sábado, 7 de novembro de 2009

26ª Promotoria da Capital determina Inquerito Policial na Unidade Prisional Femininina da Capital

   
  Promotoria da Moralidade instaura IP 
    na Unidade Feminina de Florianópolis
                                                                                                         by Deise

                       Baseados em denúncias que chegaram à 26ª Promotoria de Justiça da Capital  os promotores determinaram a instauração de um Inquérito Policial na Unidade do Presidio Feminino desta Comarca.
                      Os promotores determinaram  que fosse averiguadas irregulariades relatadas em 20 páginas  do total enviado, e inclui  desde desvios de função e falsidade ideológicade, assim como desvios de valores pertencentes as reeducandas, falsidade ideológica de doumentos públicos, abuso de autoridade, excessão de competência,iva,  improbidade administrativa não pagamento  de pecúlio  entre outras.
                    Em correspondência enviada ao Deputado Domingos Dutra, a atual Diretora/Gerente da Unidade Feminina, Maria Conceiçao Pereira Orihuela,  admite não possuir Curso Superior completo. E também, não cursa nenhuma das 5 áreas de Formação Acadêmica, item número um exigido pela\LEP em vigor. Segundo Conceição "cursei até o 6º período e a matricula encontra-se trancada.". Ainda de acordo com a atual diretora, faz seu curso em Passo Fundo, no RS.
                   Este ítem  exigido pela Lei de Execuções Penais, seguido da segunda exigência, que é experiência comprovada na area administrativa. Também é exigência para o cargo, morar no Presídio ou nas proximidades, assim como possuir idoneidade, e dedicar 24h para a função.
                    Além dos dois primeiros iítens que estão interligados, Maria Conceição, não mora no présidio e  dedica 9 horas semanais para atendimento administrativo, que é segundas, terças e quintas das 14h às 17, para atender aos familiares.  E em 2008 teve seu nome como um dos que seriam indiciados pelo Deputado Domingos Dutra (PT/MA) que segundo noticias veículadas na mídia na época "recuoou em alguns nomes por pressões políticas'       
                   Ignorando o fato de que terça feira é dia de levar compras pela manha,  mesmo se estiver na Unidade, obriga os familiares a retornarem após as 14h, muitas vezes não retornando ela à Unidade.
                  Da mesma forma as denúncias de ex-reeducandas, que levaram choque elétricos, quebra de clavícula sem ter sido prestado atendimento médico indo a reeducanda parar no IGP, e também outa reeducanda, que ficou aleijada, após ter apanhado de uma Agente Prisional. O processo de indenização já encontra-se no Forum da Capital.
.               Ainda serão averguados os castigos coletivos e o famoso "bonde", que na linguagem "cadeial" significa ser transferida para outro Presidio, sem ordem judicial..

Di nada. Ninguem é tolo, quando acredita em um propósito e luta por seus ideais.

[Paz sem voz não é Paz. É MEDO] Novo comentário em Não entendi porque tanta gente "chocada" com as ce....‏
De: sheila (noreply-comment@blogger.com)
Enviada: domingo, 8 de novembro de 2009 0:13:09
Para: denuncia.sc@hotmail.com

sheila deixou um novo comentário sobre a sua postagem "Não entendi porque tanta gente "chocada" com as ce...":

É dona DEISE....
Dizer que não sabiam fica ainda mais FEIOOOOOOOOO,,,,
Bjus e Obrigada por se manter na luta. Mesmo sem precisar fazer isso.


Sheila Zeferino





Quem vive de passado, não tem presente nem futuro. by Deise

Paz sem voz não é Paz. É MEDO] Novo comentário em Discurso x Ações = Teoria x Prática.‏
De: sheila (noreply-comment@blogger.com)
Enviada: sábado, 7 de novembro de 2009 23:52:51
Para: denuncia.sc@hotmail.com

sheila deixou um novo comentário sobre a sua postagem "Discurso x Ações = Teoria x Prática":
Se as imagens que vimos em seres humanos,foram autorizadas por "ELE"...e sabemos que foi.Imaginem o que ele teria autorizado...á fazer na PITUCA.

Sheila Zeferino  
                                                                         Sheila
                               
 
_______________________________________    Acredito que a "Era Medieval" esta se extinguindo.
Não vai ser de um dia para outro.
 Mas evoluimos muito.
E  é necessário acreditar que existem pessoas com ética,
com moral e firmeza de caráter.
bj
Deise

Gostariamos que ficasse. Mas se realmente sair, me alivío ao saber que V.sa. em 2 meses pdeerá encontrar soluções bem fáceis,em situações bem corriqueiras, que terminam em BO e corregedoria, pela falta de entendimento dos administradores do Feminino.E nem falo de construçoes, novos alojamentos, Nada disso. Nada que boa vontade, mente aberta e bom senso, não possa ser resolvido imediatamente. Além de querer a Lei cumprida. E o que a Lei mandou foi instaurar um IP no Presidio Feminino da Capital, através da 26ª Promotoria da Capital. É necessário que se verique se o IP já foi instaurado e quem está instruindo. Pois dependendo, há alguns impedimentos. Já vai para um mes da ordem da Promotoria da Moralidade. O papel aceita tudo. Foi cumprida a Ordem dos Promotores??? Nada do que foi visto na TV em outras Unidades, difere das torturas, castigos coletivos e fora da lei aplicados no Feminino. Posso levar-lhe pilhas de documentos. Comece a faxina por aqui.O feminino é tao importante quanto Joinville. Com a diferença de estar bem mais perto. Num dia V.Sa resolve todos os problemas do Feminino. Porque se resume em condutas. Não em gastos..E Joinville lhe tomará muito mais tempo que um dia. A limpeza, a gente começa pela nossa casa. Mas isso é so minha opinião. Porque cobrarei na segunda da 26a. uma posição por escrito, se foi ou não cumprida a ordem da Promotoria. E obviamente o afastamento dos envolvidos, enquanto o IP se desenvolve. E acredite: se V.Sa. pensa que ja viu e ouviu tudo (como eu pensava) preparece-se para estarrecer-se com as gravaçoes, pesquisas, fotos e documentos.É de chorar.

Quinta-feira, 05 de novembro de 2009

O agente prisional Nelson Júlio da Silva foi indicado depois de uma reunião entre os secretários Ronaldo Benedet e Justiniano Pedroso. Três nomes constavam da lista inicial. Todos agentes prisionais.
Consultados, os dois primeiros declinaram. Nelson Júlio aceitou. Ele dirigia a Escola Penitenciária de Santa Catarina


06/11/2009

          Foto DC   

       Novo diretor do Deap diz que quer
 ficar no máximo dois meses no cargo


Nilson Júlio da Silva afirmou que situação na
Penitenciária de Florianópolis está horrível



No primeiro dia de comando no Departamento de Administração Penal (Deap), Nilson Júlio da Silva contou que visitou a Penitenciária da Florianópolis, onde recentemente foram registradas mais tentativas de fuga. E já estabeleceu um prazo para deixar a função.
— A situação aqui está horrível. Já começamos a mexer, mesmo que precariamente. Minha meta na direção do Deap é unir as classes. Mas quero ficar no cargo, no máximo, dois meses — admitiu.
Silva pretende viajar por Santa Catarina e conversar com diretores de presídios e agentes para definir novas ações de segurança. Na próxima semana, ele estará em Joinville.

Identificação dos torturadores

O corregedor Cleto Navágio de Oliveira, da Secretaria Executiva da Justiça e Cidadania, acredita que até sexta-feira será possível identificar os agentes e os detentos envolvidos no flagrante de tortura na Penitenciária de São Pedro de Alcântara, na Grande Florianópolis.
Nesta sexta-feira foi a vez do chefe de segurança da unidade prisional prestar depoimentos. Na próxima semana, serão ouvidos o ex-diretor do Deap, Hudson Queiroz, e os comandos das instituições policiais que participaram da operação de transferência de presos, como o Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope), Comando de Operações (Cope) e o Grupo de Apoio Tático da Polícia Militar (PM).

Fonte: DC

Os ultimos acontecimentos me lembraram um sertão. E penso o quanto Lampião era educado. Ele era B A N D I D O, mas observem a forma como ele pedia o que queria... Educação é mesmo tudo .

Uma jornalista investiga, estuda, informa-se. Pesquisa.
Como posso escrever sobre algo que não conheço???
Ouve. Escuta. Pensa.
E em seguida já esta na cabeça a materia.
Desejando que seja manchete.
Um repórter: o começo do aprendizado de um otimo jornalista.
Se tiver interesse em aprender.
Senão pode ser ate  MD em Comunicação.
Mas ainda assim escreverá de forma medíocre.
                                                               by Deise


QUALQUER SEMELHANÇA COM 2009
NÃO É MERA COINCIDÊNCIA.







´Realmente.Bandido tem mais palavra.
Mas bandido. Não aprendiz.


Existe uma série de contradiçoes ba historia de vida do maior cancaçeiro, Lampião.
Tenho estudado sobre ele.
Para alguns ele era uma espécie de Hobinwood.
Tem sido uma viagem bem  interessante estudar sobre ele.
Quem lê sobre ele, vê que ele estava à frente do tempo.
E engraçado, percebo uma série de semelhanças políticas da época dele e a atual.
Se observamos, somos iludidos com uma falsa democracia, que tudo que nos permite é falar mal do governo.
Mas o que me interessa falar mal do governo?
Se meto o pau, (e antes fosse so eu), se cobramos é porque falta organização social, controle de natalidade, saneamento básico, moradia digna, presidios decentes, governates éticos e morais.
E sabemos que acontece diariamente o contrário.
O que eu ganho denunciando e sabendo disso? Se não tem solução?
E os jornalistas passaram a meu ver a serem sádicos:
Eles noticiam hoje: Amanhã Joao da Silva vai morrer, porque está ha 3 dias numa maca esperando atendimento.
Amanhã noticiam: Morreu ontem as 0h, joao da Silva que esperou atendimento médico por 3 dias....
Pode ser que eu pareça louca ao ter este raciocinio.                 
Mas eu não ganho nada falando do governo. Só dor de estomago, ulcerá, colapso nervoso.
Preferiria nao ter esta "democracia", e não ter tanto a reclamar.
A banalização dos fatos e das vidas no Brasil, realmente chegou num estágio insuportável. A desordem social, a corrupção em massa, grupos que atrás de uma sigla de algum orgão comandam  quadrilhas, o jogo de empurra, a demora de juizes, o poder de cada juiz ;"entender a mesma lei de trocentas maneiras", juizes que não respeitam a LEI. O que sobra? TRáfico de Influências.
A corrupção  de muitos policiais, O abuso, a demência de quem disse
 que Funcionário Público "virou otoridade".
Não quero so liberdade de imprensa. Quero liberdade  de cobrança de ações imediatas.
Não vivo do jornalismo.
Me decepcionei a tal ponto de largar.
Vejo hoje uma geração de anormais, frutos de uma desumanição absurda dentro de sua formação academica.
Advogados que não OUVEM? COMO IRÃO FAZER UMA BOA DEFESA?.
Médicos clinicos gerais que chamo de despachantes....
____________ao otorrino, ao gastro, ao psiquiatra.... em 5 minutos de atendimento.
Sem contar que em muitos hospitais, nao somos mais um nome:
 é o coração do quarto 21, o figado do quarto 43...
Os jornalistas catatônicos, obedecendo ordens do
dono do jornal do que pode ou não publicar. ´
Não leio mais as verdades.
Vivo sob o julgo de algum César, que não se mostra para eu dizer AVE.
Desde quando um regime DEMOCRÁTICO obriga a votar?
Desde quando servidor manda nos patroes:
Servidor público é o que menos salário ganha e o que mais trabalha.
Porque passará o resto da vida sendo sustentado pela UNião.
Ele difere do empreendor, do artista, do liberal, porque trocou toda sua liberdade de criar e agir, por uma aposentadoria segura.
Quando será dado um basta a isso?
Quando o Presidente vai entender que o país está um caos, e completamente desgovernado.
Se sabemos que tanto dinheiro é roubado mensalmente, V.Exa. ainda não conseguiu em 8 anos, descobrir a forma de inib ir estas ações?
Porque enquanto na oposição. V.Exa. tinha a solução pra tudo.
Cansei de grunir em Pé, em comicios seus.
E o pior, eu acreditei.
Mas graças a Deus já estou boa.
Encerro lembrando de uma discussão politica com o Sindicato para o qual eu prestava a ssessoria de Imprensa; naquela discussão eu percebi, há 20 anos,  que NAO HA INTERESSE ALGUM EM SOLUCIONAR OS PROBLEMAS.
Quando estiver tudo arrumado, para que precisaremos de tantos orgãos e sub orgãos?
Para que sindicatos, ongs, secretarias, subs, trocentos deputados,  trocentos conselhos,trocentos tudo. E todos inoperantes. porque todos estão comprometidos com todos.
Fica mais facil fingir "que não sabe"
A autoridade que não sabe de assuntos de sua responsabilidade, é um inoperante, incapaz, desinteressado, relaxado e jamais se preocuaprá com o País. E sim em fazer investimento...
Vou solicitar aposentadoria, por perseguida politica... Se colou com eles, pq não vai colar comigo? Até o Presidente ganha esta aposentadoria. Eu não fui para os porões. Ainda.
Mas a tortura psicologica é pior. Pior que pingo dágua na cabeça.
Alias devo dizer, que ultimamente vivo preocupada com algo:
Eu escuto tanto o Presidente da República dizer "eu acho que", que eu começo a não ter mais certeza de nada.
Se o Presidente ACHA, o que sobra para a população?
Alguns medos.Como por exemplo: começo a duvidar se nossas fronteiras estão realmente guarnecidas.
E se um dia não vou me acordar com o soldado americano na minha cabeceira
dizendo que a partir  eu terei que pagar em dolar A NOSSA AGUA.
Se o Presidente parar de aagir como um populista, esquecer que foi metaleiro e não está o tempo todo num comicio, que ele É O PRESIDENTE, NÃO PRECISA MAIS ANGARIAR VOTOS PARA ELE.
E de depois de  de 8 anos no  poder, após 20 anos de luta, seu(a) sucessorn (a) ainda vai precisar fazer campanha para, é sinal o PT fez  um péssimo governo. .
Elementar meu caro Wattson.
Assim como não acredito (Deus me perdoe) na doença da Ministra Dilma.
Foi desvio de foco.
Aquela famosa (horrorosa) pra chamar bem atenção mesmo. Porque ninguem falava outra coisa que não fosse na "peruca da Ministra". O problema da semana era UMA PERUCA rídicula, posta de propósito. Ela não tem doença mental degenerativa, tampouco é brega o bastante, e com certeza gosta e conhece o que é bom.
Na era do MegaHair e coração de plástico, ela nao usaria uma Peruca, que em 1950 minha mãe usava. De cabelo sintético.Falemos ´serio.
 UMa toca ficaria mais sutil a intenção.
Lembrou-se do Collor no ultimo debate de 89, com o Presidente atual, com uma gravata torta, um paletó de espantalho. E eu de boca
 aberta não entendendo o que era aquilo. Aquele homem dizendo que não tinha apa relho de  som  igual ao do atual Presidente...
Bem,mas se for realmente verdade a doença da Ministra, além de sentir muito, pois não desejo o mal a ninguem, sinto muito duplamente: um presidente pode morrer no exercicio. De qualquer coisa.
Porém a gente nao sabe.
Eu nao votaria em pessoa alguma para Presidente, que  eu soubesse  antecipadamente que tem historico de  Cancer. Não se trata de preconceito. Mas de objetividade. Aconselho a população que vai votar no PT a observarem quem será o vice.
Porquê há antecipadamente, chance de perdemos a presidente durante sua gestão.
E mais uma vez sermos governados pelo Vice.
A história novamente se repetindo
Faz-se urgente que o Presidente assuma realmente seu lugar, entendendo que cargo ocupa, mostrar-se  bem mais  SEGURO de suas açoes e declarções. Risque o "Eu acho" de seus discursos. Por favor.
 Se achar menos, tenho certeza, que obterá uma população muito mais
interessada na solução dos problemas.
Porque será uma nação fortificada pela certeza das
        sábias e firmes decisões de seu
                                                        Presidente.                                   
                          Atualmente para mim, finalizando a analogia que faço a Lampião, existe somente uma diferença entre elee os atuais governates:
Ele falava a verdade e assumia seus feitos.

Feliz foi Ali BaBá. Que só teve 40  ladrões.
  by Deise



DIARIO DE PERNAMBUCO

Não houve milagre em Juazeiro

Pedido para abandonar o banditismo, feito pelo Padre Cícero, teve o mesmo valor que a patente de Capitão entregue para Lampião
Aquele 4 de março de 1926 parecia promissor para Virgulino Ferreira da Silva, que há pelo menos uma década já pegava em armas para se "vingar" de inimigos e praticar crimes entre Pernambuco, Paraíba e Alagoas. Ele entrava em Juazeiro do Nordeste, no Cariri cearense, onde iria se encontrar com um verdadeiro "santo", Padre Cícero Romão Batista, atendendo ao seu suposto chamado. A cidade, situada a 528 quilômetros de Fortaleza, era também a residência de sua família, principalmente das irmãs, depois que os conflitos iniciados com o vizinho José Saturnino, em 1916, em Villa Bela (atual Serra Talhada), forçaram os Ferreira a peregrinar em busca de pouso seguro. A "Meca do Nordeste" ainda seria o lugar em que o já famoso Lampião receberia a patente de Capitão do Batalhão Patriótico, milícia criada para combater a Coluna Prestes, que se deslocava pelo Nordeste, na época, enfrentando as tropas enviadas pelo presidente da República, Arthur Bernardes.
Se chegou a pensar em se reintegrar à sociedade, como um homem de armas a favor do governo, esta idéia teve fim logo depois que Lampião deixou Juazeiro e seguiu para Pernambuco, onde passou a ser novamente perseguido pelas volantes. A farda de mescla azul e a patente em três ligas de sutache branco nas ombreiras não valiam o papel onde um funcionário do Ministério da Agricultura, Pedro Uchoa, escreveu que Virgulino Ferreira deveria ser tratado como oficial legalista, juntamente com o irmão Antonio Ferreira (como primeiro-tenente) e Sabino (segundo-tenente). O estado-maior do cangaço havia sido enganado.
Em conversa com o escritor Leonardo Motta, autor de No tempo de Lampião, Uchoa disse que "assinaria até a destituição do presidente". Na prática, Lampião saiu de Juazeiro do Norte com mais do que uma patente sem valor, um rosário e a bênção do Padre Cícero. Para combater a Coluna Prestes, ele recebeu armamento moderno e farta munição, que não seria utilizada contra os combatentes que percorreram o interior do Brasil entre os anos de 1925 e 1927, propondo reformas sociais e políticas para o país, até cruzar a fronteira com a Bolívia em fevereiro de 1927. Lourenço Moreira, autor de A Coluna Prestes, marchas e combates, registrou, como secretário de campanha, apenas dois breves conflitos com cangaceiros, nos dias 23 e 24 de fevereiro de 1926, em Villa Bela, terra natal de Lampião. Esclarecido que não eram "macacos", os revoltosos seguiram seu caminho.
Lampião entrou em Juazeiro do Norte com 49 homens. O autor do convite para se aliar ao Batalhão Patriótico, o médico e deputado federal Floro Bartolomeu, não foi recebê-lo. Sentindo fortes dores de cabeça, ele havia ido se tratar no Rio de Janeiro e faleceu na capital federal exatamente no terceiro dia da estada do cangaceiro na cidade cearense. Aos 82 anos de idade, coube ao Padre Cícero evitar um conflito entre bandidos e polícia em plena rua de um local que já era ponto de romaria. Lampião e o seu bando se instalou no sobrado do poeta popular João Mendes de Almeida, na rua Boa Vista. Da janela do primeiro andar, atirava moedas parauma multidão estimada em quatro mil pessoas. A casa foi desfigurada pelos proprietários para evitar que fosse tombada.
Os historiadores se dividem em relação à participação de Padre Cícero na farsa da falsa patente de Capitão. Fátima Menezes, em seu livro Lampião e o Padre Cícero, defende que o religioso era inocente e que a idéia partiu do libanês Benjamin Abrahão Botto, secretário particular do padre e que dez anos mais tarde conseguiria registrar as ações do bando do cangaceiro em película. Mesmo devoto do padre, Lampião não atendeu aos seus pedidos para abandonar o cangaço e fazer o mesmo que o seu antigo chefe, Sinhô Pereira: buscar uma nova vida fora do Nordeste.
Promessa de fotografia
No dia 2 de março de 1926, Lampião e seu bando se instalaram no Hotel Centenário, na cidade de Barbalha, próximo de Juazeiro do Norte. O cangaceiro foi visitado pelo topógrafo e fotógrafo amador Lauro Cabral de Oliveira, que propôs registrar sua imagem e vendê-la para os jornais de todo o Brasil. Lampião disse "não", mas se mudasse de idéia mandaria chamá-lo. Já em Juazeiro, Benjamin Abrahão levou um fotógrafo do Crato, Pedro Maia, mas Lampião lembrou da prioridade a Lauro Cabral. São dele as imagens de Lampião fardado e com a família.
"Não quero passar-me por covarde"

Muito do mito em torno da figura de Lampião começou a ser construído na visita a Juazeiro do Norte. Além das fotografias de Lauro Cabral e Pedro Maia, os jornais publicaram uma entrevista feita com o cangaceiro pelo médico do Crato, Octacílio Macedo. De acordo com Élise Grunspan-Jasmin, em Lampião, o senhor do Sertão, "Virgulino Ferreira da Silva fez questão de preservar a imagem de verdadeiro bandido de honra ligado à vingança; aceita as consequências disso e diz que jamais baixará a guarda. Essa imagem heróica corresponde exatamente aos códigos em vigor no Sertão". A entrevista foi feita em duas ocasiões, antes da visita ao Padre Cícero.

Qual seu nome e sua origem?
Chamo-me Virgulino Ferreira da Silva e pertenço a humilde família Ferreira, do riacho de São Domingos, município de Vila Bela. Meu pai sendo constantemente perseguido pela família Nogueira e por José Saturnino, nossos vizinhos, resolveu retirar-se para o município de Água Branca, em Alagoas. Nem por isso cessou a perseguição. Em Água Branca foi meu pai, José Ferreira, barbaramente assassinado pelos Nogueiras e Satunino, no ano de 1917. Não confiando na ação da justiça pública - porque os assassinos contavam com a escandalosa proteção dos grandes - resolvi fazer justiça por minha conta própria, isto é, vingar a morte do meu progenitor. Não perdi tempo e resolutamente arrumei-me e enfrentei a luta. Não escolhi gente das famílias inimigas para matar e efetivamente consegui dizimá-las consideravelmente.

É verdade que sua vida no cangaço teve início junto ao lendário Sebastião Pereira?

Já pertenci ao grupo de Sinhô Pereira, a quem acompanhei durante dois anos. Muito me afeiçoei a essemeu ex-chefe, é um leal e valente trabalhador, tanto que, se ele voltasse ao cangaço, iria ser um seu soldado.

Seu nome já é conhecido em todo Brasil, mas por onde mesmo você tem andado no Nordeste e como enfrenta as polícias desses estados?
Tenho percorrido os sertões de Pernambuco, Paraíba e Alagoas e uma pequena parte do Ceará. Com as polícias desses estados tenho entrado em vários combates. A de Pernambuco é a polícia disciplinada e valente que muito cuidado me tem dado; a da Paraíba, porém, é uma polícia covarde e insolente. Atualmente, existe um contingente de força pernambucana de Nazaré que está praticando as maiores violências, mais parecendo a força paraibana.
Seu grupo recebe proteção de muita gente?

Não tenho tido propriamente protetores. A família Pereira do Pajeú é quem me tem protegido mais ou menos. Todavia, conto em toda parte com bons amigos que me facilitam tudo e me escondem eficazmente quando acho que estou sendo perseguido pelos governos. Se não tivesse necessidade de procurar meiospara manutenção dos meus companheiros, poderia ficar oculto indefinidamente, sem nunca ser descoberto pelas forças que me perseguiam. De acordo com meus protetores, só um me traiu miseravelmente. Foi o coronel José Pereira de Lima, chefe político de Princesa, homem perverso, falso e desonesto, a quem durante anos servi, prestando os mais vantajosos favores de nossa profissão.

Como contém um grupo tão volumoso?

Consigo meios para manter o meu grupo pedindo aos ricos e tomando à força aos usuários que miseravelmente se negam a prestar-me auxilio.
Dizem que você está rico. Até onde isto é verdade?

Tudo quanto tenho adquirido na minha vida de bandoleiro mal tem dado para as vultosas despesas do meu pessoal - aquisições de armas e munições. Convido notar que muito tenho gasto com a distribuição de esmolas aos necessitados.

Ao longo da sua vida nas armas, quantos combates já teve envolvido e quantas pessoas foram mortas em batalha?

Não posso dizer ao certo o número de combates em que já tive envolvido. Calculo, porém, que já tomei parte em mais de duzentos. Também não posso informar com segurança o número de vítimas que tombaram sob a pontaria adestrada e certeira do meu rifle. Entretanto, lembro-me, perfeitamente, de que além de civis, já matei três oficiais de polícia, sendo um de Pernambuco e dois da Paraíba. Sargentos, cabos e soldados eram-me impossível guardar na memória os que foram levados para o outro mundo.
Como conseguiu viver em meio a tantas perseguições?

Tenho conseguido escapar a tremenda perseguição que me movem os governos, brigando como louco e correndo como veado quando vejo que não posso resistir ao ataque. Além disso, sou muito vigilante e confio sempre desconfiando, de modo que dificilmente me pegaram de corpo aberto. Ainda é de notar que tenho bons amigos por toda parte e estou sempre avisado do movimento das forças.
Você sabe de tudo que acontece, dos movimentos da polícia, de planos pra lhe capturar?
Tenho também um excelente serviço de espionagem dispendioso, embora utilíssimo.


É comum dizerem que os cangaceiros por onde passam deixam um rastro de sangue. Como é seu comportamento?
Tenho cometido violência e depredações vingando-me dos que me perseguem e em represália a inimigos. Costumo, porém, respeitar famílias por mais humildes que sejam, e quando sucede algum do meu grupo desrespeitar uma mulher, castigo severamente.

Consumada a vingança do seu pai, pretende deixar o cangaço?

Até agora não desejei abandonar a vida das armas com a qual me acostumei e sinto-me bem. Mesmo que não fosse, não poderia deixar essa vida por que os inimigos não se esquecem de mim e por isso eu não posso deixá-los tranqüilo. Poderia retirar-me para um lugar longínquo, mas julgo que seria uma covardia, eu não quero nunca passar-me por covarde.
Existe algum tipo de pessoa que tem preferência no relacionamento?

Gosto geralmente de todas as classes. Aprecio de preferência as classes conservadoras - agricultores, comerciantes, etc. - por serem homens de trabalho. Tenho veneração e respeito pelos padres, por que sou católico. Sou amigo dos telegrafistas, por que alguns já me têm salvado de grandes perigos. Acato aos juízes por que são homens de lei e não atiram em mim. Só uma classe que eu detesto: é a dos soldados, que são os meus constantes perseguidores. Reconheço que muitas vezes me perseguem por que são sujeitos a isso. E é justamente por essa causa que ainda poupo alguns quando os encontros fora da luta.

Você deve conhecer muitos outros cangaceiros valentes. Quem mais se destacou nesse ponto de vista?

A meu ver, o cangaceiro mais valente no Nordeste foi Sinhô Pereira. Depois dele, Luiz Padre.

E Antônio Silvino?

Penso que Antônio Silvino foi um covarde que se entregou as forças do governo em conseqüência de um pequeno ferimento. Já recebi ferimentos gravíssimos e nem por isso me entreguei à prisão.

Já ouviu falar em José Inácio?

Conheci muito José Inácio, do Barro. Era um homem de planos, e o maior protetor dos cangaceiros do Nordeste, em cujo convívio sinto-me feliz.

Como anda sua saúde, se sofre tantosferimentos?

Já recebi quatro ferimentos graves. Dentre esses, um na cabeça, do qual só por um milagre escapei. Os meus companheiros também: vários deles têm sido feridos. Possuímos, porém, no nosso grupo, pessoas habilitadas para tratar dos feridos, de modo que sempre somos convenientemente tratados. Por isso estou forte e perfeitamente sadio, sofrendo raramente, ligeiros ataques reumáticos.

Seu grupo é sempre neste volume que veio a Juazeiro?

Desejava andar sempre acompanhado de um numeroso grupo. Se não organizo conforme o meu desejo é porque me faltam recursos materiais para compra de armamentos e manutenção do grupo - roupa, alimentos, etc. este grupo que me acompanha é de quarenta e nove homens, todos bem armados e municiados e muito me custa sustentá-lo como sustento. Meu grupo nunca foi reduzido, tem sempre variado de quinze e cinqüenta homens.
Costuma vir ao estado do Ceará?
Sempre respeitei e continuo a respeitar o Estado do Ceará por que nele tenho muitos amigos, nunca me fizeram mal e ainda porque é o Estado de Padre Cícero. Como deve saber, tenho a maior veneração por esse sacerdote, porque é o protetor dos humildes e infelizes e, sobretudo, por que há muitos anos protege as minhas irmãs que moram em Juazeiro. Tem sido para elas um verdadeiro pai. Convém dizer que ainda não conhecia pessoalmente o Padre Cícero, pois essa é a primeira vez que venho a Juazeiro.

Sua vinda até que aqui foi pra receber a patente de capitão pra combater a Coluna Prestes. E então?

Tive um combate com os revoltosos da Coluna Prestes entre São Miguel e Alto da Areia. Informados de que eles por ali passavam e - sendo eu legalista - fui atacá-los, havendo forte tiroteio. Depois da grande luta e estando apenas com dezoito companheiros, me vi forçado a recuar, deixando diversos inimigos feridos. Vim agora ao Cariri, porque desejo prestar meus serviços ao Governo da nação. Tenho o intuito de incorporar-me às forças patrióticas do Juazeiro e com elas oferecer combate aos rebeldes. Tenho observado que, geralmente, as forças legalistas não têm planos estratégicos e daí o insucesso de seus combates que de nada tem valido. Creio que, se aceitarem os meus serviços e seguirem os meus planos, muito poderíamos fazer.

O que imagina do futuro dentro do cangaço?
Estou me dando bem no cangaço e não pretendo abandoná-lo. Não sei se vou passar a vida toda nele. Preciso trabalhar ainda uns três anos. Tenho que visitar alguns amigos, o que ainda não fiz por falta de oportunidade. Depois talvez me torne comerciante".

Fonte: http://www.enciclopedianordeste.com.br
Derrotado no país de Mossoró

Cidade do Rio Grande do Norte celebra anualmente o feito de ter impedido o saque do bando de Lampião. Era o início do fim da aura de invencibilidade do cangaceiro
O espetáculo este ano teve a sua sétima edição realizada ao ar livre e com ares de superprodução. A cada mês de junho, a segunda maior cidade do Rio Grande do Norte, situada a 285 quilômetros da capital Natal, revive orgulhosamente a maior derrota de Lampião. Chuva de bala no país de Mossoró, com mais de 70 atores, é um épico que ressalta a coragem do prefeito Rodolfo Fernandes, organizador da defesa que conseguiu repelir mais de 70 homens chefiados por, na verdade, três chefes cangaceiros: o próprio Lampião, Sabino Gório e Massilon Benevides Leite. Este último, que era potiguar, convenceu Virgulino Ferreira a atacar Mossoró, certo de que não encontraria resistência, descreve Raul Fernandes em A marcha de Lampião: assalto a Mossoró.
A cidade, que conta hoje com 234 mil habitantes, tinha, em 1927, um número de almas dez vezes menor, mas era desenvolvida, contando com comércio forte e diversificado, quatro jornais e energia elétrica. Muitos não acreditaram na notícia de que o mais famoso bandoleiro preparava-separa dar o bote em suas riquezas. O prefeito Rodolfo Fernandes tratou de preparar a resistência. Na noite de 12 de junho, a animação na cidade por causa do baile promovido pelo Humaytá Futebol Clube deu lugar à correria. Lampião já estava atacando a vila de São Sebastião (hoje município de Dix-Sept Rosado) e em poucas horas entraria em Mossoró.
Quem pôde, escapou de trem, de carro, cavalo ou mesmo a pé. Os que ficaram trancaram-se em casa, esperando o pior. A defesa da cidade ficou a cargo de cerca de 150 homens, espalhados em locais estratégicos, como a estação ferroviária, a Igreja de São Vicente e a própria casa do prefeito Rodolfo Fernandes.
Na manhã de 13 de junho, dia de Santo Antônio, Lampião ainda envia um bilhete, onde propõe o pagamento de 400 contos de réis em troca de deixar os mossoroenses em paz. O prefeito responde que a cidade tinha o dinheiro, mas que ele fosse buscar. Às 16h, chovia fino na cidade quando começou o tiroteio. Os historiadores divergem sobre o número de cangaceiros que atacaram Mossoró. O contingente varia de 50 a 150, mas todos estavam bem armados e certos de que conseguiriam ficar com uma parte do saque.



Em menos de uma hora de luta, Lampião, que via o desenvolvimento do combate de dentro do cemitério, manda o pessoal bater em retirada. O "invencível" cangaceiro admitia a derrota. No campo de batalha, ficou o corpo do cangaceiro Colchete, com o crânio estourado por uma bala. Outro importante "cabra" do bando, Jararaca, foi baleado quando tentava ficar com os despojos do morto. Ele ainda fugiu e se escondeu embaixo de uma ponte, mas foi denunciado quando pediu ajuda a uma pessoa que passava pelo local. Durante a fuga em direção ao Ceará, acossado pelas volantes, pelo menos mais um cangaceiro, Moreno, morreria em conseqüência de ferimentos.

No dia 15 de junho, já em Limoeiro, no território cearense, Lampião foi convidado a entrar na cidade, com o pedido de que não cometesse saques. É recebido como autoridade pelo prefeito, padre e juiz, com direito a banquete em hotel e passeiosde automóvel. O fotógrafo Francisco Ribeiro de Castro conseguiu convencer Lampião a reunir o grupo para um registro. O chefe fica na fila da frente, ajoelhado, tendo atrás os prisioneiros e o restante do bando. Os filmes foram enviados para revelação em Mossoró, onde o crédito das imagens passou a ser identificado erroneamente como do jornalista potiguar José Octávio, dono do laboratório.
O ataque frustrado a Mossoró custou caro a Lampião. Acossado pelas forças de cinco estados - Rio Grande do Norte, Paraíba, Pernambuco, Ceará e Alagoas - ele segue em direção ao São Francisco. De líder de grande bando, está acompanhado agora apenas de cinco homens, desmuniciado e sem provisões. Em agosto de 1928, ele cruzou o rio, iniciando a sua última etapa de vida, onde ganharia mais uma alcunha no novo território. De Virgulino a Lampião, passando pelo Capitão da falsa patente dada em Juazeiro do Norte, passaria a ser conhecido pelos pobres sertanejos baianos como "O Homem".

Bilhete enviado por Lampião, com a sua "tradução" Reprodução

"Estando eu até aqui, o que pretendo é dinheiro. Já foi um aviso para o senhor aí. Se por acaso resolver mandar-me a importância que nós pedimos, evito a entrada aí; porém, não vindo essa importância, eu entrarei até aí. Penso que, a Deus querer, eu entro, e vai haver muito estrago. Por isso, se vier o dinheiro, eu não entro aí. Mas mande resposta logo. Virgulino Ferreira, Capitão Lampião."

O ataque a Mossoró foi o ponto culminante de uma longa marcha que envolveu três grupos de cangaceiros montados a cavalo. Lampião e Sabino saíram de Pernambuco, cruzaram a Paraíba e se encontraram com os chefes de bando Vinte-e-dois e Massilon no Ceará. De lá, voltaram para a Paraíba e entraram no Rio Grande do Norte, realizando saques e praticando assassinatos. Após o fracasso em Mossoró, a fuga se deu através do Ceará, onde os bandos se dispersaram. Lampião iniciou sua rota para a Bahia.

Olha que eu to pensando...

Recebi um convite para entrar no PSDB.
Jurei nunca mais chegar perto de Partidos.Minha experiencia no PT não foi feliz....
Os bastidores são bem feinhus
Mas to tão tentada a me filiar ao PCdoB....
De qualquer forma, este informe, graças a Deus, não altera a vida de ninguém.
No momento, nem a minha.
Me filiar exige responsabilidades, condutas, atrelamentos.
Prefiro fazer a minha politica: o PBT
Partido da Boca no Trombone.
Este partido é meu, só tem eu de filiado.
Está confortável, fazer o que posso e devo, sem ser impedida por comprometimentos politicos de outros.
Sem ter que ter uma conduta tal "pq levo o nome de um Partido".
Prefiro fazer politica dizendo livremente o que penso, "agir sem pedir autprização",
reclamar bem alto que os preços de tal mercado é absurdo, mandar pro fiofó quem acha que pode mandar na vida dos outros. Na minha então... sem chance.
Prefiro minha politica solitária e meu trabalho de bastidores.
Se eu quisesse ser jornalista televisivo eu apareceria.
Mas sempre gostei da escriva. Ela me salva sempre.
Rádio é algo que gosto.
Tive um programa em Novo Hamburgo.
O diretor é o mesmo. Quem duvidar, procure a rádio, o fone ligue e fale com o diretor a meu respeito. Se não estiver mais na rede, saberão onde está.
Mas querem informações?
Façam como eu. Trabalhem e pesquisem.

O sorriso é a linguagem Universal. Todo mundo o compreende.



"Pouca coisa é necessária para
transformar inteiramente uma vida: amor no coração e sorriso nos lábios".


Martin Luther King

Enquanto desfruto de uma "suposta" Paz...aproveito para agradecer a ajuda das Valentinas passadas. Peça e Obterás. Eu pedi.




Obrigada pelos ensinamentos.
E por sempre atenderem meu chamado e meu clamor.
Com voces aprendi a ser guerreira.
Com a vida, a colocar em prática.
Que tornem-se a cada dia, um ser mais e mais luminoso.

Rei morto. Rei Posto. Mudando de assunto....


Tenho realmente uma vida mental extremamente movimentada...

Penso que:




Sou uma pessoa de sucesso. Porque chego exatamente onde quero chegar.
Sou uma pessoa feliz, que mesmo preocupada e indiganada com as misérias que condeno
tenho plena consiciencia da minha individualidade.
Não sou responsável pela loucura dos outros.
A eminha já me dah um baita trabalho pra cuidar.
Mas eu vou ao médico, faço terapia, cuido dela.
Minha temeridade é aqueles, que não questionam sua sanidade diariamente como eu.
E assim não tratem da loucura deles.
A minha loucura, acreditem, é controlada.
Meu caixão graças a Deus não terá gavetas. Levarei apenas meu conhecimento e meu amor pelo próximo.
Mas ha duas coisas que não abro mão de levar comigo:
 Meus dentes naturais e minha sanidade mental.
O restante, nem pra doação serve. Tudo bixado.

Discurso x Ações = Teoria x Prática

Após denúncias diretor de sistema prisional é exonerado

05 de Novembro de 2009
Atualizado às 07h27min


O diretor do Departamento de Administração Prisional (Deap) de Santa Catarina, Hudson Queiroz, foi exonerado pelo governador Luiz Henrique da Silveira nesta quarta-feira após denúncias de tortura em unidades do Estado. O nome do novo diretor deve ser divulgado nesta quinta-feira.
Segundo a versão oficial divulgada pelo Centro Administrativo, Queiroz teria pedido para deixar o cargo. Depois de conversar com o secretário da Segurança, Ronaldo Benedet, Luiz Henrique teria decidido pela exoneração.
O ex-diretor do Deap é suspeito de comandar agressões contra presos na penitenciária de São Pedro de Alcântara, na Grande Florianópolis. As imagens da violência foram exibidas no domingo no Fantástico, na Rede Globo.
Imagens e fotos mostrariam o envolvimento de Queiroz em casos de violência. Ele também teria batido com uma mangueira em detentos em um dos episódios divulgados, em Tijucas, de acordo com reportagem da RBS TV
As informações são do Diário Catarinense

  x

SC: cadela leva 3 tiros em presídio:
 agentes são suspeitos

24 de setembro de 2009 • 20h38 • atualizado em 25 de setembro de 2009 às 00h20
   Comentários  1074   
Fabrício Escandiuzzi
Direto de Florianópolis



Uma cachorra sobreviveu após levar três tiros no interior da Penitenciária de São Pedro de Alcântara, a maior do Estado de Santa Catarina. Dois agentes prisionais estão sendo investigados por uma sindicância interna e foram apontados como os possíveis autores dos disparos.

O caso ocorreu no último final de semana e levou à abertura de uma investigação na Corregedoria da Secretaria de Estado da Justiça e Cidadania. A cadelinha, chamada Pituca, que morava no local e era cuidada pelos funcionários do próprio presídio, foi encontrada ferida na manhã da segunda-feira.

Através de denúncias dos próprios servidores do complexo prisional, foi apurado que dois agentes teriam efetuado cinco disparos em direção ao animal. De acordo com a denúncia feita junto à Corregedoria, os suspeitos teriam atirado em Pituca durante um treinamento de tiro. Em seguida, ela foi abandonada ferida no pátio.

O diretor do Departamento de Administração Prisional de Santa Catarina, Hudson Queiroz, disse estar "perplexo e revoltado com crueldade dos agentes". Os dois servidores apontados como suspeitos foram identificados e a investigação irá apurar se foram os autores dos tiros.



"Mandei que se apresentassem e entregassem as armas. Isso é um ato selvagem e que deve ser punido com todo o rigor", disse Queiroz. "Essa brutalidade não condiz com a categoria e com os treinamentos que os agentes recebem para exercer a função", completou.
**Seu cara de pau.

Pituca passou por uma cirurgia e segue recebendo cuidados em uma clínica veterinária da região metropolitana de Florianópolis. Os três projéteis atravessaram o corpo do animal. Apesar de conseguir ficar em pé, a cachorra ainda se recupera de uma infecção.



"Ela foi alvejada, passou por uma cirurgia e a princípio está se recuperando bem. O que preocupa é o quadro de infecção", disse o veterinário Mateus Rychescki, um dos que atuaram na cirurgia. "Os próximos dias serão cruciais para que ela não corra mais nenhum risco de morte", afirmou.
**Adição minha.
 by Deise

Se o Delegado lhe odeia eu não sei. Mas não seria o único. Tem 12.500 apenados QUE LHE ODEIAM, Multiplique isso pelos familiares, e seja sensato: o Delegado é apenas um grão de areia neste oceano. V.Sa. realmente está com problemas, criados por sua conduta arrogante, escorregadia, sua falta de carater e moral, sua canalhisse e a sua certeza da impunidade. Por cima fazendo um cálculo, eu chego ao numero de cerca de 60 mil pessoas no estado que tem ojeriza à V.sa. Coloque mais o seu próprio efetivo (pq tem gente do bem sim), mais os desafetos que V.sa diz ter com a Polícia. Realmente: eu nunca mais teria paz. Claro que isso não lhe fara falta: PAZ é algo que V.sa jamais conheceu.Assim como não frequentou nenhuma aula de OSPB e Moral e Cívica.Se assim o tivesse feito, estaria ainda sentado na cadeira que hoje graças a Deus, é ocupada por Mestre em Direito. Por pior que possa ser, jamais chegará à 1/10 das insanidades cometidas na sua administração. Disso eu tenho absoluta certeza. E quanto ao Deic, eu não odeio o DEIC por ter prendido minha filha. ela estava precisando ser corrigida. E a Justiça não me deixou. Então alguem teria que fazer algo para que ela estivesse viva ate hoje. O Deic Fez. Sou gratissima à eles. E de todos os policiais, que conheci neste tempo de prisão de minh filha, os do Deic, foram um dos poucos a terem bom senso e fizeram sem nenhuma irregularidade seu trabalho. Entraram na casa dela armados? É logico. Tinham ordem judicial, e eles não estavam "indo tomar cafezinho". Mas a trataram como deveiria ser tratada naquele momento. Um abraço ao Delegado Celio, que foi o Delegado que lavrou o flagrante dela. Teve uma conduta invejavél, para muitos "delegados" que conheço. Quem dera todos agissem como ele.Isso me faz gostar da Policia???? Nâo. SOU UMA ANARQUISTA.... Seria uma total incongruencia. No entanto gosto de alguns policiais. A Policia é formada por pessoas. E há pessoas e pessoas. Não gostar DA Policia é um coisa. Não gostar DE Policia é outra. Mas infelizmente, somente pessoas com QI cima da média conseguem ver esta enorme diferença.







Notícias do Dia Exonerado, ex-diretor de prisões de SC teme por sua segurança
05/11/2009
O ex-diretor do Departamento de Administração Prisional de Santa Catarina (Deap), Hudson Queiroz, afirma ter sido vítima de uma "retaliação" por parte dos delegados da Polícia Civil. Ele pediu exoneração do cargo nesta quarta-feira após as denúncias de tortura em presídios do Estado, exibidas no último domingo no programa Fantástico.

Queiroz foi ouvido por deputados da Comissão de Segurança Pública e de Direitos e Garantias Fundamentais na Assembléia Legislativa. Ele fez declarações contundentes, afirmou ter sido vítima de "ódio e retaliações" e ainda disse temer por sua segurança. Seu principal alvo foi o delegado Renato Hendges, diretor do Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic) catarinense. "Eu posso ser vítima tanto de bandidos quanto de agentes do Estado, é bom antecipar isso", disse aos parlamentares. "Tenho receio por mim e medo que armem algo contra meus filhos. Sou vítima do ódio que está imperando no delegado Renato Hendges".

A operação no presídio de São Pedro de Alcântara, o maior do Estado, foi realizada no início de 2008. Segundo o próprio Queiroz, agentes prisionais e policiais militares foram ofendidos e atingidos com água quente, urina e fios elétricos ligados a chuveiros.
As denúncias e imagens veiculadas abriram uma grande crise na segurança pública catarinense. Além da saída de Hudson e do bate boca com delegados de polícia, parlamentares ainda tentam instaurar uma CPI da Assembleia Legislativa. A situação já vinha bastante tensa há cerca de um mês, quando detentos foram retirados das delegacias e colocados diante do Centro de Triagem de Florianópolis, à espera de vagas.

Para Queiroz, a atitude estava vinculada a reivindicações salariais dos delegados. Por outro lado, Hendges argumentou que o fato estaria desvirtuando o assunto, que é a "tortura de presos". "O que nós fizemos em relação à transferência de presos da Central de Triagem foi cumprir uma sentença judicial, uma vez que as celas do local estavam interditadas e teríamos que pagar uma multa de R$ 10 mil por dia se mantivéssemos a situação", afirmou o policial.

No fim da tarde, os secretários de Segurança Pública, Roberto Benedet, e de Justiça, Justiniano Pedroso, estiveram na Assembleia e prestaram esclarecimentos aos deputados. Ambos defenderam o trabalho do ex-diretor do Deap, citaram números sobre o sistema prisional e se mostraram contrários à criação de uma CPI. "Não há motivos para uma CPI, já que existe um inquérito policial acontecendo. Todas as questões serão respondidas", disse Benedet. "Os fatos estão sendo investigados e não ficarão impunes".

O caso é investigado também pela Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara dos Deputados, que determinou a abertura de procedimento regimental para acompanhar a denúncia relativa às torturas.
Fonte: Terra

Todo parto implica dor. Amor sem dor, é quimera.

A Paz


João Donato – Gilberto Gil

A paz invadiu o meu coração

De repente me encheu de paz

Como se o vento de um tufão

Arrancasse meus pés do chão
Onde eu já não me enterro mais

A paz fez o mar da revolução

Invadir meu destino, a paz

Como aquela grande explosão
Uma bomba sobre o Japão
Fez nascer o Japão na paz

Eu pensei em mim

Eu pensei em ti

Eu chorei por nós

Que contradição

Só a guerra faz
Nosso amor em paz

Eu vim, vim parar na beira do cais

Onde a estrada chegou ao fim

Onde o fim da tarde é lilás

Onde o mar arrebenta em mim

O lamento de tantos "ais"


A paz fez o mar da revolução
Invadir meu destino, a paz
Como aquela grande explosão
Uma bomba sobre o Japão
Fez nascer o Japão na paz...

A paz invadiu o meu coração....

Namastê

sexta-feira, 6 de novembro de 2009

Sou taoísta

[Paz sem voz não é Paz. É MEDO] Novo comentário em Se a agente prisional afirma...nao seria de bom to....‏

De: Anônimo (noreply-comment@blogger.com)
Enviada: sábado, 7 de novembro de 2009 0:41:41

Anônimo deixou um novo comentário sobre a sua postagem "Se a agente prisional afirma...nao seria de bom to...":
A Sra.Viviane nao pode afirmar nem condenar colegas, pois ninguem sabe se sao eles e que a justiça é que vai apurar e que ela como agente mantedora da ordem e disciplina nao deveria ter caso com presos, ja que isso é muito anti-ético e anti-profissional

Moderar comentários para este blog.
Postado por Anônimo no blog Paz sem voz não é Paz. É MEDO
em 6 de Novembro de 2009 13:41
 
by Deise
 
Prezado Sr.(a)
 
Se é algo que aprendi em NA, é que PODER EU POSSO TUDO QUE EU QUISER. Tem coisas que não devo. Mas assim entendemos que a vida é de cada um. E tb o porque de Deus ter dado uma vida somente para cada um de nós.
Se ela pode ou não  dizer isso ou aquilo, nao me cabe julgamentos. Ela postou e eu publiquei, da mesma forma que estou fazendo como estou fazendo com o seu.
Quanto a vida pessoal desta Agente, sinceramente não estou nem um pouco interessada com quem ela se relaciona ou não. Este fato não altera em nada minha vida.  
Se ela escolheu um apenado para envolver-se, em mmomento de insanidade algum serei eu que direi a ela se é anti ético ou não.
Porque se eu entrar no mérito, terei que questionar o fato da sra.Juliana Costa, lotada no Feminino da Capital, que responde por espacamento de preso em Blumenau e ja perdeu em duas instâncias, namora igualmente a Enfermeira da Unidade.
Ironico não?
Se eu seguir sua linha de pensamento, teremos que admitir que aqui é mais, muito mais grave que antiético:
é imoral; Porque posso pensar que a sra. Juliana bate, e a enfermeira cuida. E omite.
Geralmente vai para o livro que "foi briga entre reeducandas"...
Em um ano e mes que minha filha ficou no Feminino soube de duas ou tres brigas entre as detentas.
Peguem o livro na admistração. E veremos como o papel aceita tudo....
Nao retalio sua opinião. Mas preciso dar a minha t.ambém.
Até porque o preso que a sra. viviane se envolve, não é da Unidade em que ela trabalha.
Nao consigo ver nada de anti etico. Muito mais preconceito.
Mas agente prisional acusada de ESPANCAMENTO, namorar a enfermeira da mesma Unidade... bem... ai ja é de se pensar.
E separar. Imediatamente.

DST pouco conhecida preocupa especialistas

A 'Mycoplasma genitalium' (MG), bactéria causadora de doença sexualmente transmissível, já tem mostrado resistência aos antibióti...