dos principais requisitos para as compras públicas. Para o coordenador do Fórum de Lideranças Executivas de Órgãos Federais no Rio de Janeiro (GesRio), Renato Cader, a obrigatoriedade de aquisição de produtos sustentáveis pode ser o caminho para vencer a resistência de alguns gestores públicos.

“Não é fácil tentar convencer os gestores públicos. Mas, quando você tem obrigação de comprar um mínimo, nem que sejam 3% [de itens sustentáveis], já é um avanço. Se deixar como está, muitos [gestores] ficam na zona de conforto, alegando que esses produtos são mais caros ou de menor durabilidade”, disse Cader.

O assunto é um dos temas que estão sendo tratados, em Brasília, no Encontro sobre Compras Públicas Sustentáveis, considerado parte dos eventos preparatórios da Conferência das Nações Unidas para o Desenvolvimento Sustentável (Rio+20).

Cader liderou o GesRio nas duas compras de produtos sustentáveis compartilhadas por órgãos como Jardim Botânico, Polícia Federal, Fundação Casa Rui Barbosa, Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Instituto Nacional de Metrologia (Inmetro), Ministério da Fazenda, Fundação Osvaldo Cruz (FioCruz), Dataprev e Agência Nacional de Cinema (Ancine). “Tivemos como resultado uma economia de 49,89% na aquisição dos produtos. É muito mais fácil agora vender a ideia para os outros órgãos públicos. Alguns itens, como envelope reciclado, nós compramos mais barato que produtos convencionais”, garantiu.

Fonte: Agência Brasil

O véu da ignorância


by HÉLIO SCHWARTSMAN
 
SÃO PAULO - O filósofo John Rawls propõe um experimento mental para definir o que é justo. Você e seus concidadãos irão estabelecer as regras sob as quais seu país vai funcionar. Virarão normas os princípios com os quais a maioria concordar.
Há, porém, um detalhe. Ao decidir, ninguém sabe que lugar ocupará na sociedade, quanto dinheiro ou status terá, sua origem étnica, nem seu grau de inteligência ou beleza. Esse filtro, que Rawls chamou de véu da ignorância, assegura que as escolhas serão imparciais e racionais.
Bem, eu fiz essa experiência com as cotas, mas não cheguei a uma conclusão definitiva. Sou, é claro, favorável à ideia de contar com um seguro contra injustiças aleatórias, como a quantidade de melanina na pele. Bem mais difícil é decidir os remédios que podem ser utilizados.
As cotas puras, ontem chanceladas pelo STF, me parecem um exagero. Ao estabelecer uma reserva de vagas para negros, elas ferem para além do razoável o princípio da igualdade de todos diante da lei.
É claro que a igualdade plena não passa de uma ideia reguladora, uma abstração. Implementá-la a ferro e fogo tornaria inconstitucionais práticas estabelecidas e bem aceitas como a progressividade do Imposto de Renda e as aposentadorias especiais (incluindo os 30 anos para as mulheres).
É preciso, porém, certo cuidado quando começamos a sacrificar princípios abstratos para tentar fazer justiça concreta. Se reservamos vagas para cotistas, os não cotistas ficam com menos postos para disputar. Eles são prejudicados para compensar erros históricos pelos quais não têm responsabilidade pessoal.
É um pouco buscar a quadratura do círculo, mas eu só utilizaria o remédio em doses parcimoniosas, como as bonificações para egressos da escola pública. Elas são menos eficazes, mas também produzem menos injustiças na outra ponta. Essa, pelo menos, é a escolha que eu, vestindo o véu da ignorância, faria.

Cotas raciais, um erro


by FOLHA DE S.PAULO

Tratamento desigual para reparar injustiças deveria contemplar apenas critérios sociais objetivos -não a cor da pele, obsessão importadaO Supremo Tribunal Federal declarou as políticas de cotas raciais em universidades federais compatíveis com a Constituição. A decisão será saudada como um avanço, mas nem por isso terá sido menos equivocada.
Ninguém duvida que a escravidão foi uma catástrofe social cujos efeitos perniciosos ainda se propagam mais de um século após a Abolição. Descendentes de cativos -de origem africana ou nativa, pois também houve escravização de índios- sofrem, na maioria dos casos, uma desvantagem competitiva impingida desde o nascimento.
As políticas adotadas por universidades que reservam cotas ou garantem pontuação extra a candidatos originários daquela ascendência procuram reparar essa iniquidade histórica. A decisão do STF dará ensejo à disseminação de tais medidas em outras instâncias (acesso a empregos públicos, por exemplo), o que ressalta a relevância do julgamento.
São políticas corretivas que podem fazer sentido em países onde não houve miscigenação e as etnias se mantêm segregadas, preservando sua identidade aparente. Não é o caso do Brasil, cuja característica nacional foi a miscigenação maciça, seguramente a maior do planeta. Aqui é duvidosa, quando não impraticável, qualquer tentativa de estabelecer padrões de "pureza" racial.
Não se trata de negar a violência do processo demográfico ou o dissimulado racismo à brasileira que dele resultou, mas de ter em mente que a ampla gradação nas tonalidades de pele manteve esse sentimento destrutivo atrofiado, incapaz de se articular de forma ideológica ou política. Com a mentalidade das cotas raciais, importa-se dos Estados Unidos uma obsessão racial que nunca foi nossa.
No Brasil, a disparidade étnica se dissolve numa disparidade maior, que é social -uma sobreposta à outra. A serem adotadas políticas compensatórias, o que parece legítimo, deveriam pautar-se por um critério objetivo -alunos de escolas públicas, por exemplo- em vez de depender do arbítrio de tribunais raciais cuja instalação tem algo de sinistro.
A Constituição estipula que todos são iguais perante a lei. É um princípio abstrato; inúmeras exceções são admitidas se forem válidos os critérios para abri-las. A ninguém ocorreria impugnar, em nome daquele preceito constitucional, a dispensa de pagar Imposto de Renda para os que detêm poucos recursos.
O cerne da questão, portanto, consiste em definir se há justiça em tratar desigualmente as pessoas por causa do tom da pele ou se seria mais justo, no empenho de corrigir a mesma injustiça, tratá-las desigualmente em decorrência do conjunto de condições sociais que limitaram suas possibilidades de vida.


Comentário meu: Sou contra as quotas. Simplesmente porque  entendo que beneficiar pessoas por terem cores de pele diferente  , muito longe de beneficio, é estabelecer preconceito.
No caso, que pessoas negras são  incapazes e inferiores. 
Que precisam de "beneficio" cedidos  por "brancos" para poder cursar uma faculdade.
Brancos, negros, indios, pardos, cabloco se capazes e competentes vao entrar na Universiade.
Sem precisar em nenhum momento, passar na frente de "brancos", por  motivo da quota. 
Diferente de capacidade e  mérito.
Continua sendo esmola.
E eu detesto  o paternalismo, os favores e as benéfices.
Sempre sai caro. Por que nao existe almoço grátis.. 

A rapadura é doce. Mas nada mole... quem duvidar é louco. by Deise


by Prosa e Politica



                “Ele se considera um preso político”, diz a esposa de Carlinhos Cachoeira. Phodeo!


Em entrevista a Catia Seabra, no jornal Folha de SP, a esposa do contraventor Carlinhos Cachoeira disse que no presídio da Papuda, em Brasília, seu marido está melhor, já ganhou peso (perdeu 15 no presídio de Mossoró), as idéias estão se organizando e ele tem lido muito o Código Penal, a Bíblia e o inquérito. Mas que o contraventor está revoltado. Cachoeira diz que se considera um preso político. Pessoal, Phodeo! Pelo tamanho deste esquema e pela quantidade de gente envolvida, este bicheiro ainda vai sair da cadeia como injustiçado e apto até a pleitear indenização vitalícia como ex-preso político.

Leia abaixo a entrevista, mas o pedaço que mais gostei foi quanbdo a Folha perguntou se Cachoeira tem alguma atividade formal ou é só jogo. A esposa respondeu que sim, claro que sim. A repórter então perguntou: qual? “Tenho que buscar. Mas creio que o laboratório, talvez”. respondeu a esposa do bicheiro. hahahaha

Folha – A senhora visitou o Cachoeira na Papuda. Ele emagreceu, perdeu…
Andressa Mendonça – Quinze quilos. Ele já ganhou peso. A cabeça dele está muito bem. As ideias estão se organizando. Mais tranquilo, menos ansioso. O isolamento de Mossoró [RN, onde estava antes] fazia-lhe muito mal.

Ele come segundo a dieta da Papuda ou pode-se levar outro tipo de alimento?
Ele não tem tratamento VIP. Posso levar 10 frutas semanais e um quilo de cream cracker.

O que ele faz durante o dia?
Conversa, lê bastante. Lê o Código Penal, a Bíblia, e lê o inquérito. Sempre levo tudo para que tenha noção do que a defesa está apresentando.

Ele acompanha as notícias?
Lê. Lá em Mossoró, “Veja”, “IstoÉ”, “Época”…Tudo.

O que a senhora sente ao ver o marido retratado como o líder de quadrilha?
Revolta e tristeza. Julgam o Carlinhos por isso ou por aquilo. Mas a pessoa que eu conheço não é essa. O Carlinhos que eu conheço faz caridade, doa caminhão de macarrão para creche, doa caminhão de brinquedo. É humano, comprometido e responsável.

O que diz sobre essa acusação de exploração de jogo ilegal?
Acredito que ele é inocente, que vai ter oportunidade de falar e se defender. Ele se considera um preso político. Fica revoltado. Falou várias vezes que, após a ditadura, ele é um preso político. Que a [Operação] Monte Carlo tomou um rumo muito mais político do que a operação em si.

Mas qual é a lógica? Ele acha que é uma perseguição governamental?
Acha que fizeram ele de bode expiatório. Fiquei muito chateada quando um senador, acho que Pedro Simon [PMDB-RS], disse que ele é o futuro PC [Farias]. Pegaram o Carlinhos, julgaram, condenaram e agora querem matar.

Por que bode expiatório?
Ele não me fala em nomes. Mas, como tomou um rumo político, ele se sente assim. Fica com muito medo, talvez por ter sido levado a um presídio de segurança máxima. Ele é réu primário, não é um homicida, não cometeu crime hediondo.

Quando ‘casou’, a senhora foi avisada dos riscos, do jogo?
Dizer isso seria afirmar uma contravenção. Posso dizer que fui avisada que ele estava batalhando pela regulamentação dos jogos. Lá fora, Carlinhos seria considerado um grande empresário. Aqui, é contraventor. Na Copa, milhares de estrangeiros vêm ao Brasil. Onde irão se divertir? Ele está batalhando. Ninguém quer ficar na informalidade. Ele também não.

Há uma grande expectativa em relação ao depoimento dele na CPI. Afinal, será uma bomba ou não vai falar nada?
Ele reflete muito. Como toda pessoa que está presa, longe dos seus, pensa uma coisa e, depois, pensa outra. Difícil saber o que vai acontecer. Ele não tomou uma decisão.

Então, não dá para garantir que ele será moderado, nem…
Não.

Verdade que ele gravava todas as conversas?
Não sei te responder. Como estou “casada” há pouco, nunca falamos sobre isso.

No calor do processo, muitos negam laços com Cachoeira…
Isso é cômico. Não entendo. O Carlinhos tem tantos amigos de todos os níveis sociais. Não vejo problema em dizer que o conheciam.

Tinham vida social ativa, frequentavam muitas festas?
Frequentávamos. A gente gostava de sair. Um casal jovem. Estávamos numa fase tipo “namorido”, aquele negócio gostoso, vamos tomar vinho. Ele é extremamente romântico. A gente badalava, saía, dançava.

As gravações mostram Cachoeira em operações de compra de mansão em Miami, avião, helicóptero. Qual era o padrão de vida de vocês?
O Carlinhos teve uma casa em Miami, não uma mansão, com a [ex] mulher. Ele não tem helicóptero nem avião, como sugerem as investigações. Eu queria mesmo que ele tivesse um transatlântico.

Ele tem fazendas. Como você definiria o padrão de vida?
Padrão de vida confortável. Nada de ostentar. Carlinhos é um homem de hábitos muito simples.

O que explica ela ser alvo de duas CPIs?
Carlinhos é um homem muito invejado. As pessoas têm muita curiosidade na vida dele. Especula-se muito.

Ele tinha esse trânsito todo no mundo político como se fala?
Não sei te responder. O Carlinhos é um estudioso de política. Conhece política não só do Brasil como no mundo todo. Ele acorda cedo e às 7h já deve ter lido todos os jornais. É uma pessoa extremamente informada.

Tem falado com Demóstenes?
Falei com ele antes, agora ele está cuidando da defesa dele.

É verdade que o Carlinhos é dono de um laboratório?
Tem um laboratório em Anápolis, que é da [ex] esposa dele. Se ele é dono ou não é dono… O laboratório existe. Está lá. Se é do Carlos, ou se é dela, de quem é, não sei.

Tem muita propriedade no nome dela.
Imagino que batalharam como casal. E ele preferiu deixar as coisas com ela para blindar o patrimônio dos filhos. Não sei as razões dele. Importante falar que o Carlinhos operou os jogos por quase dez anos legalmente.

E a acusação de operação de máquina de caça-níquel?
Como não trabalho com ele, saio cedo e ele vai para a Anápolis, não sei falar.

Ele tem atividade formal ou é só jogo?
Claro que tem.

Qual?
Tenho que buscar. Mas creio que o laboratório, talvez.

Na íntegra da defesa de Demóstenes


Leia aqui a íntegra da defesa prévia do senador Demóstenes Torres (sem partido), apresentada no Conselho de Ética.

Jamais duvidem disso. by Deise


Manchetes de Hoje


Banco Central confunde mercado sobre trajetória da taxa de juros – Um futuro para política industrial – Decisão: Supremo aprova as cotas em universidades – Entre poderes: Restrição ao Judiciário é criticada – Congonhas: Descoberta protege morro de mineração – Municípios vão pedir compensação por renúncia fiscal de IPI – Serviços puxam consumo de energia – Mesmo com economia fraca, renda real tem forte avanço – Negociação, agora, só com o fim da greve dos professores…

O Globo
Manchete: Por 10 x 0, Supremo libera cota racial em universidade

Decisão vale para todas as instituições que reservam vagas para negros

Por unanimidade, o STF decidiu ontem que a reserva de vagas em vestibulares para negros e pardos é constitucional. Os ministros julgavam o caso específico da UnB, que adotou em 2004 cota de 20% para afrodescendentes. A decisão, no entanto, vale para todas as instituições públicas que adotam ou pretendem adotar o critério racial em seus processos seletivos como forma de diminuir a desigualdade no acesso ao ensino superior. O julgamento teve como base uma ação proposta pelo DEM em 2009, que argumentou que a política da UnB era uma afronta ao princípio da igualdade e incentivava o racismo por criar privilégios baseados em critérios raciais. Os ministros do Supremo entenderam que a cota é um instrumento legítimo para corrigir desigualdades. (Págs. 1 e 3 a 10)
“Viva a nação afrodescendente” (Luiz Fux)

“Precisamos saldar essa dívida” (Marco Aurélio Mello)

“É um processo, uma etapa” (Cármen Lúcia)

Segurança: O índio guarani Araju Sepeti é retirado à força do STF. Ele estava na plateia e interrompeu o julgamento reclamando em voz alta que só se falava ali da situação dos negros. (Págs. 1 e 3)

Míriam Leitão

Mais do que votar, os ministros explicaram o conceito básico de que a igualdade não acontece por inércia, mas por ação. (Págs. 1 e 24)

Entrevista

Para o sociólogo Simon Schwartzman, ao diferenciar pessoas pela cor da pele ou raça, as cotas geram mais discriminação. (Págs. 1 e 4)

Foto-legenda: O alerta vem do céu

Imagens aéreas feitas pelo fotógrafo e ativista francês Yann Arthus-Bertrand mudam a paisagem da Cinelândia e chamam a atenção para questões ambientais. (Págs. 1 e 18)

Casa Branca anuncia plano de bioeconomia

Com o objetivo de substituir tecnologias nocivas à saúde e ao meio ambiente por outras mais sustentáveis, o presidente dos EUA, Barack Obama, lançou o Plano Nacional de Bioeconomia. O conceito é abrangente e inclui desde o desenvolvimento de biocombustíveis até técnicas agrícolas, passando por tratamentos médicos, baseados em processos biológicos, menos danosos. (Págs. 1 e 34)

Dilma vetará Código Florestal

Após derrota na votação do Código Florestal, o ministro Gilberto Carvalho admitiu que a presidente está contrariada e que vetará partes do texto. (Págs. 1 e 11)

“Consumo pode levar ao fim do mundo”

O ministro Gilberto Carvalho disse que o mundo acabaria, caso todos passassem a consumir como os ricos. Ele defendeu “o caminho do meio”. (Págs. 1 e 29)

Delta abandona também a Transcarioca

Envolvida no escândalo Cachoeira, a Delta, que abandonara as obras do Maracanã, saiu também do projeto do corredor expresso Transcarioca. A ministra Miriam Belchior disse que a eventual quebra da empreiteira, que concentra obras do PAC, é problema da empresa, não do governo. (Págs. 1, 12, Luiz Garcia e Nelson Motta)

Haia condena 1º ditador desde Nuremberg

O liberiano Charles Taylor foi considerado culpado de crimes contra a Humanidade em julgamento em Haia. O último ex-chefe de Estado condenado pela Justiça internacional fora o alemão Karl Dönitz, em Nuremberg, em 1946. (Págs. 1 e 31)

Petrobras tira diretores e irrita partidos

A saída de três dos sete diretores da Petrobras irritou o PP, que perdeu a área de abastecimento por decisão da presidente da estatal, Graça Foster, e de Dilma. As trocas causaram alvoroço no PMDB, que quer ampliar o seu espaço. (Págs. 1 e 25)

Juros baixos sem mudar a poupança

Após o BC indicar que os juros cairão abaixo de 9%, a Caixa cortou taxas e lançou fundos de investimento populares. Com isso, o governo conquista tempo e espaço para reduzir os juros, sem mexer no ganho da poupança. (Págs. 1 e 23)

Obra prometida para Niterói há 38 anos acaba na Justiça (Págs. 1 e 15)

Entrevista

A complacência do Brasil com o massacre na Síria é chocante, diz o francês Bernard-Henri Lévy. (Págs. 1 e 32)

——————————————————————————
O Estado de S. Paulo

Manchete: Em áudio, Cachoeira fala em pagamento a Perillo por vantagens

Contraventor se valia da propina para emplacar nomeações em Goiás, indica gravação

Gravações da Polícia Federal mostram o contraventor Carlinhos Cachoeira e seus aliados falando em pagamentos ao governador de Goiás, Marconi Perillo (PSDB), e a integrantes do primeiro escalão do governo cm troca de vantagens em negócios públicos, informam Fábio Fabrini, Alana Rizzo e Alfredo Junqueira. De acordo com as gravações, obtidas pelo Estado, a organização do contraventor se valia dos repasses para emplacar nomeações e vencer licitações. Perillo pediu ontem ao Ministério Público que seja aberto um inquérito contra ele. Seu advogado disse que o governador está sendo alvo de vazamentos direcionados de escutas telefônicas. (Págs. 1 e Nacional, A4 e A6 a A8)

Governo quer que bancos dividam ganho com cliente

O governo decidiu que os bancos terão de repassar aos clientes, como benefícios, parte do ganho obtido em fusões. O Banco Central nega que a medida, que se soma à ação das instituições oficiais para reduzir o custo do crédito, sirva para “apertar os bancos”. (Págs. 1 e Economia, B1 e B3)

Espanha rebaixada

A Standard & Poor’s rebaixou de A para BBB+ o rating de crédito de longo prazo do país. (Págs. 1 e Economia, B11)

Dilma deve vetar anistia no novo Código Florestal

A presidente Dilma Rousseff analisa vetar alguns artigos do novo Código Florestal aprovado anteontem na Câmara dos Deputados para impedir que produtores rurais deixem de recuperar parte da área desmatada em suas propriedades. A decisão será anunciada até meados de maio. (Págs. 1 e Vida, A22)

Ideli Salvatti – Relações Institucionais

“Qualquer questão que signifique anistia tem grandes chances de sofrer o veto”.

Foto-legenda: Trocando as estações

Em sete meses de operação parcial da Linha 4-Amarela, o movimento da Estação Paulista já supera sua capacidade em 100%, enquanto a Estação da Sé, que sempre simbolizou a superlotação do Metrô, está com folga de 200 mil usuários. (Págs. 1 e Cidades, C1)

“Ele é mais que um pai”, diz Sean à TV

Pivô de batalha por sua guarda, Sean Goldman (foto), de 11 anos, deu entrevista nos EUA elogiando o pai, David. “Por que expor Sean?”, reagiu Silvana Bianchi, avó do menino. (Págs. 1 e Cidades, C3)

Por unanimidade, STF valida cotas raciais em universidades

O Supremo Tribunal Federal decidiu, ontem, por unanimidade, que cotas raciais para negros e índios em universidades são constitucionais, não violam o princípio da igualdade nem institucionalizam discriminação. Por três vezes, o índio Araju Sepeti interrompeu o julgamento e foi expulso. (Págs. 1 e Vida, A24)

Liga Árabe pede que ONU pressione Síria (Págs. 1 e Internacional, A15)

Richard Haass: Aos vencedores, mais desafios

Líderes de emergentes enfrentam o fato de que as reivindicações dos cidadãos cada vez mais superam a capacidade de satisfazê-las. (Págs. 1 e Visão Global, A18)

Dora Kramer: Vontade da maioria

Goste-se ou não, a aprovação do Código Florestal expressou a vontade da maioria, sem relação com o tamanho ou a fidelidade da base aliada. (Págs. 1 e Nacional, A6)

Notas & Informações

Produção e preservação

Foi um erro político deixar o debate do Código virar confronto entre ruralistas e ambientalistas. (Págs. 1 e A3)

————————————————————————
Correio Braziliense

Manchete: STF aprova o sistema de cotas para negros

Ativista dos direitos humanos, o cineasta americano Spike Lee visitou ontem o Supremo Tribunal Federal. Ele foi recebido pelo ministro Joaquim Barbosa, único integrante negro da corte, em um dia emblemático: por unanimidade, 10 votos a zero, o STF refutou uma ação proposta pelo DEM e aprovou a política de cotas raciais que reserva para negros 20% das vagas do vestibular da UnB. A decisão deve servir de parâmetro para todas as instituições públicas de ensino superior no país. Um índio foi retirado à força do tribunal ao se manifestar, durante a sessão, para que os indígenas fossem citados nas cotas. (Págs. 1, 8 e Diversão & Arte, 6)

Spike Lee, Romário e Dirceu escapam de assalto em Brasília (Págs. 1 e 21)

A insustentável defesa de Demóstenes

Argumentos contestando escutas da PF que ligam o senador a Cachoeira não o livrarão da perda do mandato. Discurso no qual Demóstenes teria mentido em plenário é que deve embasar o pedido de cassação por quebra do decoro. (Págs. 1 e 2)

Posse de concursados

Mais prazo para convocações

Apesar da suspensão das nomeações devido a cortes no Orçamento, o governo federal prometeu estender a validade das seleções para atender todos os aprovados. (Págs. 1 e 10)

Câncer

Remédio à base de plantas ajuda a controlar doença na próstata. (Págs. 1 e 19)

Susto com o IPTU

Dnocs tem taxa de R$ 1 mil

Os moradores da Vila, a maioria de baixa renda e beneficiária de programas sociais, foram surpreendidos com os valores das taxas cobradas pelo GDF. (Págs. 1 e 28)

Negociação, agora, só com o fim da greve dos professores

O GDF anunciou a suspensão de todas as propostas feitas à categoria, em greve há 46 dias, após um grupo de docentes invadir parte do 6º andar do Palácio do Buriti. Houve confronto entre PMs e sindicalistas. A Justiça determinou a desocupação do prédio na noite de ontem. (Págs. 1 e 24)

—————————————————————————
Valor Econômico

Manchete: Mesmo com economia fraca, renda real tem forte avanço

Apesar da redução no ritmo de crescimento da economia, a renda real dos trabalhadores continua crescendo vigorosamente e será fator decisivo para uma recuperação robusta nos próximos meses. Em março, avançou 1,6% sobre fevereiro e 5,6% em relação ao mesmo mês de 2011. A demanda aquecida ainda empurra para o alto os preços dos serviços, que sobem há bastante tempo acima da inflação e podem exercer pressão de alta no futuro sobre os índices bem comportados do último trimestre. A inflação de serviços continua por volta dos 9%.

A renda média real nas seis principais regiões metropolitanas do país alcançou R$ 1.728,40 em março, a mais alta da série histórica iniciada pelo IBGE em 2002. Para economistas, o forte crescimento da renda real em março não reflete apenas o aumento de 14% do salário mínimo, mas também um cenário ainda favorável aos reajustes, que não estão sendo inibidos pela ameaça de perda do emprego. (Págs. 1 e A3)

Ferrovia investe pouco em expansão

As empresas privadas que operam ferrovias estão investindo muito pouco em expansão da rede. No ano passado, desembolsaram R$ 4,7 bilhões, mas destinaram a maior parte dos recursos à manutenção e compra de locomotivas e vagões. Um terço dos 30 mil quilômetros da malha, segundo dados oficiais, está hoje subutilizada e degradada. O presidente da Associação Nacional de Transportadores Ferroviários, Rodrigo Vilaça, diz que esses trechos são inviáveis.

Dos quase R$ 30 bilhões que o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) liberou para projetos de infraestratura em 2011, apenas R$ 226 milhões (menos de 1%) foram para o setor. Dos três grandes projetos existentes hoje no país, apenas um é de responsabilidade da iniciativa privada – a Nova Transnordestina. Os outros são tocados pelo próprio governo por meio da Valec: a extensão da ferrovia Norte-Sul e o projeto de construção da Oeste-Leste. (Págs. 1 e B8)

Senadores tentam mudar novo Código

Os senadores Jorge Viana (PT-AC) e Luiz Henrique (PMDB-SC) apresentaram novo projeto de lei restabelecendo dispositivos retirados do Código Florestal pela Câmara dos Deputados. O projeto cria salvaguardas para proteger os rios e retoma a obrigatoriedade de recomposição de florestas em todas as faixas de curso d’água. A iniciativa, que retorna à proposta original do governo, sinaliza os vetos que a presidente Dilma Rousseff deverá fazer ao projeto. A estratégia é pedir urgência na tramitação da nova proposta, que será apreciada pela Câmara, mas terá texto definitivo do Senado.

Para o ex-secretário-executivo do Ministério do Meio Ambiente, João Paulo Capobianco, o novo Código representa um retrocesso “jamais visto”. Para André Nassar, coordenador da RedeAgro, regulariza os produtores. (Págs. 1 e A8)

Migração para o ensino privado

As escolas públicas brasileiras, principalmente nos níveis fundamental e médio, estão perdendo espaço para os colégios particulares. Nos últimos dez anos, a educação pública perdeu um total de 4,834 milhões de estudantes, enquanto o ensino privado ganhou 1,090 milhão de matrículas. Entre 2002 e 2011, enquanto o número de matrículas em escolas públicas declinou 480 mil por ano, o ensino privado arrebanhou 110 mil.

Uma das principais explicações para a tendência é o aumento da renda decorrente do crescimento econômico, que estimulou famílias em ascensão social a colocar seus filhos em escolas particulares. O economista Naercio Menezes Filho, coordenador da área de políticas públicas do Insper, afirma que os números refletem “uma lógica natural”. “O fato é que se a família tem ganho de renda, prefere matricular o filho na escola privada. Ele escolhe a escola que acha melhor”, diz. (Págs. 1 e A4)

Indústria de TI apela à autodefesa

Com o crescimento explosivo dos dispositivos móveis vieram também as ameaças à segurança de dados e os roubos de aparelhos. A linha de defesa que está sendo construída pela indústria de PCs e pelas operadoras de telecomunicações passa por aplicativos protetores nos equipamentos. Entre os recursos mais difundidos estão os que permitem apagar a distância os dados salvos em smarphones e tablets, o bloqueio remoto do aparelho e a possibilidade de fazer backup das informações armazenadas. Progridem também os sistemas de rastreamento.

Mas os cuidados com a proteção avançam devagar, mesmo nas empresas. “As tecnologias móveis são simplesmente implantadas nas companhias brasileiras”, diz o delegado José Mariano de Araújo Filho, especialista em crimes eletrônicos da Polícia Civil de São Paulo. “Não há preocupação com a definição de políticas de segurança e o impacto de risco dos recursos”. (Págs. 1 e B3)

Brasil aumenta a exportação de café de qualidade

Exportador tradicional de café verde, o Brasil começa a vender cafés especiais, orgânicos e certificados. Em 2007, apenas 7,7% do total exportado era dessas categorias. Em 2011, eles representaram 26%, segundo entidade dos exportadores. A demanda está tão forte que os preços médios desses tipos de café superam os dos produtos industrializados (torrado e moído e solúvel). (Págs. 1 e B12)

Pão de Açúcar abre lojas virtuais em rede física

Uma loja virtual dentro de outra, real. O consumidor entra num supermercado e, por meio de terminais de computador, faz compras on-line de produtos inexistentes no local. A estratégia, uma tendência do mercado, foi adotada pela maior rede varejista do país, o Grupo Pão de Açúcar (GPA). O plano do grupo é explorar suas várias marcas e, para isso, inicialmente instalou terminais em 26 lojas da rede de supermercados Extra.

Atualmente, cerca de 93% das receitas do GPA são provenientes das vendas realizadas nas lojas físicas e apenas 7% vêm do comércio eletrônico, gerido pela Nova Pontocom. “O grupo é o maior varejista do país e somos a segunda maior rede de e-commerce. Temos muita coisa a fazer ainda, em termos de sinergia, de troca. É algo que não termina, porque é um trabalho constante”, diz German Quiroga, presidente da Nova Pontocom e um dos criadores da Americanas.com nos anos 90. (Págs. 1 e B5)

Municípios vão pedir compensação por renúncia fiscal de IPI (Págs. 1 e A2)

Bancos europeus dão lucro, mas esperam um ano difícil (Págs. 1 e B9)

Serviços puxam consumo de energia

Consumo nacional de eletricidade no primeiro trimestre aumentou 3,9% em relação a igual período de 2011, puxado pelo setor comercial, com alta de 6,3%. No setor industrial o crescimento foi de 2,3%. (Págs. 1 e A3)

Eldorado define estratégias

A seis meses de iniciar a operação da fábrica de celulose branqueada de eucalipto de Três Lagoas (MS), a Eldorado Celulose e Papel já tem desenhada sua estratégia comercial, com foco na China, Europa e diversificação de clientes. (Págs. 1 e B1)

“Puerto Madero” em Santos

O porto de Santos se prepara para construir um complexo de turismo e lazer no bairro do Valongo, entre os armazéns 1 a 8. Denominado Porto Valongo Santos, o “puerto madero santista” demandará investimentos superiores a R$ 550 milhões. (Págs. 1 e B6)

Especial/Infraestrutura

Objetivo ao mesmo tempo complexo e tentador, a integração física dos países sul-americanos começa a dar sinais mais concretos de realização, com a expectativa de que os interesses econômicos envolvidos na empreitada incentivem sua consecução, diz Carlos Cavalcanti, diretor da Fiesp. (Pág. 1)

Vale repensa projeto na Argentina

Incertezas de ordem institucional – com a estatização da YPF – e econômicas na Argentina levam a Vale a reavaliar o projeto de potássio Rio Colorado, na província de Mendoza, com investimentos estimados em US$ 5,9 bilhões. (Págs. 1 e B7)

Avanço da mineração

Com aumento de 28%, a produção mineral brasileira alcançou US$ 50 bilhões no ano passado, impulsionada pelo desempenho recorde do minério de ferro, com produção de 467 milhões de toneladas, um aumento de 25%. (Págs. 1 e B7)

Súmula do STF contra a guerra fiscal

Supremo Tribunal Federal (STF) abre consulta pública à proposta de súmula vinculante para coibir a concessão de incentivos tributários sem autorização unânime dos Estados, no âmbito do Confaz. (Págs. 1 e El)

Limite à compensação de prejuízos

O Conselho Administrativo de Recursos Fiscais (Carf) decidiu que, mesmo em caso de incorporação de empresas, a compensação de prejuízos está limitada a 30% do lucro. (Págs. 1 e E2)

Ideias: Claudia Safatle

Copom vê espaço para prosseguir no corte dos juros e toma iminente a decisão sobre mudanças na poupança. (Págs. 1 e A2)

Ideias: Naercio Menezes Filho

Governo não vai aumentar a produtividade da indústria à força de leis, nem transferindo mais dinheiro para o setor. (Págs. 1 e A13)

——————————————————————————
Estado de Minas

Manchete: Cuidado com as armadilhas

Dos juros da casa própria

Na esteira do barateamento do crédito para moradia, puxado pela Caixa, e do feirão no qual a instituição vai por à venda 430 mil casas e apartamentos em todo o país, inclusive BH, de 4 a 6 de maio, especialistas alertam: evite comprar por impulso, sem avaliar bem a capacidade de pagamento; analise em detalhes o contrato; pesquise sobre a construtora; e, principalmente, conheça o imóvel e verifique se está ocupado ou se há questionamento de posse na Justiça.

Dos desvios do trânsito

Estado de Minas percorre trechos interditados para obras em corredores importantes de BH e mostra os problemas nas rotas alternativas. Sinalização precária, deficiência de estrutura para tráfego pesado e falta de iluminação foram verificadas nos desvios das avenidas Flávio dos Santos (já liberada) e Otacílio Negrão de Lima, da MG-30 e da trincheira de acesso à Avenida Vilarinho. O bom exemplo está na Rua Samaha com Augusto Franco, em Venda Nova. (Págs. 1, 12, 21 e 22)

Foto-legenda: Índio quer cota

O Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu por unanimidade (10 votos a 0) que o sistema de cotas raciais em universidades é constitucional. Todos os ministros que participaram do julgamento acompanharam o voto favorável do relator, Ricardo Lewandowski. Durante a sessão, o índio guarani Araju Sepeti (acima) foi retirado do plenário por seguranças, após interromper três vezes a fala dos magistrados. (Págs. 1 e 9)

Pesquisa

Estudo da UFMG inibe rejeição de medula óssea transplantada. (Págs. 1 e 28)

Código Florestal

Para produtores rurais de Minas, texto aprovado beneficia estado. (Págs. 1 e 4)

Gás: Consórcio abrirá mais 3 poços em Morada Nova

Projeção é de começar a produzir na Bacia do São Francisco no máximo até dezembro. (Págs. 1 e 18)

Congonhas: Descoberta protege morro de mineração

Ministério Público encontra em estudo contratado pela CSN comprovação de que Morro do Engenho é área ambiental desde 2004 e não pode ser minerado. Local emoldura profetas esculpidos por Aleijadinho no adro da Basílica de Bom Jesus de Matosinhos. (Págs. 1 e

Demóstenes na folhinha

Conselho de Ética do Senado marca para 8 de maio votação de parecer sobre abertura de processo. (Págs. 1 e 3)

Leão aguarda 7,4 milhões de contribuintes

A três dias do final do prazo, Receita recebe cerca de 100 mil declarações por hora. (Págs. 1 e 17)

——————————————————————————
Jornal do Commercio

Manchete: Preço do feijão sobe 100% e doze meses (Págs. 1 e Economia 4)

Ministros dizem que Dilma vetará parte do Código Florestal (Pág. 1)

———————————————————————————
Zero Hora

Manchete: Estado paga R$ 1.451 a magistério, mas não cumpre a lei do piso

Piratini anuncia abono provisório para professores e irrita o Cpers por eliminar diferenças entre níveis iniciais do plano de carreira. (Págs. 1, 4, 5 e Rosane de Oliveira)

Guardiões do aeroporto

Desde dezembro, falcões e gaviões treinados capturaram 156 aves que colocavam em risco os voos no Salgado Filho. (Págs. 1 e 34)

Decisão: Supremo aprova as cotas em universidades

Dez ministros do STF defenderam a validade do sistema perante a Constituição federal.(Págs. 1 e 36)

Entre poderes: Restrição ao Judiciário é criticada (Págs. 1 e 6)

Laudos apontam: Presídio Central é irrecuperável (Págs. 1 e 47)

———————————————————————————
Brasil Econômico

Manchete: Caixa reduz taxa de administração dos fundos, novo alvo do governo

Assim como aconteceu com os juros, um banco público largou na frente e diminuiu as tarifas de administração, que comem os ganhos do aplicador. O governo tem dois objetivos: manter a poupança atraente e servir de exemplo para o setor privado. (Págs. 1 e 39)

Dilma e Eike em clima de namoro e parcerias no Rio

Houve tanta afinidade no Porto do Açu, que a presidente afirmou que ”não pode haver concorrência entre Petrobras e OGX”; e Eike propôs a criação de uma nova empresa. (Págs. 1 e

Um futuro para política industrial

Em debate promovido pelo BRASIL ECONÔMICO, especialistas como Ozires Silva, Flávio Castelo Branco, Luiz Aubert Neto pediram estratégia de longo prazo para o país. (Págs. 1 e 4)

Vai decolar?

Por que a venda de 36 caças para a FAB é tão importante para o futuro da Boeing na área de defesa militar. (Págs. 1 e 21)

Frio na barriga

O experiente e agressivo André Esteves levou seu BTG à bolsa com a ansiedade e a modéstia de um iniciante. (Págs. 1 e 40)

Nem a crise global e o esfriamento na China tiram otimismo da Vale

Empresa aposta que preço da tonelada do minério de ferro atingirá US$ 180, contra os atuais US$ 108. (Págs. 1 e 22)

Ouro Verde vai gastar R$1,8 bilhão para comprar 25 mil veículos

Aquisições serão feitas até 2014; só neste ano, empresa acrescentará duas mil unidades à sua frota. (Págs. 1 e 26)

Banco Central confunde mercado sobre trajetória da taxa de juros

“Parcimônia” é palavra usada na ata do Copom; tradução vai desde manutenção da Selic até corte de 0,5 ponto. (Págs. 1 e 38)

Clipping Radiobrás

Edição: Equipe Fenatracoop

STF custará R$ 2 milhões por dia em 2018.

       O Supremo Tribunal Federal (STF) tem um orçamento de R$ 714,1 milhões previsto para este ano. O montante representa um custo de...